Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Jesus em quinto lugar no Brasil cristão


Postado por Augustus Nicodemus Lopes

Saiu uma pesquisa no site da revista Forbes que mostra que Jesus Cristo está em quinto lugar no ranking dos nomes mais admirados pelos brasileiros. Na frente de Jesus estão Angelina Jolie, Lula, Silvio Santos e Bill Gates.

Acho que a pesquisa simplesmente revela o que já sabíamos. Ela mostra que apesar da grande maioria dos brasileiros declararem que acreditam em Deus, poucos realmente têm a fé correta. Mais de 90% dos brasileiros têm fé, mas em que e em quem? Somente a fé em Jesus Cristo como Senhor e Salvador único pode realmente salvar. A pesquisa mostra um quadro mais realista da situação religiosa brasileira do que as pesquisas que indicam um grande número de pessoas que acreditam em Deus.

Acho também que a pesquisa mostra que grande parte dos que se declaram católicos ou evangélicos não freqüentam as igrejas ou não praticam sua religião. É preciso apenas esclarecer que a proporção de desigrejados e não praticantes é provavelmente muito maior entre os católicos do que entre os evangélicos. Apesar de menor do que se pensa, todavia há crescimento sensível no Brasil dos que professam fé verdadeira na pessoa de Jesus Cristo, conforme o encontramos nas Escrituras.

Outro dado interessante da pesquisa é que a maioria das pessoas entrevistadas dizem não acreditar que alguém precisa ser rico para ser feliz. Todavia, as pessoas que elas mais admiram, de acordo com a lista, são pessoas ricas ou milionárias, além de bem sucedidas.

O que transparece é que quando os brasileiros dizem que o dinheiro não traz felicidade, estão apenas sendo politicamente corretos. Os indícios de que todos desejam ser ricos estão em todo lugar. A própria teologia da prosperidade, que domina grande parte dos que se chamam evangélicos neopentecostais, é uma teologia que promete felicidade mediante o sucesso financeiro. Não somente a sociedade brasileira, como também a igreja evangélica brasileira, está profundamente influenciada pelo materialismo e secularismo que predomina no mundo ocidental hoje.

O que nos fortalece é saber que Deus nunca deixou de ter uma igreja fiel que o ama e serve acima de todas as coisas.

domingo, 11 de dezembro de 2011

sábado, 10 de dezembro de 2011

A Maioria Dos Pastores Não Estuda A Bíblia


Por Notícias

Cerca de 50,68% dos pastores e líderes nunca leram a Bíblia Sagrada por inteira pelo menos uma vez. O resultado é fruto de uma pesquisa feita pelo atual editor e jornalista da Abba Press & Sociedade Bíblica Ibero-Americana Oswaldo Paião, com 1255 entrevistados de diversas denominações.

Aproveitando o ensejo publicamos, à guisa de ilustração, essas pérolas de respostas de um possível candidato, a um concílio que, virtualmente, o examinava para o ministério.

1. Definição de Trindade
•"Trindade é o ensino de que Deus é uma pessoa que sai três dentro dele".
•"Ela ocorre quando Deus se manifesta como Pai, Filho e Espírito Santo".

2. O que ensina a doutrina das penas eternas?
•"Penas eternas é quando os salvos de lá do céu sentem penas eternas daqueles que perderam a salvação".
•"Penas eternas só quem tem é a pomba que apareceu no batismo de Jesus".

3. Quem são os anjos e quais são as classes ou categorias de anjos?
•"Os anjo são seres com asas, que moram no céu, e se devidem em: anjo quero-bem, anjo serafim, anjo-da-guarda e anjo de luz".
•"Os anjos são criaturas maravilhosas, rápidos no agir e devagar no fugir."
•"Os anjo se dividem em duas categorias: Os bãos e os ruim. Os bãos são o Gabriel, o Miguel e o Peniel. Os mau são Satanaiz, os demônios, como o Trancarrua, Zé Pilantra, Exú Boiadeiro, e hetecétera.

4. Como o pecado entrou no mundo?
•"O pecado entrou no mundo através duma serpente, que fingiu ser gente".
•"Discordo plenamente do meu colega ao lado, que acabou de escrever que foi através da maçã. Não foi maçã, mas foi outra fruta, chamada árvore do bão e do mau."

5. Quem escreveu o Livro de Apocalipse e para quem?
•"O livro de Apocalipse foi escrito por João Batista, na ilha dos Plátanos, para todo aquele que tiver ouvido e ouva."
•"Foi João, para as igreja da Házia menor."
•"Não se recordo se foi Primeiro João, Segundo João ou Terceiro João. Foi um deles. E ele escreveu para umas igrejas que estavam dando poblema naquela época".

6. Defina Profecia.
•"Profecia é a capacidade que os profeta tem de mesmo estando no passado falar do futuro."
•"A profecia é uma declaração do profeta que deixa o povo esperando para ver se vai acontencer ou não."

7. O que você entende por calvinismo?
•"Calvinismo é um problema que dá no coro cabeludo, deficiência esta que acaba resultando em careca".
•"Calvinismo é quando Deus seleciona os que vão para o céu, e é o oposto do arminismo, que Deus seleciona os que vão para o inferno."

8. Por que Moisés não entrou na Terra Prometida?
•"Porque ele bateu a vara dele com toda a força na rocha, saiu água demais e ele morreu afogado".

9. Qual o nome dos doze apóstolos?
•"Se não me falha a memória, foram Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos, Pedro, Paulo, e Judas Iscarioca".
•"Só me lembro de seis: Dois Tiagos, Bartolomeu, Pedro, Céfas e Simeão. Mas apóstolo e ganho que ninguém vai lembrar os doze".

10. Qual o nome que se dá aos evangelhos não reconhecidos pela Igreja como Inspirados?
•"Evangelhos hipócritas".
•"São chamados de Livro de Mórmon" e "evangelho segundo o Ispiritismo".

11. Quais são os ofícios de Cristo?
•"Carpinteiro, e diga-se de passagem, um ótimo carpinteiro, melhor que o pai dele. E talvez soubesse fabricar vinho."

12. Quais as formas de governo utilizadas pelas igrejas cristãs?
•"Ditadura nas Assembléia de Deus, Patriarcal no G-12, Papai e Mamãe na Renascer, Franquia na Presbiteriana, Imperial na Episcopal, Papal no Catolicismo e Anarquizado nas Batistas."

13. Quais são os atributos de Deus?
•"Os que não pertencem a César."
•"Os comunicavéis, como a fala, por exemplo, e os incomunicáveis, ou seja, que não podem ser comunicados".

14. O que você entende por Escatologia?
•"Puxa vida! Eu tinha posto esta matéria como uma das últimas coisas a ser estudada, mas não tive tempo."

15. Defina expiação.
•"Uma coisa muito feia que os curiosos fazem".
•"Expiação é o que os expiões, como Josué e Calebre, fizeram, ao expionarem a terra de Caanã."
•"Expiação foi o que Jesus fez na cruz: Expiou e entregou o espírito".

16. Qual o significado da palavra Gênesis?
•"Para começo de conversa, Gênesis foi o escritor do Livro que leva o seu próprio nome. Mas o significado, em si, significa origem."

17. Onde Jesus foi batizado?
•"Na água".

18. Que ato divino libertou os Israelitas dos 430 anos de escravidão no Egito?
•"O Rei Faraó do Egito que governava a nação egípcia, saiu correndo atrás de Moisés. Moisés atravessou o Mar Vermelho em terra seca, mas quando Faraó pisou na areia, veio água prá tudo lado que nem o cavalo dele conseguiu sobreviver."

19. Como se deu a conversão de Saulo?
•"O apóstolo Saulo estava indo para uma cidade, cujo nome não me lembro sei que é nome de fruta, quando derrepente uma lus brilhou no rosto dele. A voz disse: Saulo Saulo Saulo, de onde vens? E Saulo, já convertido respondeu: De percorrer a terra e de andar nela."

20. Escreva o que você sabe sobre Timóteo?
•"Era filho de Volóide, cujo filho era Timóteo."
•"Discípulo de Jesus que morou lá pelos lados da Grécia naqueles dias".

21. Que seitas judaicas havia nos dias de Jesus?
•"Farizeus, Sadomasoqueus, Filesteus e os Jamorreus".

22. Narre, em poucas palavras, o primeiro milagre de Jesus.
•"Depois que acabou todo o vinho, que não tinha uma gota, ele multiplicou o vinho."

23. Quais foram as atitudes de Pedro que o qualificavam como homem de personalidade impetuosa?
•"Quando ele viu Jesus chorando, gritou: "Lázaro, anda e levanta!"
•"Ele cortou as duas orelhas que o soldado romano tinha".
•"Pedro, na desfiguração de Jesus, quis subir no monte das oliveira para armar uma tenda para Jesus, Elias e Moisés".
•"Ele disse a Jesus: Antes que o galo cante, eu não te negarei três vezes".

24. Como o Espírito Santo de Deus foi derramado no Pentecostes?
•"De cima para baixo".
•"Uns fogo apareceu nas cabeça dos dicipro, que começarum a falar em linguas, assim: Odecantalabaxurianéviamalafalhaasúbia."

Obs. É melhor entender esse texto como uma mera ilustração de uma trágica realidade.

Fonte: escolacharlesspurgeon

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

VALDEMIRO SANTIAGO ROGA PRAGA EM RATINHO

Mais uma briga na Gospelândia. Já havia publicado aqui um fato de um sujeito disse que tinha uma divida num banco, pegou a toalha do "simsalabim" do Valdemiro e passou na porta do banco e a "calote" divida sumiu (veja vídeo). Mostraram o negocio para Ratinho e ele disse umas verdades sobre o caso. O apóstolo "parajaguayo" Valdemiro, do alto do seu grande exemplo e amor cristão, rogou praga contra Ratinho, e ainda disse que não mexesse com ele não porque se ele quiser faz até chover. Veja o vídeo da quizumba.


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Eu estou farto! Basta!

Por Maurício Zágari



Eu estou farto.
Farto de querer viver um Evangelho simples e sempre quererem complicar.
Farto de ver gente achando que ser cristão não exige esforço.
Farto de ver hipócritas pondo o dedo na cara das instituições religiosas mas faturando uma grana com seus sites antirreligião.
Farto de ver crentes que pecaram feio acusarem quem os exorta de legalistas para justificar seu pecado não-abandonado.
Farto da diabólica Teologia da Prosperidade.
Farto de expressões antibíblicas da herética Confissão Positiva, como “eu decreto…”, “eu declaro…”, “eu tomo posse…”
Farto de ouvir a expressão “em nome de Jesus” ser usada como “abracadabra”.
Farto de conselhos de presbíteros que tratam pastores como funcionários.
Farto de pessoas que nunca leram a Biblia quererem ficar ensinando cristianismo a partir de experiências pessoais.
Farto de gente que diz “eis que te digo” sem que Deus tenha dito nada.
Farto de blogueiros aspirantes a palestrantes que querem se promover para serem convidados a falar em conferências teológicas.
Farto da vaidade gospel.
Farto de cantores gospel sem nenhum compromisso com o Evangelho.
Farto de letras de musicas gospel que em vez de exaltar Deus ficam pedindo a Ele para nos saciar após ter um romance conosco e abominações parecidas.
Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.



Estou farto. Basta.
Basta de pastores que tratam a membresia como se fosse propriedade sua.
Basta de membros que vivem detonando seus pastores pelas costas.
Basta de pastores-poetas inventores de falsos evangelhos que destituem Deus de sua soberania.
Basta de cristãos preguiçosos que dizem que estudar Teologia deixa o crente frio.
Basta de teólogos que não vivem na dimensão do sobrenatural de Deus.
Basta da Teologia Liberal e seus absurdos.
Basta de se preocupar mais com o número de membros do que com a qualidade dos membros.
Basta de apelos que forjam falsas salvações só porque alguém foi à frente e levantou a mão.
Basta de achar que discipulado são meia dúzia de aulas sobre a fé, em vez de uma longa caminhada pessoal do cristão maduro com o novo-convertido.
Basta de impostações artificiais de voz na hora da pregação, simulando autoridade divina.
Basta de gente que sobe ao púlpito para fazer propaganda de livros, CDs e DVDs.
Basta de gente que nunca pegou um livro de História da Igreja e quer discutir sobre a Igreja dos nossos dias, repetindo os mesmos erros do passado.
Basta de jovens cristãos cheios de testosterona que querem revolucionar a Igreja mas não sabem de cor nem ao menos o fruto do espírito, os Dez Mandamentos ou os Profetas Menores.
Basta de achar que combater o diabo é mais importante que proclamar Cristo.
Basta de achar que o diabo manda mais na Terra do que Deus.
Basta de achar que algum pastor ou teólogo não possa falar enormes baboseiras bíblicas só porque ele tem mais followers no twitter ou amigos no Facebook.


Basta. Estou farto.
Estou farto de gente que fala mal de seus líderes pelas costas.
Estou farto do reteté vazio e sem sentido.
Estou farto de emergentes que acham que Jesus tem que dançar tecnopop para ganhar almas.
Estou farto do amor antibiico do universalismo.
Estou farto dos falsos Jesus ensinados por falsos mestres.
Estou farto de cristãos que condenam todos os pastores e todas as igejas porque tiveram uma ou duas más experiências.
Estou farto de cristãos que chamam outros de “fariseus” porque estes são obedientes ao que a Biblia diz.
Estou farto dos que dizem que Deus só é amor e fogem da verdade de que Ele também é justiça e se ira.
Estou farto de gente que constrói Deus segundo suas conveniências pessoais.
Estou farto de igrejas domésticas que acham que são mais autênticas só porque se chamam de “comunidades” e não pertencem a nenhuma denominação.
Estou farto de programas “evangélicos” na TV.
Estou farto da ignorância histórica que leva muitos a achar que o mal da Igreja são os templos.
Estou farto de gente que inventa que foi ao Céu ou ao Inferno para ganhar dinheiro vendendo livros ou dando testemunhos.
Estou farto de testemunhos e milagres inventados.
Estou farto de gente que acha que precisa “ajudar” Deus seja lá no que for.
Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.


Estou farto. Basta.
Basta de cristãos querendo aparecer na igreja.
Basta de disputas políticas de baixíssimo nível em Convenções de denominações religiosas.
Basta de cristãos que buscam o poder humano.
Basta de gente que acha que pode ser cristão e maçom ao mesmo tempo.
Basta de jovens que acham que sabem tudo sobre a fé sem nunca ter pego a Bíblia.
Basta de condenar ao inferno a ortodoxia cristã que segue o que o próprio Cristo defendeu.
Basta de fingir que o inferno não existe.
Basta de novas denominações.
Basta de uma suposta união de diferentes setores da igreja em torno não de assuntos espirituais, mas de objetivos humanos.
Basta de grupecos que racham com igrejas por se achar os bastiões da fé verdadeira.
Basta da ignorância histórica e bíblica de que leva a achar que a Igreja primitiva era perfeita.
Basta de fingir que nas catacumbas dos primeiros séculos de cristianismo não havia desenhos e imagens.
Basta de marxismo travestido de cristianismo.
Basta de neoliberalismo travestido de cristianismo.
Basta de gente que peca justificando-se com a graça de Deus em vez de cair chorando de arrependimento.
Basta de pregações de autoajuda.
Basta de unções diabólicas de 900 reais.
Basta de empresários gananciosos disfarçados de pastores.
Basta de falsos pastores que manipulam a boa-fé do povo para faturar em cima.
Basta de a Igreja querer se misturar com o Governo.


Basta. Estou farto.
Estou farto do cristão que acha que Jesus encarnou no mundo, morreu e ressuscitou só pra fazer ação social.
Estou farto de cristãos que acham que Jesus encarnou no mundo, morreu e ressuscitou para acabar com a miséria do país.
Estou farto de cristãos que acham que Jesus encarnou para nos fazer milionários.
Estou farto de cristãos que só pensam em dinheiro.
Estou farto de cristãos que usam a Igreja para ganhar dinheiro ilícito.
Estou farto de sacerdotes que traem tão excelente chamado para se candidatar a cargos políticos.
Estou farto de pastores que pedem dinheiro ao tráfico de drogas para erguer igrejas.
Estou farto de pastores que cedem os púlpitos para candidatos fazerem propaganda política.
Estou farto de cristãos discipulados por corinhos da moda.
Estou farto de crentes que prestam serviço sem dar nota fiscal.
Estou farto de seminaristas que colam na prova.
Estou farto de seminaristas que dizem não ter tempo para estudar mas nunca perdem o jogo de 4a feira à noite na TV ou a novela das oito.
Estou farto de programas de TV que se dizem evangelísticos mas que na verdade servem para vender produtos e divulgar igrejas.
Estou farto de celebridades gospel que usam a fama para faturar em vez de promover Jesus.
Estou farto de cristãos que acham que orar não basta, é preciso ser ativista.
Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.


Estou farto. Basta.
Basta de igrejas que se maqueiam de muderninhas pra atrair jovens.
Basta de raves gospel.
Basta de tratar o Evangelho Sagrado como se fosse “uma coisa maneira”.
Basta de dizer que “religião” é sinônimo de “religiosidade”.
Basta de palavras fora do contexto.
Basta de pregações fora do contexto.
Basta de dizer que a instituição igreja e institucionalização farisaica da fé são a mesma coisa.
Basta de cristãos que esquartejam o Corpo de Cristo em “nós somos os da graça” e “eles os da religião”.
Basta de pastores arrogantes.
Basta de crentes arrogantes.
Basta de achar que Cristo gosta que pastores berrem e esbravejem na TV.
Basta de marchas inócuas para Jesus.
Basta de louvor no volume máximo à noite incomodando toda a vizinhança.
Basta de crentes que ofendem o não cristão em nome de evangelismo.
Basta de contestar o dizimo bíblico.
Basta de adesivos com versículos bíblicos em carros que ultrapassam o sinal vermelho e fazem bandalhas.
Basta de achar que ser cristão é só ir ao culto.


Basta. Estou farto.
Farto de igrejas que investem seu dinheiro naquilo que não glorifica Deus.
Farto de pastores que usam o dízimo sagrado para fazer negócios que em nada dignificam o nome do Senhor.
Farto de cristãos que passam cheques sem fundos.
Farto de líderes que fazem propaganda de políticos em troca de benefícios materiais.
Farto de pastores que se preocupam mais com construção de paredes do que pastorear ovelhas.
Farto de um cristianismo mais ligado à terra que ao Céu.
Farto de barbaridades feitas em nome de anjos.
Farto de crianças pregadoras.
Farto do joio.
Farto do trigo abusador.
Farto de grupos de dança de igreja que só servem para agradar homens e atrapalham o culto.
Farto de músicos de igreja que se mandam eles pararem de tocar abandonam a igreja.
Farto de crente que gosta de aparecer.
Farto de haver tantas coisas ligadas à fé que me fazem estar farto com tantas coisas ligadas à fé.
Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.
.

Eu estou farto de gente que diz “eu estou farto” e “basta” mas não faz nada para mudar o que está errado.
.

Mas…



…meu consolo é que acredito piamente que Deus também está farto de tudo isso.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Como Pregar Para Não Converter a Ninguém



Deixe que seu motivo predominante seja assegurar sua própria popularidade.
Preocupe-se mais em agradar do que converter aos seus ouvintes.
Procure assegurar sua reputação como sendo um pregador famoso e diferente dos outros (para que todos o idolatrem e não prestem atenção na mensagem).
Fale com um estilo florido, enfeitado e inteiramente fora do alcance da compreensão da maioria das pessoas.
Seja superficial nas suas considerações para que seus sermões não contenham verdades suficientes para converter alguém.
Deixe a impressão de que se Deus é tão bom com todos, não enviará ninguém para o inferno.
Pregue sobre o amor de Deus, mas não fale nada a respeito da santidade do seu amor.
Evite dar ênfase na doutrina da completa depravação moral do homem para não vir a ofender o moralista.

C. H. Spurgion

terça-feira, 1 de novembro de 2011

PASTOR RECEBE UNÇÃO COM 12 LITROS DE ÓLEO

Vi esta publicação abaixo no blog Bereianos, o sujeito aí que o povo lá chama pastor, sem ter mais o que inventar perde um terno (deve ter muita grana para jogar um terno fora assim) e inventa uma unção dele mesmo na qual o resultado vai para a igreja (como sempre atrás de resultado). Os bajulas dele cegos, cumprem suas ordens e vejam por trás que têm uma religiosa supersticiosa que se ajoelha em atitude de reverência (a quem?). Depois ele inventa o mistério de ex-nihilo (uma expressão hebraica para traduzir criado a partir do nada) e acontece uma cena que me causa tristeza: ao ao seu comando as pessoas cegas guiadas por ele um cego começam a gritar .. apenas gritar.

"O pastor Antonio Silva, do Ministério Encontro com Deus de Arapongas/PR, ministrou um "culto profético" (?) invocando ao Deus de Arão e recebendo a unção de 12 litros de óleo. Isso mesmo! 12 litros de óleo! O dito "pastor" não ficou só breado ou bizuntado, mas ficou encharcado, igual aquele salgadinho do boteco da esquina.

No vídeo, que tem pouco mais de 3 minutos, mas o pastor aparece declarando que depois daquele dia a vida das pessoas que estavam ali presente seriam transformadas. “Dinheiro que nunca vem, salvação que nunca vem… demônios vocês estão derrotados pelo poder do nome do Deus de Arão”, diz o pastor antes de ser banhado em óleo. O maluco ainda envia para igreja um tal de “x-nilo” (WTF?). "E eu invoco, a partida de agora, x-nilo para toda essa igreja”.

Depois de ser ungido pelo 12 litros de óleo ele pede para a igreja tomar posse da unção. “De hoje a 13 dias o futuro de vocês serão garantidos diante do grande mistério de x-nilo, o Deus de Arão”, profetiza ele.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

domingo, 16 de outubro de 2011

Liberte-me com Misericórdia – Uma Canção de John Piper

O porquê de não ser igreja

Por Antognoni Misael
Há um ditado que diz que desde que o homem demarcou um território e disse: “este pedaço de terra é meu”, a igualdade social deixou de existir e evoluiu até os piores momentos da história.
Minha citação neste sentido serve de ponte pra parafrasear o seguinte: “desde que o homem inventou que igreja é templo, e não gente”, que a história da religião cristã desaguou nas mais escuras águas de sua história.
(Minha crítica aqui certamente não refere-se à generalização, mas com certeza a uma grande maioria)

A igreja é um lugar de unção / Enquanto que Cristo rompeu com o paradigma do lugar de espiritualidade.
A igreja é um lugar de prepotência / Enquanto que Jesus se fez o maior exemplo de humildade.
A igreja é um teatro / Enquanto que Cristo viveu o real e não encenou no madeiro.
A igreja é um comércio / Enquanto que Jesus reprovou o negócio em nome de Deus.
A igreja é um caserna de super-homens / Enquanto que a Bíblia é um livro cheio de doentes.
A igreja é esconderijo / Enquanto que deveria ser uma galeria aberta ao mundo.
A igreja é santuário / Enquanto que deveria reunir humanos santos.
A igreja é mais vigiar e punir / Enquanto que Deus é mais amor e misericórdia.
A igreja lida com estatística / Enquanto que Cristo lida com sentimentos.
A igreja convence / Enquanto que Deus converte.
A igreja apedreja / Enquanto que Cristo pedagogiza no perdão.
A igreja visa a forma / Enquanto que Deus visa a intenção.
A igreja é denominacional / Enquanto que Deus nem é evangélico nem muito menos católico.
A igreja se fragmenta / Enquanto que a IGREJA se solidifica
A igreja é uma invenção / Enquanto que a IGREJA somos nós. Eu e você.
________
*igreja = #denominação, #instituição (REPROVADO)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Vasos

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

UMA CARTA DO INFERNO

Martelo da Justiça, do Valdemiro Santiago! Por R$ 1000

Para combater a decisao da juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, que determinou o fechamento do templo da Igreja Mundial do Poder de Deus, o apóstolo suado aposta no Martelão da justiça "divina". Este bibelô pode ser adquirido pelo fiel mediante a modesta ofertinha de 1000 reais, depositados diretamente na conta da igreja.

Quer comprar?


domingo, 2 de outubro de 2011

Cinco motivos que tornam a música gospel brasileira de péssima qualidade



1 – Jargões e evangeliques: Dependem muito do mover, unção profética, movimento ou heresia que rola na boca dos profeteiros, pastores, auto proclamados apóstolos e testemunheiros que percorrem as igrejas por ai como uma praga que empesteia as mentes das pessoas usando sistemas, frases de efeito e palavras que chamem a atenção do publico. Por exemplo, as palavras adorador, vitória, adoração, chuva, fogo e por ai vai. Ou seja, muitos só seguem o modismo do momento quando compõem suas pérolas musicais. Escrevem qualquer coisa e colocam uma dessas palavras e está tudo certo eis o sucesso nas rádios.

2 - Comércio acima de tudo: Você imagina em sua inocência que os cantores gospel estão preocupados em evangelizar o Brasil através da música deles, edificar pessoas e ministrar as tais unções disso e daquilo. Então proponho uma questão simples para você. Faça um evento em sua igreja local que fica no subúrbio de sua cidade que mal tem grana para se manter, pagar o aluguel e outros compromissos. Ligue para qualquer cantor que toca na rádio e que seja de sua cidade para não ter desculpa de gastos com transporte. Você irá falar com a secretária ou assessoras dele. Explique a falta de grana e a necessidade da comunidade de ter um talento desses ministrando nela. O máximo que ele irá fazer para facilitar sua vida é mandar você vender uns quinhentos CD’s e isso não acontece só com cantores tem os testemunheiros que usam isso também na venda de DVD’s. Claro muitos vão dizer que isto faz parte do sustento e profissão deles. Mas peraí tocar uma vez ou outra em uma comunidade carente vai deixá-los tão desprovidos assim, não propor valores ou arrastar ofertas também os deixara mais pobres. O mercado gospel é grande e dá lucro muitos enriqueceram com isso. Pense o comércio tem mesmo que ser o principio de alguém que se auto intitula ministro, levita ou abençoador. Os tais ungidos servem a dois senhores? Estrelismo dos “ungidos” é um produto deste comércio também e gospel nada mais é que uma marca cheia de estratégias e tendências de mercado.

3 – Cópias descaradas do que existe de pior na música secular: Sabe aquela música que toca alto no som do seu vizinho chato e nos carros tunados que deixam qualquer um surdo. Músicas como Créu, Bonde do Tigrão, Luan Santana, os tecno bregas e por ai vai. Sei que tem gente gosta e até respeito quem gosta, mas o que acho estranho é fazer de tudo que tenha um suposto sucesso um equivalente gospel dando só uma ajeitada nas letras colocando um Jesus ali, um céu no lugar de créu, um “vem orar que o irmão vai te ensinar”. Ontem minha esposa se espantou ao ouvir a rádio; estava tocando forró universitário gospel. Pelo menos pra mim não é espanto já que o comércio está acima de tudo. O problema maior não é o tipo ou o gênero da música, mas o problema maior são os aproveitadores que copiam descaradamente se aproveitando dessa falsa bolha protetora que se criou chamada de mundo gospel. Onde os crentes para não passarem vontade em requebrar em um funk desses bondes que existem recorrem ao seu equivalente gospel.

4 – Falta de Criatividade e Novidade: Uma coisa leva a outra. Se eu sou criativo tenho novidades para apresentar em minha arte, simples assim. É claro que o processo criativo custa estudo e tempo, é bem mais fácil usar jargões e copiar o que existe no mercado secular e que já é sucesso ou ainda se pode pegar a rabeira do “sucesso” que já toca nas rádios gospel e copiar descaradamente, como copiam até a entonação de voz entre eles. Estava ouvindo uma música agora a pouco que estava tocando em uma rádio e estava em dúvida entre uns três cantores que cantam iguais. Lembro que antigamente as músicas no meio cristão eram inovadoras e até referencia para muita gente que estava no meio secular. Um grande exemplo fora do país foi Ray Charles que buscou na música gospel negra e sulista americana uma fonte para suas músicas. Sem criatividade e novidade a música gospel brasileira não poderá ser referencia para ninguém, nem mesmo pode ter um espaço ou relevância cultural no país e muito menos pode ser considerada contra-cultura. O cristão tem uma fonte de inspiração incalculável, inesgotável e cheia de vida que é própria Palavra em todos seus aspectos espirituais. Usar isso bem inova e inspira vida nas pessoas.

5 – Salvacionismo: Este tipo de coisa não é o zelo ou amor por almas, mas tem muito mais a ver com prepotência, antropomorfismo e auto-realização. Ou seja, muitos cantores gospel criam uma música e crêem que por ela muita gente será salva, curada, liberta magicamente e quase instantaneamente. Muitos cantores se acham os salvadores e libertadores do Brasil e creio que eu não estou exagerando em dizer isso. Talvez seja culpa nossa onde por preguiça, desinteresse ou mesmo inocência de algumas pessoas, deixamos de ter iniciativa própria em buscar a Deus, crescer em sua palavra e exercer nossa fé diariamente. Erguemos a carreiras e endeusamos estes cantores, os elevamos a patamares intocáveis e confundimos troca de experiências, testemunhos verdadeiros com tietismo.

Contudo, sempre existem as exceções e espero que possamos reconhecer essas exceções. Também existe muita gente boa fora da mídia e do mundinho gospel, hoje temos a internet como aliada para poder garimpar estes talentos. Sem contar que proibições de ouvir músicas seculares hoje só são desculpas para proteger o mercado gospel. Coisa que creio ser prejudicial ao próprio mercado tornando-o escravo de si mesmo e o implodindo em mediocridade e ganância. Existem músicas seculares ótimas e tenha certeza que você não irá para o inferno ao ouvi-las. Pelo menos para mim música tem a ver com sentimentos se você sente amor ouvirá músicas que fala disso se você odeia ouvira música que professam o ódio. Bom senso, bom gosto musical é uma variável muito grande, então aproveite o que tem de melhor por ai.

Fonte: Lion Of Zion

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

CULTO EGOCÊNTRICO

A Paz do Senhor irmãos, acabei de sair de um culto no qual muito das vezes sempre estudei sobre esses cultos , cultos nos quais as pessoas utilizam a bíblia para liberar promessas e falar para a igreja que “ VOCÊS SÃO CONQUISTADORES” .
O texto usado nesse culto foi Josué 13:01 “Era, porém, Josué já velho, entrado em dias; e disse-lhe o SENHOR: Já estás velho, entrado em dias; e ainda muitíssima terra ficou para possuir”.
A Pregadora da noite leu o texto e começou a sua pregação, amados irmãos foram quase quarenta minutos de puro egocentrismo, falando para a igreja que vocês tem muito o que conquistar e não podem parar, dizendo que Deus está preparando a sua vitoria, deixa já te dizer uma coisa meus amados irmãos, Deus já preparou a sua e a minha vitoria e ela está na cruz do calvário, porque foi na cruz que Jesus Cristo venceu a morte por mim e por você essa é a nossa vitoria.
Em um certo momento do culto chegou a falar que esse versículo era um promessa de Deus para nós, isso me deixou muito irritado, porque se nos olharmos até o sexto versículo nele mostra as terras que faltava para serem conquistadas por Josué e não por nós.
Js 13:1-6 (1) Era Josué já velho e avançado em anos, quando lhe disse o Senhor: Já estás velho e avançado em anos, e ainda fica muitíssima terra para se possuir. (2) A terra que ainda fica é esta: todas as regiões dos filisteus, bem como todas as dos gesureus, (3) desde Sior, que está defronte do Egito, até o termo de Ecrom para o norte, que se tem como pertencente aos cananeus; os cinco chefes dos filisteus; o gazeu, o asdodeu, o asqueloneu, o giteu, e o ecroneu; também os aveus; (4) no sul toda a terra, dos cananeus, e Meara, que pertence aos sidônios, até Afeca, até o termo dos amorreus; (5) como também a terra dos Gebalitas, e todo o Líbano para o nascente do sol, desde Baal-Gade, ao pé do monte Hermom, até a entrada de Hamate; (6) todos os habitantes da região montanhosa desde o Líbano até Misrefote-Maim, a saber, todos os sidônios. Eu os lançarei de diante dos filhos de Israel; tão-somente reparte a terra a Israel por herança, como já te mandei.
Foi um culto totalmente voltado para a terra , hora nenhuma falou a igreja sobre salvação, cruz , arrependimento, negar a si mesmo, e sim você pode , é seu , você tem direito, você é um conquistador , e essa ultima foi falada muitas vezes.
Fico mais triste ainda por saber que temos ótimos pregadores na igreja e que eles ficam no banco muita das vezes ouvindo (e me desculpe a palavra) esse lixo de pregação no qual o homem é o centro e não Cristo , enquanto esses que estão no banco só conseguem enxergar Cristo nas mensagem e o homem como um pecador e que carece da misericórdia de Deus.
Amados eu deixo aqui esse pequeno desabafo e em nome de Jesus Cristo vamos estudar a palavra e não mais ler , e vamos começar a analisar a mensagens que temos ouvido para que não venhamos a ser enganados, não quero taxar a pregadora como uma falsa profeta, mais que Deus tenha misericórdia de sua vida e que ela possa verdadeiramente encontrar a palavra verdadeira a ser pregada nos cultos que é Cristo o principio , o meio e o fim da mensagem e não o homem, os cultos tem que ser Cristocêntrico e não egocêntrico.

Que Deus abençoe a todos

Por : Alessandro Silva

O Mistério dos Bolaines Do Mar Morto



Franklin Moura

Há milhares de anos, surgiu no sul de Israel uma depressão enorme, de aproximadamente 80 quilômetros de comprimento por 18 quilômetros de largura, com uma profundidade insondável, que desce aos abismos da Terra. Como naquele lugar ficavam as antigas cidades de Sodoma e Gomorra, teria sido tal depressão causada pelo fogo e enxofre que desceram do céu, fato confirmado até por Jesus? A verdade é que as outroras campinas verdejantes da região transformaram-se em um paisagem estéril, sem vida, e com uma altíssima concentracão de sal, como nunca se viu em qualquer outro lugar do mundo!


Como que para ocultar aquele enorme buraco – considerado o lugar mais baixo da Terra –, Deus fez com que, por milhares de anos, o Rio Jordão despejasse ali as suas águas doces, até que se formasse um enorme lago com a mesma extensão da depressão: 80 km. Porém, como a concentração de sal ali é altíssima, toda água trazida pelo Rio Jordão é imediatamente transformada em uma água imprestável, dez vezes mais salgada do que a água de qualquer oceano


Naquelas águas salgadas, nem mesmo a mais resistente bactéria consegue sobreviver. Qualquer peixe eventualmente transportado pelas correntezas do Rio Jordão morre assim que desagua neste lago de morte. Por isso aquele imenso lago é chamado de Mar Morto.Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço das suas águas e, a cada ano, encolhe um metro. Ou seja: literalmente, o Mar Morto está morrendo!

Na década de 80, o primeiro-ministro de Israel, Menahem Begin, preocupado em salvar o Mar Morto, projetou transportar as águas do Mar Mediterrâneo através de dutos, e despejá-las no Mar Salgado, para reabastecê-lo. Mas o projeto foi abandonado por ser muito oneroso e politicamente impraticável, já que os dutos teriam de passar por dentro de centenas de montanhas e também por territórios hostis a Israel. Desde então, o Mar Morto continuou morrendo, sem que os geólogos, ambientalistas e cientistas pudessem fazer qualquer coisa, a não ser assistir à sua lenta extinção!

Porém, de alguns anos para cá, de maneira inexplicável, BURACOS MISTERIOSOS, com cerca de 30 metros de diâmetro por 7 de profundidade, começaram a surgir nas praias salgadas do Mar Morto e, de dentro deles, surpreendentemente, ÁGUAS PASSARAM A TRANSBORDAR! Águas que, apesar de brotarem de um solo extremamente salgado, CONSERVAM-SE DOCES E SAUDÁVEIS! Estes “bolaines” - porque assim estão sendo chamados – multiplicaram-se, e hoje há centenas e centenas deles! E todos brotando e transbordando águas doces, QUE ENCHERÃO O MAR MORTO DE VIDA! A Ciência não tem uma explicação para isto, mas a Palavra de Deus tem! Ezequiel 47 tem a resposta.



sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O que a Bíblia diz a respeito do culto pentecostal?

Se, por um lado, há heresias e modismos pseudopentecostais na igreja brasileira, observo que, por outro, existe o antipentecostalismo, cujos proponentes verberaram impiedosamente contra os cristãos pentecostais, a ponto de os tacharem — com “ch” mesmo! — de ignorantes, analfabetos e hereges.

Todos sabem que sou pentecostal. Pertenço à Assembleia de Deus desde os meus 15 anos. Creio na atualidade da manifestação multiforme do Espírito Santo, conforme 1 Coríntios 12.4-6, passagem que menciona a diversidade de dons, ministérios e operações do Consolador. E, por isso, neste quarto artigo, quero mostrar o outro lado da moeda: o antipentecostalismo.

Nos artigos anteriores, mostrei que o pseudopentecostalismo é uma aberração. Mas abraçar o antipentecostalismo é outro grande erro. Respeito os irmãos cessacionistas. Tenho amigos que pertencem a igrejas que não aceitam o culto pentecostal, convivemos pacificamente e até participamos de eventos evangelísticos, literários, etc. O que é inaceitável é ver uma parte dos cessacionistas — pequena, na verdade — verberarem contra a centenária Assembleia de Deus e outras igrejas pentecostais, associando-as ao pseudocristianismo.

Os antipentecostais, sem fazer nenhuma distinção, dizem que os pentecostais não obedecem às Escrituras. Asseveram que a promessa do revestimento de poder do Espírito foi apenas para os dias dos apóstolos. Mas, não estão eles ignorando passagens claras da Palavra de Deus, como Joel 2.28,29, Lucas 24.49, Atos 2.39, 1 Coríntios 12-14, 1 Tessalonicenses 5, etc.?

Não devemos abrir mão da sobrenaturalidade do verdadeiro Evangelho, expressa mediante dons, ministérios e operações que se manifestam na Igreja (e não apenas no culto), os quais são descritos com muita clareza no Novo Testamento. Por que os antipentecostais insistem em afirmar que as línguas e a profecia cessaram? É pecado falar em línguas? Pecado é zombar, escarnecer do que a Palavra do Senhor apresenta como manifestação proveniente do Espírito, desprezá-la ou fazer mau uso dela (1 Co 14; 1 Ts 5.19-21).

Citando Paulo, os antipentecostais asseveram que “havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas cessarão” (1 Co 13.8). Ora, esse apóstolo disse isso depois de enfatizar que nada teria valor sem o amor de Deus, derramado em nossos corações pelo Espírito Santo (Rm 5.5). Línguas, profecias, ciência e fé perdem o sentido sem o amor (vv.1,2). Se não tivermos o amor de Deus, “havendo ciência, desaparecerá” (v.8), isto é, ela não terá valor algum. Mas nenhum dos opositores do Movimento Pentecostal afirma que a ciência desapareceu...

E, quanto à fé? Caso não haja o amor, com certeza ela “desaparecerá”, posto que o fruto do Espírito gerado em nós molda o nosso caráter, fazendo com que virtudes eficazes se manifestem com o amor, primeiro elemento desse fruto (Gl 5.22; 1 Co 12.31; 13.1). Todos os outros “gomos” são diferentes expressões dessa preciosa virtude: gozo é o amor regozijando-se; bondade, o amor em ação; fé, o amor crendo; e assim por diante (Ef 5.9; 2 Pe 1.5-9; Cl 3.12-16).

Quanto ao batismo com o Espírito — que é diferente de ser batizado no Corpo de Cristo pelo Espírito (cf. 1 Co 12.13) —, trata-se de um revestimento de poder para o cristão (Lc 24.49; At 1.8). E a promessa desse poder diz respeito “a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar” (At 2.39). Um revestimento se aplica a quem já está vestido, não é mesmo?

Eu sei que, para os antipentecostais, é difícil abrir mão da interpretação — equivocada — de que as línguas mencionadas em 1 Coríntios 14.18 eram idiomas aprendidos neste mundo, como hebraico ou grego. Mas, em 1 Coríntios 14.2, está escrito: “Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios”. Se as línguas estranhas são idiomas aprendidos, por que ninguém as entende?

Se as línguas mencionadas por Paulo são deste mundo, por que ele disse que é preciso orar para interpretá-las? Observe: “ore para que a possa interpretar” (1 Co 14.13). Além disso, o termo “mais” (gr. mallon) indica que Paulo falava em línguas mais frequentemente (e não em mais idiomas) que os crentes de Corinto.

Sabemos que há falsificadores da Palavra (2 Co 2.17), mas abrir mão do poder do alto por causa dos falsos profetas é privar-se das armas da nossa milícia, que não são deste mundo (Lc 10.19; 2 Co 10.4). Lembremo-nos de que, no Novo Testamento, há três nãos que não podemos ignorar: “não proibais falar línguas” (1 Co 14.39); “Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias” (1 Ts 5.19,20).

Definitivamente, não é um bom caminho fazer pouco caso dos sinais, prodígios e maravilhas que o próprio Senhor Jesus apresentou como o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.15-20; At 4.30,31; 8.13).

Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 13 de setembro de 2011

CORRA! Carter Conlon

Qual a diferença?

Por: Alessandro Silva

A paz do Senhor irmãos. Esse eu nem vou comentar, Deus abençoe a todos.


domingo, 11 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011

Movimento Pentecostal

Por: Alessandro Silva

Mais uma vez venho bater na mesma tecla, será que tudo o que tem acontecido na Igreja é da parte do Espírito Santo. Veja o vídeo abaixo e tire suas próprias conclusões.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Paul Washer - Fortalecidos pelo Poder do Espírito Santo

Leia o estudo abaixo primeiro antes de ver o video.

Será que Deus mudou?

Por: Alessandro Silva

O Acampamento de Israel





Moisés haviam aproximadamente 600.000 homens e também mulheres e crianças que deixaram o Egito no êxodo. Eles saíram do Egito em grau e registraram como foram as suas jornadas no deserto e o acampamento das doze tribos ao redor do Tabernáculo, em locais especificados pelo Senhor.

Ex 12:37-38 "Assim partiram os filhos de Israel de Ramessés para Sucote, cerca de seiscentos mil a pé, somente de homens, sem contar os meninos. E subiu também com eles muita mistura de gente, e ovelhas, e bois, uma grande quantidade de gado."

As Doze Tribos

Cada uma das doze tribos teve uma área específica do acampamento para habitar. Quando os seus antepassados tinham partido ao sul rumo ao Egito aproximadamente 400 anos antes, eles tinham constituído uma família de doze tribos, cada uma encabeçada por um dos filhos de Jacó, que foi chamado por Deus de Israel. Enquanto eram escravos no Egito, eles preservaram as suas divisões familiares, e durante os anos as famílias dos doze filhos transformaram-se em famílias tribais ou tribos. Um bom exemplo está em Josué:


Js 7:14 " Amanhã, pois, vos chegareis, segundo as vossas tribos; e será que a tribo que o SENHOR tomar se chegará, segundo as famílias; e a família que o SENHOR tomar se chegará por casas; e a casa que o SENHOR tomar se chegará homem por homem."

As suas Posições

As doze tribos, em grupos de três, eram divinamente colocadas a uma certa distância ao redor do tabernáculo. Quatro das tribos - Judá, Rúben, Efraim e Dã - foram reconhecidas como líderes tribais. Cada uma teve seu próprio estandarte ou bandeira que os identificava como cabeça das tribos, enquanto as outras tribos tiveram suas insígnias, uma bandeira menor.


É importante notar que o Jacó (o patriarca das 12 tribos) tinha profetizado que a posição sênior em sua família pertenceria à tribo de Judá:

Gen 49:10 "O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos."

Judá ocupou a maior área que estava na face oriental da entrada do tabernáculo, atrás das tendas de Arão. À sua direita, estava a tribo de Issacar e ao outro lado Zebulom. O próprio tabernáculo sempre foi encontrado no centro do acampamento, com as tendas das várias tribos dispostas à uma certa distância. Judá (com Issacar e Zebulom) numerou 186.400 homens. Rúben (com Simeão e Gade) estava ao sul com 151.450 homens. À Oeste estava Efraim (com Manassés e Benjamim) numerando 108.100 homens. Ao norte estava Dã (com Aser e Naftali) numerando 157.600 homens. Isto trouxe uma soma total de 603.550 homens acima de vinte anos. Não incluindo a tribo de Levi.


Num 2:2 "Os filhos de Israel armarão as suas tendas, cada um debaixo da sua bandeira, segundo as insígnias da casa de seus pais; ao redor, defronte da tenda da congregação, armarão as suas tendas."

Cada tribo teve uma bandeira específica:






A Tradição Judaica acredita que as bandeiras das tribos eram como se segue:

Judá- Leste (Leão de ouro com fundo escarlate).
Efraim - Oeste (Boi negro em fundo dourado).
Rúben- Sul (Homem em dourado).
Dã- Norte (Águia dourada em fundo azul).


A Tribo de Levi (A Tribo Consagrada)

Embora existam as doze tribos de Israel, nós notamos que existem treze nomes quando identificamos as suas posições no acampamento. Isso é por causa do privilégio especial dado à tribo de Levi quando eles apoiaram Moisés e se colocaram ao seu lado e "ao lado do Senhor", quando Israel se rebelou. Daquele momento em diante eles foram ordenados separados para o serviço do Senhor e estabelecidos como a tribo sacerdotal.


Isto teria deixado apenas onze tribos, mas a grande tribo de José que consistia em seus filhos Efraim e Manassés, foi dividida em duas. Cada um foi considerado como uma tribo individual. A tribo de Levi não só fôra leal, ao envolver-se em um ato de dedicação, mas também em um de substituição. Naquela noite de terror no Egito, quando foram mortos os primogênitos de todas as famílias egípcias, os primogênitos dos filhos de Israel foram preservados porque um cordeiro morreu em substituição para com eles. Assim que isto aconteceu, Deus chamou Moisés para consagrar todos os primogênitos, e os que nasceriam no futuro, para o serviço d'Ele. Eles tinham sido salvos da morte enquanto aqueles ao redor deles haviam morrido. Dali em diante, eles seriam separados para o serviço de Deus.


Mas quando os Levites foram escolhidos como a tribo consagrada, eles tomaram o lugar de cada primogênito das famílias de Israel, em um ato de substituição.

Moisés e o seu irmão Arão dele pertenciam à tribo de Levi, o terceiro filho de Jacó. Levi teve três filhos; Gerson, Coate, e Merari. Moisés e seu irmão vieram da família de Coate. Tendo escolhido Moisés para ser o líderdo Seu povo, Deus deu uma maior honra à família de Coate, escolhendo Arão para ser o primeiro dos seus sacerdotes, e em seguida somente os descendentes de Arão poderiam servir como sacerdotes e representar o povo de Deus.


O restante dos homens de Levi, conhecidos como Levitas, foram encarregados com o cuidado do santuário. Esta era uma tarefa santa que ninguém mais em Israel pôde participar. Apenas os Levitas poderiam levar o tabernáculo e a sua mobília quando o acampamento estava em marcha. Quando eles repousavam, somente eles trabalhavam para montar o santuário, e ajudar os sacerdotes (os filhos de Arão) em seu trabalho.

O Acampamento dos Levitas

Acampados logo após o tabernáculo estavam as tendas dos Levitas. O Levitas executavam os deveres sacerdotais e então eram mediadores entre Deus e o povo. A tribo de Levi foi dividida em quatro famílias. As suas tendas ficavam entre o tabernáculo e o povo, uma família em cada lado. Os Coatitas no lado sul com 8.600 homens. Os Gersonitas ao ocidente com 7.500 homens. O Meraritas ao lado norte com 6.200 homens. Ao lado oriental estavam as tendas de Moisés, Arão o sumo sacerdote, e os sacerdotes, filhos de Arão.


Deus estava acampado no centro

Um Tipo de Cristo e do seu povo

Deus acampa com o seu povo. O plano de Deus sempre foi de morar em nós e ser o nosso Deus. Ele nos conduz, ele nos quer e Ele fala a nós com a voz suave de um marido que está desesperadamente apaixonado pela sua noiva. As bandeiras de cada tribo apontavam para a real bandeira de Deus, Jesus Cristo. As quatro faces e as quatro cores falam d'Ele. Ele é o nosso estandarte. O Senhor é chamado Jeová Nissi (O Senhor é a nossa bandeira). Como o Levitas se levantavam entre o homem e Deus, assim Jesus Cristo se levanta entre o homem e um Deus santo e irado, para ser um Mediador, e trocar a vingança pela clemência. O cristão nunca verá a ira da parte de Deus. Ele é nosso Pai, nosso Marido e nosso Amigo.


João 17:22-23 " E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.
Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim."

João 6:28-29 "Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. "

Heb 7:22-25 " De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador. E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles."



Agora o porquê de colocar todo este estudo, de mostrar a forma como Deus organizou o seu povo no deserto, cada tribo no lugar especifico a forma de que cada tribo se levantava primeiro como a palavra do Senhor nos mostra para se locomoverem no deserto. Para um único fim que coloquei esse pequeno estudo, será que Deus mudou na sua forma de organização? Parece que sim, falo isso por causa de certas manifestações que dizem ser do Espírito Santo, manifestações na qual as pessoas ficam gritando e rolando no chão, pessoas que chegam a colocar a mão nos ouvidos e começam a gritar histericamente mais parecendo uma possessão demoníaca, pessoas que dizem perder o controle totalmente do corpo quando dizem “ ESTAR CHEIAS DO PODER “ , eu não vejo um Deus tão organizado fazer isso, e com qual propósito Deus teria em colocar um bando de gente numa igreja para ficar gritando, pulando , rolando no chão e dizendo “ OLHA O MANTO” .
Porque se Deus organizou o seu povo de forma tão brilhante no deserto, porque hoje Deus deixa tudo de forma desorganizada, será o que estamos vendo realmente é tudo manifestação de Deus, eu não duvido que Deus renova as pessoas, mais as renova para pregar a palavra, não para mostrar mais o que parece ser um ritual pagão do que manifestação de um Deus tão organizado como o que vimos no antigo testamento.
Olha o que aconteceu com Elias , em um dia fazer descer fogo do céu , literalmente, e no outro dia olha o que diz o texto:

1 REIS 19: 1-7

1 E Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como totalmente matara todos os profetas à espada. 2 Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses e outro tanto, se decerto amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles. [2Rs 6:31];
3 O que vendo ele, se levantou, e, para escapar com vida, se foi, e veio a Berseba, que é de Judá, e deixou ali o seu moço. [Hb 11:34]; 4 E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já basta, ó SENHOR; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.
5 E deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro; e eis que, então, um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come. 6 E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.
7 E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque mui comprido te será o caminho. 8 Levantou-se, pois, e comeu, e bebeu, e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.

Ele pediu a Morte , do que adiantou tanto poder para descer fogo , se no outro dia teve que pedir a morte , mas olha o que o anjo disse no versículo 6.

E O QUE REPRESENTA COMIDA e BEBIDA NA BIBLIA “ É JESUS”

Jo 6:32-35 (32) Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo que Moisés não vos deu o pão do céu, mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. (33) Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. (34) Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. (35) E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede.


Então amados vamos ser cheios sim , mais da palavra de Deus , e do poder do Espírito Santo sim , para pregar a palavra com ousadia e não para encher nosso ego , que Deus abençoe a todos.

Mark Driscoll - Como o cristão deve lidar com críticos

Ei, o conferencista internacional vem aí!

Megalomania (Dicionário Houaiss)

Acepções
■ substantivo feminino
1 Rubrica: psicopatologia.
supervaloração mórbida de si mesmo; macromania

2 Derivação: por extensão de sentido.
predileção pelo grandioso ou majestoso; mania de grandeza

3 Derivação: sentido figurado.
ambição ou orgulho desmedidos

É trivial piadas sobre "novos ricos". O senso comum indica que aqueles antes pobres que ficam ricos de uma hora para outra manifestam a breguice misturada com a arrogância. No meio evangélico também há os "novos ricos", ou melhor, as "celebridades instantâneas" que abraçam o brega com o orgulho. Não é somente no meio musical, mas principalmente na "indústria da pregação". Os púlpitos, que deveriam levar as palavras da cruz, servem como o palco dos pequenos egos. Vejamos:

a) O conferencista internacional

Talvez o meio evangélico seja o maior produtor de "conferencistas", ou seja, aja assunto importante para debater! Na verdade, qualquer pregador que grita como o Galvão Bueno na hora do gol é chamado de conferencista, mesmo sem nunca ter pisado em uma conferência de fato. Além disso, não conformados com títulos, como "pastor" ou "evangelista", o megalomaníacos querem ser chamados de "conferencistas internacionais". Bobagem ou vaidade? As duas coisas. O sujeito prega na fronteira do Paraguai e já faz a autopropaganda de sua fama internacional. É muita besteira para descrever em pouco espaço.

b) O reverendo doutor Fulano da Silva

Quando alguém deve ser chamado de doutor? Apenas no ambiente acadêmico. É somente na academia que os títulos de pós-graduação fazem sentido e são necessários para identificar o padrão de uma aula ou conferência. Conheço vários doutores e não vejo nenhum deles ostentando tal título por aí. É somente na breguice de pregadores que compram diplomas falsos e que fazem questão de serem chamados "reverendos doutores" em qualquer circunstância. É simplesmente boçal.

c) A terceirização do elogio

Parece combinado ou talvez até seja. O pregador convidado enche o pastor local de elogios e o pastor local enche o pregador convidado de louvores. É uma babação de ovo sem fim. Cansa ouvir e ao mesmo tempo é constrangedor. Até parece conversa de deputados federais diante de uma entrevista na TV Câmara. Elogiar é parte de uma boa educação, mas tudo tem limite!

Certamente que a cultura brasileira é viciada em tais bobagens. Essas atitudes mostram a mundanização do meio evangélico, mas lembrando que o fenômeno não é recente.
Postado por Gutierres Siqueira

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Que música é essa?

Para quem tem de 30 a 40 anos vai se lembrar fácil, uma época em que a televisão ensinava as crianças, bons tempos os anos 80.




quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O Cálice amargo vem de Deus



Por Josemar Bessa

A vida do filho de Deus é cheia de dádivas e de perdas. Quando a visão de um Deus Soberano é perdida, é perdida toda condição de adoração contínua. Só podemos adorar ao contemplarmos as mãos de Deus agindo – necessário é então não ver muitas mãos mas apenas UMA Mão em todas as coisas.

Essa é a postura nobre de Jó ao se ajoelhar para adorar. Ele poderia ver muitas mãos agindo – Os Sabeus levando os bois e as cabras. O fogo que matou ovelhas e servos. Os Caldeus que roubaram os camelos. O vento que matou todos os filhos... Mas ao se ajoelhar a espada e todas as outras coisas foram ignoradas. O Patriarca reconheceu de forma que nossa época imatura não pode, uma única MÃO. Ele reconhece sozinho o “Senhor” – “O Senhor que deu e o Senhor que tirou”. Porque há tanta tristeza desnecessária, desespero, depressão, murmuração e condição nada cristã nos momentos de nossas tribulações e provações? Porque fixamos nosso olhar nas confusas rodas das causas secundárias dos eventos de nossas vidas.

E porque no momento que oramos – “Seja feita a tua vontade na terra como no céu” – não estamos de fato orando. Sofremos na tentativa de nos levantarmos nas ‘alturas para sustentar um argumento contra os procedimentos de Deus’.

Tapamos os ouvidos para não escutar “Sou Eu” – “Sucederá algum mal na cidade, sem que o SENHOR o tenha feito?” Amós 3:6. Haverá alguma gota amarga em nosso cálice que o Senhor não tenha acrescentado? O Senhor ama muito o seu povo para deixar ou confiar a qualquer outro seus interesses. Somos de fato barro nas mãos do Oleiro. Somos prata nas mãos do Refinador.

É Ele,e somente Ele que aponta os limites de nossa habitação. Deus é o autor tanto das misericordiosas dádivas quando das tristezas; do conforto e de nossas cruzes. Ele soprou sobre nossas narinas o fôlego de vida, e será a Sua convocação que chamará de volta o nosso espírito ( “A Deus que o deu” ).

Considere definitivamente sua própria vida e a vida de todas as pessoas queridas que te cercam como um empréstimo somente. Deus sendo o grande proprietário de toda a Sua Criação, quando entender ser o melhor momento, revoga a concessão, e toma o que sempre foi Seu.

Tudo que recebemos é misericórdia! Misericórdia concedida, misericórdia continuada dia a dia, e misericórdia no tempo certo, retida. Muitas vezes Ele tira para que Ele mesmo – e só Ele devia ter esse lugar – possa preencher o vácuo do coração com Sua presença toda-suficiente e inefável amor. Suas dádivas não compensam Sua falta; mas Sua presença compensa a perda de todas as dádivas. Compensa infinitamente mais todas as nossas perdas.

Vamos confiar e nos deleitar no amor e fidelidade do “Deus que dá” – Vamos deixar o mundo ver nossas vidas brilharem em beleza como um arco-íris em meio as nuvens de tempestade do “Deus que tira”. Só assim o mundo poderá ver quem é infinitamente precioso para nós. “O Senhor deu e o Senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1.21).

Oremos como Cristo: “Sim, ó Pai, pois assim pareceu bem aos teus olhos!”.

Línguas estranhas e o livro de Atos dos Apóstolos

Por Paulo Brasil


Apesar de agora estar nas prateleiras mais baixas do expositor das habilidades evangélicas, o dom de línguas por muito tempo representou o ápice de “poder e comunhão” com Deus.

A cada urro vindo do púlpito - ou de qualquer lugar - despertava um intenso frenesi na multidão, que ávida por demonstração de poder, espraiavam suas “línguas estranhas” trazendo a euforia necessária – carnal - para reverberação dos “linguálatras” em meio a assembleia.

A reverência e a proclamação da palavra submetiam-se a balbúrdia circense em que era tomado o “culto a Deus”. Cada um fazia conforme seu próprio espírito concedia: gritos, gargalhadas, abraços, choros, dispunham da euforia em nome de Deus.

Nas mentes - e nos corpos suados - exalavam a soberba que, sem meias palavras, vociferavam o diagnóstico de morte a tudo que respirava ordem e decência.

Hoje, (espero, mas não sei) apenas um remanescente sobrevive ostentando a manutenção de tais poderes, a grande maioria daqueles “homens de deus” partiu para outro nicho espiritual ou mesmo volveu-se ao próprio vômito.

São modismos evangélicos que fazem plantão em busca de "avivamento". Quem não lembra dos dentes de ouro? Da bênção de Toronto, com suas gargalhadas e quedas santas? A bolsa de valores M&M (Malafaia e Murdock) atribuindo o valor da alma humana? Fogueira santa? e muitos outros.

Percebe-se que o espírito de Balaão - a necessidade de projeção pessoal, o enriquecimento fácil e o desconhecimento do caráter de Deus - está presente em nosso meio, e ele contribui significativamente para essas e muitas outras “esquisitices evangélicas”.

Sim, mas e o dom de línguas como experimentam e ensinam os pentecostais procede das Escrituras?
Mister é questionar: As Escrituras oferecem suporte a tal prática? O que elas dizem sobre tal manifestação? Vejamos o dom de línguas nas páginas do livro de Atos dos Apóstolos.

O Livro de Atos inicia com uma sequência frenética de eventos: Há o mandamento do Senhor; a promessa de um novo batismo pela vinda do Espírito Santo; sua subida aos céus; a eleição do substituto do Apóstolo Judas; e por fim a vinda do Espírito conforme a promessa. Não sabemos em quanto tempo se deram esses fatos, mas é inegável o turbilhão da narrativa.

São desdobramentos que neste Livro se iniciam, outros são apenas sequências retomadas, portanto, iniciadas em pontos anteriores do texto sagrado.

Temos que nos curvar frente algumas necessidades:

1. Precisamos empreender cuidadosa leitura, como em um novelo de linha emaranhado, puxando linha após linha, encontrando sua sequência correta, até podermos vê-lo como novelo, um único fio. Assim, chegaremos a um veredicto que harmonizará os temas retomados ou iniciados aqui. Chegando a única verdade, e essa reflita o caráter e o propósito de Deus.

2. Precisamos de discernimento - grandeza de alma e humildade de coração - pois muitos são os enganos e falácias destes dias maus, e nossos corações tendem a cooperar com o presente século mal.

3. Precisamos de coração renovado e que o Ajudador prevaleça e as Escrituras forjem nossas mentes.

“Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne, pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo”; (2 Co 10:3-5)

E podemos afirmar que afinal temos a mente de Cristo (1 Co 2.16)

Comecemos pelo v. 4 onde fala a respeito da PROMESSA DO PAI dita aos Apóstolos. Que promessa é referida pelo Senhor? Obtemos a resposta no v.5:

“Porque, na verdade, João batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias.”

A promessa compreendia um “batismo diferente do batismo de João”, pois diz: "sereis batizados no Espírito Santo".

Há, portanto, a correspondência entre a promessa a ser cumprida - o batismo no Espírito - e o batismo que João vinha realizando em Israel.

Essa correspondência está presente em todos os Evangelhos. João, o batista, garante-nos que seu batismo com água seria substituído pelo batismo com Espírito e com fogo (Mt 3.11; Mc 1.8; Lc 3.16; Jo 1.33).

“Eu, na verdade, vos batizo em água, mas vem aquele que é mais poderoso do que eu, de quem não sou digno de desatar a correia das alparcas; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”. (Lc 3.16).

Mas já àquela ocasião o cerimonial de João se mostrava transitório. João antecipa-se afirmando sua saída do cenário que se iniciava.

"É necessário que ele cresça e que eu diminua". (Jo 3:30)

Logo João é preso (Jo 3.18-20 e Mt 4.12) encerrando seu ministério. Essa transitoriedade logo se fez notar.
Foi por curto espaço de tempo que João e Jesus caminharam juntos. O desconhecimento por parte de João sobre o que se cumpria em Jesus reflete esse tempo. Talvez, por isso sua dúvida a respeito se Jesus seria mesmo o Cristo (Mateus 11).

Cumprido o ministério de João, o que ocorreu com o seu batismo?
Em João 4.1-2, lemos que:

“Jesus, fazia e batizava mais discípulos do que João (ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos)”.

Não temos motivos para acreditar que o batismo dos discípulos do Senhor diferisse da forma ou propósito do batismo de João. Os discípulos de Jesus passaram a batizar o “batismo de João”, familiarizados ficaram com o ritual.

É necessário resgatar o propósito do batismo iniciado por João: para que o Messias fosse manifestado a Israel (Jo 1.31).

O batismo de João está inserido na moldura do anúncio do Messias, portanto o batismo de João faz parte da revelação do Senhor Emanuel - Deus conosco - para Israel.

Que importância há no fato do batismo de João servir para anunciar Jesus para Israel? Toda, pois esse propósito foi estendido para o batismo anunciado pelo Senhor.

Leiamos pois.

Ao anunciar-lhes o batismo no Espírito Santo diz:

“mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias” (1.5)

E depois, ainda sobre o batismo diz (1.8):

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-is testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria,e até os confins da terra”.

O batismo no Espírito Santo capacitaria aos discípulos para testemunhar de Cristo em Jerusalém, na Judeia, Samaria e até os confins da terra.

Apenas pela completa falta de temor e honestidade é possível esquivar-se que o batismo no Espírito Santo é infusão de poder nos discípulos para testemunhar de Cristo por toda a terra.

Há, portanto, uma correlação de propósitos entre os dois batismos: anunciar a Jesus, e agora por toda a terra. Esse ponto é a identificação e harmonia do novelo de linha.

Não me aventuro a afirmar que naquele momento tais características estivessem perfeitamente claras para os discípulos do Senhor, mas prossigamos em conhecer o Senhor.

No Livro de Atos dos Apóstolos, cap. 2.4, está escrito sobre a chegada do Espírito Santo:

“todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas segundo concessão do Espírito Santo”;

Não há dúvidas: a vinda do Espírito Santo proporcionou aos discípulos "falar em outras línguas". Temos aqui um questionamento oportuno: Qual a natureza da língua falada - seria humana, seria angelical? No v. 11 há o testemunho:

“como os ouvimos falar em nossas próprias línguas?”

Nos vv. 8-11 lemos os termos: “língua que nascemos”; “próprias línguas”. Há a citação de pelo menos 12 etnias ou povos neste contexto.

A despeito do detalhe exegético que envolve o termo “línguas”, o registro é de idiomas humanos.

Sobejam razões – textuais e lógicas - para afirmarmos que naquele evento - dia de Pentecostes - cumpriu-se a promessa do Pai (1.5; 2.4; 3.33-34): o batismo no Espírito Santo. Como resultado deste batismo, os discípulos de Cristo passaram a falar em diversos idiomas humanos.

A corroborar com essa tese temos o cenário da época e a missão que estava sobre os ombros dos discípulos – anunciar a Cristo por toda a terra.

Considerando que os apóstolos eram todos judeus e que havia inúmeras nações debaixo do sol onde Cristo seria proclamado, é razoável e adequado que o Espírito Santo tenha capacitado aqueles homens a falar abruptamente em idiomas estrangeiros - das nações citadas textualmente.

As “línguas estranhas” no Livro de Atos dos Apóstolos nada mais são que idiomas humanos. O contexto, o texto, a lógica não permitem qualquer alusão a “línguas angelicais ou extáticas”.

Apenas o espírito de Balaão é capaz de prover a energia necessária para trocar a honra de Deus pela usura, carnalidade e impiedade que sustentam os dons “pentecostais”.

Extraído do blog http://atravesdasescrituras.blogspot.com/

domingo, 4 de setembro de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

UNÇÃO DE SANTIFICAÇÃO?



Depois de muito ler livros de “batalha espiritual”, eu estava começando a crer no óleo, principalmente diante dos textos altamente recomendado por esses autores, que se encontram em Êxodo 30:22-33 (o azeite da santa unção) e Êxodo 40:1-16 (o estabelecimento do tabernáculo):

“Assim santificarás estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nela será santo. Também ungirás a Arão e seus filhos, e os santificará para me administrarem o sacerdócio.” (Êxodo 30:29-30)

“Então tomarás o azeite da unção e ungirás o tabernáculo, e tudo o que há nele; e o santificarás com todos os seus pertences, e será santo. Ungirás também o altar do holocausto, e todos os seus utensílios; e santificará o altar; e o altar será santíssimo. Então ungirás a pia e a sua base, e a santificarás. Farás chegar também a Arão e a seus filhos à porta da tenda da congregação; e os lavarás com água. E vestirás a Arão as vestes santas, e o ungirás, e o santificarás, para que me administre o sacerdócio. Também fará chegar a seus filhos e lhes vestirás as túnicas, e os ungirás como ungiste a seu pai, para que me administrem o sacerdócio, e a sua unção lhes será por sacerdócio perpétuo nas suas gerações.” (Êxodo 40:9-15)

Uma metodologia bastante correta... de acordo com a lei! E aí está o grande problema! A Bíblia não pode ter sua cronologia ignorada e todas essas recomendações de procedimentos para santificação encontram um ponto final diante desse importantíssimo texto:

“Porque tendo a lei sombra dos bens futuros e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a ele se chegam. Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado. Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste; Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque, com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica; porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações e as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, já não mais oblação pelo pecado. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa. Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.” (Hebreus 10:1-23)

Que interessante! De acordo com o texto acima podemos concluir que:

*

O sacrifício de Cristo na cruz foi feito apenas uma única vez. Esse texto explica claramente que os sacrifícios do velho pacto (como, por exemplo, os relatados nos capítulos de 1 a 5 do livro de Levítico) não eram eficazes e muito menos agradavam a Deus (versos 6, 8 e 11)
*

Jesus Cristo é o grande sacerdote sobre a casa de Deus e, através de seu sacrifício único, nos santifica (versos 10 e 12-18), aperfeiçoando dessa forma as leis que deveriam ser cumpridas no Antigo Testamento.

Então, como posso eu depender de um tipo de óleo para santificar algo depois de conhecer essa verdade? Quem nos santifica é somente nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e isto está diretamente relacionado a outro fator importantíssimo, que faz parte do “legado” deixado por Ele. Vejam:

“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.” (João 7:37-39)

A afirmação que faço a seguir é bastante chocante, mas, baseado no texto acima, posso afirmar então que nenhum dos grandes personagens do Antigo Testamento teve uma experiência tão íntima com Deus quanto qualquer um que tenha nascido depois da glorificação de Jesus Cristo. Mesmo Moisés, que conheceu ao Senhor Face a Face (Êxodo 33:11; Números 12:7-8; Deuteronômio 34:10) não teve uma experiência conforme a descrita em Romanos 8:26-27.

Esse parágrafo é especulativo, mas eu penso que essa é a melhor explicação para o sangue nos umbrais de Êxodo 12, pois tal sinal se fez necessário para o reconhecimento de quem iria ser salvo ou não... afinal, ninguém ali tinha o Espírito Santo!

Os poucos personagens do Antigo Testamento que chegaram a ter um contato mais próximo com a experiência do Espírito Santo: ou foram escolhidos diretamente pelo próprio Deus, ou tiveram uma experiência momentânea ou então tiveram que ser ungidos para isto! Veja alguns dentre muitos exemplos:

*

Bezalel (escolhido por Deus) — Êxodo 31:2-3; Êxodo 35:31.
*

Eldade e Medade (momento) — Números 11:26. O fato da maioria do povo não ter o Espírito de Deus é confirmado em Números 11:29.
*

Josué (ungido por imposição de mãos) – Deuteronômio 34:9.
*

Otniel (momento) — Juízes 3:9-11.
*

Sansão (vários momentos) — Juízes 13:25; Juízes 14:6; Juízes 14:19 e Juízes 15:14.
*

Saul (ungido) — I Samuel 10:1-7; I Samuel 11:6. Esse, mesmo ungido, fez tanta besteira que o Espírito do Senhor acabou se retirando dele (I Samuel 16:14).
*

Davi (ungido) — I Samuel 16:13; II Samuel 2:4.

Eu poderia fazer uma lista mais extensa que esta com mais personagens do Antigo Testamento que puderam ter uma “provinha” da presença do Espírito do Senhor, mas sugiro que leiam o estudo de Walter Andrade Campelo para compreender quem exatamente eram as pessoas ungidas naquela época, assim como as funções do óleo. Mas mesmo nestes exemplos podemos ver que o mesmo Espírito gerava capacidades bastante diversas entre si.

Se esses homens, apenas ao “esbarrar” com o Espírito, fizeram acontecer eventos incríveis, imagine agora o que podem fazer aqueles em quem o Espírito habita? Sim! Habitar é algo perene... é conviver a cada instante com Ele. Essa informação é confirmada através dos textos de João 14:15-17 e 26 (“... habita convosco, e estará em vós”); I Coríntios 3:16; Efésios 2:22 e II Timóteo 1:14.

Acho que a maioria daqueles que está lendo este texto até aqui sabe muito bem o que deve fazer para receber o Espírito Santo, mas não me custa nada citar João 20:22, Atos 1:8, Atos 2:38, Atos 8:15-17, I Coríntios 6:19, Gálatas 3:14... afinal, estes são métodos comprovados para “ganhar” este “presente” deixado para nós pelo próprio Jesus Cristo.

Um alerta! Há muita gente por aí pensando que está cheia do Espírito Santo e, na verdade, estão agindo exatamente contra o texto de Colossenses 2:8; esquecendo Romanos 8:4-11, I Tessalonicenses 4:2-8, I Timóteo 4:1-2 e Tiago 4:4-5; esperando e aceitando tudo o que está descrito em II Tessalonicenses 2:3-12... sequer se preocupando em aplicar I João 4:1-3 ou tentando observar o tipo de resultados da ação desse espírito dentro do previsto em Gálatas 5:19-23. Estes certamente não devem se agradar nem um pouco das coisas que tenho escrito nos últimos tempos. Não posso deixar de registrar que me entristeço ao encontrar tantos líderes agindo conforme I Timóteo 6:3-5, II Timóteo 4:3-4 e se adequando cada vez mais às profecias de Isaías 56:8-12 e Ezequiel 34:1-10... são justamente esse líderes que mais gostam de usar as coisas “bentas” como, por exemplo, flores, lenços, água e, é claro, o óleo!

A única conclusão a qual posso chegar nesta primeira seção é:

UTILIZAR ÓLEO COM O OBJETIVO DE SANTIFICAR QUALQUER COISA

É NEGAR DIRETAMENTE O SACRIFÍCIO DE JESUS CRISTO NA CRUZ:

USE SUA ORAÇÃO E, COM MUITO CUIDADO, A IMPOSIÇÃO DE MÃOS.

Recomendo cuidado com a imposição de mãos baseado no texto de I Timóteo 5:22. Não saia por aí deixando que qualquer maluco coloque as mãos em sua cabeça... ainda mais se não souber verdadeiramente se o “vaso” tem rachaduras ou não!
UNÇÃO E ESPÍRITO SANTO
VOLTAR AO TOPO

Ora, no Novo Testamento a palavra “unção” aparece apenas duas vezes: I João 2:20 e I João 2:27, sendo que em ambos os casos ela vem diretamente de Deus!

Já como verbo, devemos descartar a ação de Maria ao ungir os pés de Jesus Cristo, também chamada em Marcos 14:8 de “unção para sepultura”, cuja finalidade é meramente cosmética e aromática.

Da mesma forma se enquadra a recomendação de Mateus 6:17-18, cuja unção recomendada é pura e simplesmente estética. Mateus 6 versa bastante sobre a discrição de um verdadeiro servo ao fazer a obra: assim como devemos dar com a mão direita de forma que a esquerda não saiba (Mateus 6:3), no jejum não devemos aparentar o possível e real cansaço relativo à atividade, mas ungir a cabeça para que não pareça aos homens que se está jejuando (Mateus 6:17-18)! Ambas as recomendações visam extinguir a imagem “heróica” que muitos fazem questão absoluta de ostentar desde aquela época, esperando arrancar observações alheias como “viram o quanto ele doou?”, ou ainda “Ele é um santo! Vive de jejum!”... Deus, que vê em secreto, sabe ao que estou me referindo!

Já em Lucas 4:18, Atos 4:26-27, Atos 10:38, II Coríntios 1:21-22 e Hebreus 1:9, podemos ver que a unção novamente veio diretamente de Deus! Nenhum homem unge nada nessas passagens e muito menos é feita referência a algum tipo de óleo real... ou será que eles fabricavam “óleo de alegria” naquela época e a receita se perdeu com o tempo?

Ora, fica claro que a unção a qual os versos acima estão se referindo é a ação do Espírito Santo! Ação esta que, tal qual no Antigo Testamento, causa resultados diversos (conforme podemos verificar em I Coríntios 12:4-12).

Então vão nos restar apenas duas passagens: Marcos 6:12-13 e Tiago 5:14-15. Vejam bem que em todo o Novo Testamento há apenas duas referências sobre unção com óleo... não seria esta quantidade ínfima para se estabelecer uma doutrina? Transcrevamos os textos para podermos analisá-los:

“E, saindo eles, pregavam que se arrependessem. E expulsavam demônios, e ungiam muitos enfermos com óleo, e os curavam.” (Marcos 6:12-13)

“Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor. E a oração de fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” (Tiago 5:14-15)

A estes dois textos eu gostaria de acrescentar mais quatro outros:

“Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.” (João 9:6-7)

“E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos unanimemente no alpendre de Salomão. Dos outros, porém, ninguém ousava ajuntar-se a eles; mas o povo tinha-os em grande estima. E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais. De sorte que transportavam os enfermos para as ruas, e os punham em leitos e em camilhas para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles. E até das cidades circunvizinhas concorria muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos; os quais eram todos curados.” (Atos 5:12-16)

“E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saiam.” (Atos 19:11-12)

“Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (I Pedro 4:10)

Ao contrário do batismo e da ceia, o óleo NÃO FOI DEIXADO COMO ORDENANÇA! Logo, não se deve tratá-lo como tal!

No livro de Marcos temos uma seqüência de ações independentes entre si: pregar, expulsar demônios, ungir enfermos com óleo e curar! Isso nos leva em uma primeira análise a descartar a expulsão de demônios com o auxílio do óleo... senão eles teriam necessariamente de pregar com óleo, o que não faria o menor sentido! Logo:

NÃO SE EXPULSA DEMÔNIO COM AUXÍLIO DE ÓLEO

EM LUGAR NENHUM DA BÍBLIA!

Continuando, nos resta o trecho final, onde “ungiam os enfermos” e “os curavam”.

Olhemos agora então para o texto do livro de Tiago, onde se afirma claramente que a oração de fé salvará o doente.

Isso me leva a refletir sobre as aplicações do óleo naquela época: já vimos que tal líquido era amplamente utilizado naquela época com vários objetivos. As passagens sobre a irmã de Lázaro ungindo os pés do Senhor e a unção pós-jejum nos mostram seu uso estético... e, para o que mais se usaria o óleo?

Hoje em dia temos as farmácias de manipulação, capazes de criar os medicamentos conforme minuciosas especificações médicas... e pude aprender uma importante lição ao observar seus produtos... não sei se vou me expressar nos termos corretos, mas todo o produto químico ativo (remédio) precisa de um “meio” para poder ser aplicado. O mundo moderno nos oferece diversas substâncias neutras passíveis de transportar o medicamento: creme, gel, água, gelatina... os princípios ativos são infundidos nesses materiais e vêm a se tornar os xampus, pomadas, etc.

Ora, sabemos claramente que naquela época a tecnologia não era algo tão admirável assim, certo? Ou será que vemos ainda hoje em dia alguém passando óleo na cabeça para ir a um culto ou a uma festa? É claro que não! As pessoas usam produtos perfumados e sem gordura...

Da mesma forma, podemos perceber que a maioria dos medicamentos se aperfeiçoou. Não se faz mais pasta de figos como se fazia em Isaías 38:21... muito menos se toma vinho para problemas estomacais, conforme recomendou Paulo em I Timóteo 5:23! Quem seria louco de passar óleo e vinho em uma ferida, conforme descrito em Isaías 1:6 ou Lucas 10:34? E olha que Lucas era médico...

Com o passar dos anos, o homem aprendeu a extrair as substâncias químicas mais importantes de cada produto para então fazer medicamentos mais eficazes e direcionados ao mal que se está combatendo.

Voltemos agora à partícula restante de Marcos 6:13 e vejamos os termos separadamente, primeiramente a partícula “os curavam”: será que Deus alguma vez já dependeu de algum método específico para curar alguém? Será que o criador dos céus e da terra precisa que sinalizemos com óleo para só então ele agir?

Acho que não... e cito os outros exemplos acima para provar que a graça soberana de Deus age dos meios mais insuspeitos e improváveis! Vejam só: cuspe com terra curando cegueira! Sombra e panos curando e expulsando demônios! Só mesmo a maravilhosa graça de Deus para realizar tais impossíveis!

Notem que os objetos citados por mim nunca foram, digamos assim, “preparados” espiritualmente: não imagino Pedro esticando as mãos para sua sombra e orando para que ela curasse àqueles por sobre quem passasse... muito menos Paulo benzia seus objetos de uso pessoal! Jesus então? Agiu num ato contínuo: abaixou, fez a laminha, passou no olho do cego e pronto... afinal Ele é Deus e faz o que quiser, na hora que quiser e do modo que quiser!!!

Então nos voltamos para os “cultuadores do óleo”, que o vêem como objeto sagrado e capaz de, por si só, operar milagres e expulsar demônios... quantas pessoas já não foram “ungidas” e nunca obtiveram resultado algum? E depois ou a culpa da falha recai sobre a “falta de fé” da pessoa ou então, pior ainda, a pessoa se sente enganada e perde a fé em Deus, por culpa desses supersticiosos cultuadores de amuletos...

Eu creio que as curas, tanto a citada em Marcos 6:13 quanto a de Tiago 5:14, são completamente independentes da unção com óleo... elas são fruto direto da ação divina! O óleo seria meramente a parte medicamentosa a ser cumprida. Mesmo hoje em dia vemos pessoas ingerindo os medicamentos atestadamente corretos para suas doenças e ainda assim não sendo curadas! Eu já vi isso acontecendo... e creio que muitos leitores também!

Logo, podemos concluir disso tudo:

MUITAS VEZES O REMÉDIO CORRETO NÃO CURA

MUITAS VEZES A ORAÇÃO NÃO CURA

... e isso ocorre conforme ocorreu com Paulo em II Coríntios 12:7-10. Ninguém sabe as intenções e motivos de Deus e nenhum homem é apto para julgá-lo! Nem sempre as coisas que nos parecem ruins estão fora da vontade de Deus. Vejamos os exemplos de Jó e aprendamos com Romanos 8:28. Não estou dizendo que é fácil... mas é o que nos diz a verdadeira e única palavra de Deus.

Finalmente podemos afirmar que:

O ÓLEO PODE SER USADO PARA CURAR TANTO QUANTO

CUSPE, LODO, UM PANO OU UMA SOMBRA!... OU NADA DISSO!

DEUS USA O QUE QUISER NA HORA QUE QUISER:

A GRAÇA NÃO PODE E NEM DEVE SER COLOCADA SOB UMA “FÓRMULA MÁGICA”!

Deus não costuma ficar se repetindo: não fez a vara de Moisés virar cobra duas vezes, não abriu o Mar Vermelho duas vezes, não derrubou as muralhas de Jericó duas vezes... Ele pode fazer tudo isso de novo a hora que quiser, mas não faz para que o homem não creia que há um método específico além da fé e do conhecimento da palavra... principalmente quando o assunto é a multiforme graça de Deus. Cabe a nós estarmos sensíveis ao mover do Espírito Santo.

Meu último apelo é para que fiquem atentos as profecias sobre os últimos tempos, descritas em Mateus 24:23-24, II Tessalonicenses 2:9-10, II Coríntios 11:14-15 e Apocalipse 13:3-4, 12-14... elas mostram claramente que não são bem os servos do Senhor que vão ficar fazendo sinais e prodígios no final dos tempos. Cuidado com os grandes milagres modernos!!!

... ou você acha que ainda não estamos vivendo os últimos dias?
LITERATURA CRISTÃ?! TENHA MUITO CUIDADO!
VOLTAR AO TOPO

Minha busca pela santificação começou de uma forma bastante ordinária: eu li os livros da área de “batalha espiritual” no início de 2004. Não posso negar que tais obras me levaram a considerar mais seriamente a existência e a influência de um mundo espiritual ao meu redor... porém Deus aproveitou esse embalo e começou a lapidar minha vida: usando minha ânsia de conhecimento, Ele me trouxe a um estudo muito mais sério da própria Bíblia. Através disso eu tenho aprendido a verdade de Deus, que é muito mais chocante e impressionante que qualquer uma dessas obras cujo objetivo é alarmar o povo que “pensa ser de Deus” para a ação satânica nos dias de hoje. O único problema é que além de dar alguns “super poderes” ao demônio, estes autores (talvez não intencionalmente...) ensinam doutrinas que tenho descoberto ser contrárias ao texto bíblico dentro de seu contexto correto.

Vejamos, por exemplo, o que Rebecca Brown nos recomenda a partir da página 68 de seu livro, “Prepare-se Para a Guerra” (Editora Danprewan), sob o título “Permanecendo Inabalável Contra a Opressão Demoníaca”:

Eis aqui algumas coisas que você pode fazer para permanecer firme em meio à tempestade. Nós, que somos cristãos, devemos nos lembrar que é nossa a responsabilidade de ajudar essas pessoas suportarem suas cargas!

1. Unja sua casa.

O Senhor ensinou-me este princípio logo no início do nosso ministério. Elaine e eu suportamos, por meses, opressão interminável tanto de demônios como de espíritos humanos em projeção astral. De noite, tão logo adormecíamos, éramos arrancadas da cama e atiradas ao chão por espíritos invisíveis. Objetos apareciam e desapareciam de minha casa. Móveis e outros objetos eram arremessados no ar por forças invisíveis, e assim por diante. Exausta, uma noite eu clamei ao Senhor em desespero. "Pai, por favor, o que podemos fazer? Parece que a minha casa está escancarada para qualquer espírito maligno que queira entrar. Tu sabes como estes espíritos estão nos incomodando. Eu não posso suportar mais isto!"

Neste ponto o Espírito Santo encheu a minha mente com a narrativa do cordeiro pascal em Êxodo, capítulo 12. Então ele disse: “Desde a morte de Jesus, não há mais sacrifícios de sangue. Então, o que você diria que é o equivalente do sangue hoje?”

“O óleo?” eu perguntei.

“Está correto”.

Então o Senhor também recordou-me do trecho em Êxodo capítulo 40, onde ele havia instruído Moisés a usar o óleo da unção:

“E tomarás o óleo da unção e ingiras o tabernáculo, e tudo o que nele está, e o consagrarás com todos os seus pertences, e será santo.” Êxodo 40:9

Enquanto eu meditava nestas palavras, o Senhor mostrou-me que eu deveria pegar óleo e ungir a minha casa, e santificá-la a Ele. Assim, eu peguei o óleo que tinha à mão (óleo de cozinha) e coloquei um pouco sobre as molduras de todas as portas, sobre as próprias portas, e em cada janela, na lareira, e em todas as outras aberturas que davam acesso à casa. Tendo feito isso, pedi ao Senhor para fazer meu lar santo a Ele, e para selá-lo com um escudo do seu precioso sangue. Então, deixando as portas abertas, voltei para dentro da casa, fiquei parada de pé no meio, e pedi ao Senhor para limpá-la e pôr para fora todos os espíritos humanos. Então ordenei a todos os espíritos demoníacos, no nome de Jesus Cristo, que deixassem a minha casa para sempre. A mudança foi imediata e dramática. Minha casa foi selada e nenhum espírito humano ou demoníaco podia entrar deste momento em diante. (Nota: pedi ao Senhor para pôr os espíritos humanos para fora de minha casa, pois nós não temos, sobre espíritos humanos, a mesma autoridade que temos sobre os espíritos demoníacos).

Na primeira parte desse estudo creio que pude deixar bem claro que quem santifica as coisas é somente Jesus Cristo através de sua unção, a saber: o espírito Santo que habita em nós... logo essa doutrina apresentada acima somente serve para escravizar as pessoas a um costume da Velha Lei. E saibam que, após ler esse trecho, permaneci crendo nisso até a bem pouco tempo atrás! Não zombem de mim, pois eu desconhecia que estava sob forte influência da opressão rejudaizante moderna!

Agora, ao revisar estas palavras, eu vejo que essa mulher então não devia confiar muito no sacrifício de Cristo na cruz e no poder que herdamos d’Ele ao aceitá-lo como Senhor e Salvador de nossas vidas. Ao ver as atitudes que tomou, percebo que ela desconhece o texto de Hebreus 10:1-23... nada de símbolos, nada de amuletos, só a santificação obtida através do sacrifício definitivo de Jesus Cristo! Quem precisa de símbolos certamente não crê no poder infinito e invisível de Deus!

Não segui em frente na revisão... mas percebi que esta autora se utiliza de muitos “rituais”, paralelos e equivalentes a algumas ações ocultistas. Passei então considerar as lições aprendidas nesse livro dignas de reavaliação total e, por enquanto, tirei os livros dessa autora de minha estante, deixando-os na gaveta onde estão Rick Warren e Ana Méndez...

Outro autor, ao qual (errônea e infelizmente) fiz recente referência positiva, também incentiva o uso do óleo de unção e afirma em seus livros que os satanistas temem sua utilização (somente de feito exatamente conforme Deuteronômio 30:22-25) por ser uma espécie de “isolante” para o poder que flui através de seus “portais”... comecei a achar que essa referência deve ter sido uma espécie de “piada” que os satanistas armaram para que ele acreditasse e divulgasse nos meios evangélicos. Eles devem morrer de rir quando os crentes começassem a passar “óleo de unção” em tudo que é lugar e gente...

Volto a repetir: além da ceia e do batismo, Jesus Cristo não ordenou nada além da fé, do louvor e do estudo da palavra! Nem mesmo mencionou o óleo como objeto de efeito no mundo espiritual! A Bíblia não incentiva a utilização de amuletos em parte alguma, principalmente porque estes serviriam apenas para desviar a fé de seu único objeto direto: Deus!

Aí começo a me lembrar das histórias absurdas que se ouvem no meio evangélico: gente que alugou um helicóptero para ungir sua cidade, outros alugaram avião para ungir o país, outros ainda vão ungir o sambódromo (para que naquele local aja uma transformação e se torne um local de adoração ao Senhor)... e quem faz isso não é qualquer “irmãozinho” não: são bispos, “apóstolos” e “apóstolas”!!!

Meu Deus! Se a própria Bíblia está dizendo que em hipótese alguma deixará de se cumprir, como podem essas pessoas famosas agir em total discordância com a palavra de Deus? Como podem haver tantos líderes levando um rebanho tão imenso para um caminho afastado da verdade perfeita de Deus, fazendo com que creiam em meras fábulas profanas?

Amados, não apresento este estudo como objeto de destruição... espero que sirva somente para edificação daqueles que buscam a verdade através da única e perfeita palavra de Deus. Não viso auferir lucros através destes textos, porém o Senhor tem me incomodado para que eu inicie a preparação de palestras. Não sei que igreja seria capaz de convidar um homem e sua equipe se souber que vão ser derrubados, diante de estudos 100% bíblicos, tradições como o dízimo ou modernidades como “os propósitos”? Admito que já cheguei a imaginar meu ministério acontecendo nas praças... e, se está for a vontade confirmada de Deus para minha vida, não posso fazer nada além de cumprir!

Como sempre, me coloco à disposição de críticas, refutações (com base bíblica!) e comentários. Por favor, sua observação pode ajudar em minha edificação pessoal! Sou um simples homem e, ao contrário do Papa e de muitos pastores, admito ser passível de erros: nunca vou e nem posso me envergonhar de ser corrigido pela palavra de Deus!

Orem por mim e por meu pleno restabelecimento, pois ainda não estou completamente cicatrizado.

“Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos venho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebeste, seja anátema.” (Gálatas 1:6-9)

Que Deus nos abençoe a todos.


Teóphilo Noturno

Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...