Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

quinta-feira, 31 de julho de 2014

À NOITE, TODOS OS GATOS SÃO PARDOS


Confesso que no fundo de meu coração tenho medo de um dia vir a afastar-me de Deus e de Sua verdade.
Tenho medo, explico, porque vejo no fundo de meu coração uma tendência constante para afastar-me de Deus. Sinto que a tentação para a heterodoxia e para a liberação total são perigos reais que me cercam diariamente. Vejo com muita clareza que submeter-me às Escrituras e crer em Deus é um milagre na minha vida.

   Vi a apostasia acontecer muito de perto ao longo da minha vida. Um famoso professor de Bíblia do Recife, que foi a pessoa que me encaminhou ao seminário, abandonou a fé cristã depois de trair a mulher e abandoná-la com nove filhos. Eu estava no primeiro ano! Três colegas meus de classe, no seminário, entre os mais brilhantes da turma, hoje nem professam mais o cristianismo. Um jovem promissor que chegou ao Evangelho por minha instrumentalidade, e que posteriormente chegou até a estudar no L’Abri, com Francis Schaeffer, renegou o cristianismo histórico. Uma conhecida minha, desde a infância, que é missionária no estrangeiro, acaba de comunicar aos pais que não é mais cristã, depois de começar a viver com um homem casado. Líderes que conheci e admirei e segui durante os primeiros anos de minha vida, não deixaram as denominações evangélicas, mas já não crêem mais naquilo que me ensinaram.

   Há advertências constantes nas Escrituras contra a apostasia. Apostatar significa afastar-se da verdade de Deus revelada nas Escrituras, como resultado de uma mudança de pensamento, e levantar-se em rebelião aberta contra ela. O que leva uma pessoa a fazer tudo isso, a abandonar a fé bíblica, seguir a heterodoxia, renegar os valores morais do cristianismo e pregar a liberação total?

    Não pretendo entrar aqui na delicada questão acerca da salvação do apóstata. Talvez noutro post eu tente esclarecer os motivos para acreditar que um apóstata, no sentido real da palavra, nunca foi verdadeiramente salvo. Creio na perseverança final dos santos, dos eleitos.

    O que eu gostaria é de inquirir acerca dos motivos que levam uma pessoa a abandonar a fé histórica do Cristianismo, após ter pregado e defendido essa fé por muito tempo. É evidente que não poderei inquirir aqui sobre os desígnios misteriosos de Deus. A minha inquirição é apenas psicológica, espiritual e teológica.
O Novo Testamento nos dá vários motivos pelos quais as pessoas se desviam da fé. Na parábola do semeador, lemos acerca dos que creram por um tempo e depois se desviaram, por causa dos cuidados desse mundo e por causa das perseguições que começaram a experimentar por causa do Evangelho. São aqueles que não acolheram sinceramente a verdade para serem salvos. A eles, o próprio Deus envia a operação do erro e da mentira (2Ts 2.9-11). Há também os que, depois de algum tempo, passaram a dar ouvidos a doutrinas de demônios (1Tm 4.1). Outros, se desviaram da fé para professar uma doutrina que acharam que era mais intelectual (1Tm 6.20-21). Com mais freqüência, há os que foram levados pela cobiça, como Judas, Balaão e Demas, que amou o presente mundo. A demora, a relutância, a indolência e a negligência em romper definitivamente com o pecado e o erro são causas prováveis de apostasia, conforme o autor de Hebreus ensina em toda a sua carta. Ele avisa que a dureza de coração e a incredulidade são capazes de afastar alguém do Deus vivo (Hb 3.12-13).

   Em resumo, os motivos externos são vários: amor ao dinheiro, orgulho, problemas morais não resolvidos, vaidade intelectual, falta de coragem para assumir a verdade e desejo de novidades. A raiz de tudo isso, ao meu ver, é a falta de um coração regenerado, um motivo que os autores bíblicos estão sempre prontos a admitir.

   O apóstata pode permanecer muitos anos na igreja e no ministério cristão sem jamais revelar a apostasia que já aconteceu em seu coração. Outros, assumem a apostasia e rompem abertamente com a fé cristã histórica, e geralmente adotam outras doutrinas que mesmo aparecendo com cara de novas e revestidas de respeitabilidade intelectual, nada mais são que as velhas heresias teológicas e morais que a Igreja já enfrentou ao longo dos anos. Eu não me espantaria se por detrás dos grandes desvios teológicos da história encontrássemos pecados não resolvidos, orgulho, vaidade intelectual, soberba, dureza de coração e – obviamente – corações não regenerados. É claro que nunca saberemos ao certo. A história não registra essas coisas que sempre são abafadas, escondidas e quase nunca declaradas.

   Até onde entendo, só há uma coisa que mantém o cristão na verdade: o temor a Deus, a humildade e um coração quebrantado. Os que verdadeiramente se humilham diante de Deus e tremem de sua Palavra, mesmo que errem em pontos secundários, que caiam eventualmente em pecados, jamais se afastarão definitivamente de Deus e da sua palavra. O verdadeiro crente não pode mais abandonar a Deus. Nem que queira. Nem que em momentos terríveis diga a Deus que nunca mais o servirá. Ele acaba voltando. O apóstata vence essa barreira. Ele consegue passar o limite. Ele consegue pular a cerca. Ele não receia o que poderá acontecer. Pois no fundo ele realmente não acredita.

   A apostasia é uma realidade muito mais presente nos meios evangélicos brasileiros do que se deseja perceber. O falso conceito de tolerância, o relativismo, a falta de convicções doutrinárias, o liberalismo teológico travestido de ciência, tudo isso favorece um quadro cinza e enevoado onde os contornos do verdadeiro Cristianismo não são percebidos com clareza. À noite, todos os gatos são pardos.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Número de pastores candidatos cresce 40% nestas eleições


O Portal UOL publicou que as eleições deste ano contarão com 270 candidatos que se declararam pastores, um crescimento de 40% com relação ao pleito de 2010, quando 193 pessoas disseram ocupar o cargo. Além disso, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) registrou a candidatura de 32 bispos (25% a menos do que em 2010) e 16 padres (30% a menos). 

O PSC lidera a indicação de sacerdotes: são 37 clérigos evangélicos um deles é o pastor Everaldo, que disputa a presidência da República pelo partido. 

Pois é, em época de eleições o que aparecem de pastores candidatando-se a cargos  públicos não está no gibi. Lamentavelmente em nome de Deus um número grande líderes cristãos advogam pra si o titulo de enviado do Senhor e salvador da pátria. 

Aqueles que me conhecem sabem que não advogo a idéia que comumente tem tomado conta de parte dos evangélicos nos dias de hoje. Não creio na manipulação religiosa em nome de Deus, não creio num messianismo onde a utopia de um mundo perfeito se constrói a partir do momento em que crentes são eleitos, não creio na venda casada de votos, nem tampouco no toma-lá-dá-cá onde eleitores são trocados por benesses de politicos.

Creio que o voto é intransferível e inegociável. Acredito que nenhum cristão deve se sentir obrigado a votar em um candidato pelo simples fato de ele se confessar cristão evangélico. Antes disso, os evangélicos devem discernir se os candidatos ditos cristãos são pessoas lúcidas e comprometidos com as causas de justiça e da verdade. Junta-se a isso que creio que nenhum eleitor evangélico deve se sentir culpado por ter opinião política diferente da de seu pastor ou líder espiritual. O pastor deve ser obedecido em tudo aquilo que ensina sobre a Palavra de Deus, de acordo com ela. No entanto, no âmbito político-partidário, a opinião do pastor deve ser ouvida apenas como a palavra de um cidadão, e não como uma profecia divina. 

Caro leitor, na perspectiva da ética, dia de eleição é dia de exercermos livremente as nossas opções políticas e ideológicas, ninguém, absolutamente ninguém tem o direito de manipular, impor ou decidir por você em quem votar. O voto é pessoal e instranferível e somente você tem o direito de escolher em quem votar, ainda que isso represente não votar no candidato do seu pastor. 

Encerro este post lembrando do pastor Billy Graham que ao receber o convite para concorrer à presidência da República dos Estados Unidos da América, recusou dizendo: “Por acaso eu trocaria o Santo Ministério da Palavra de Deus por um cargo tão insignificante?” 

Pense nisso! 

Renato Vargens

terça-feira, 29 de julho de 2014

Paulo Junior - Vida cristã relevante

Paulo Junior - Vida cristã relevante - 17/03/2012 from Ariovaldo Ramos on Vimeo.

BATALHA ESPIRITUAL ????



Bom dia   Graça e Paz

    Assisti esse vídeo de REBECCA BROWN onde ela orienta sobre batalha espiritual, e como diz a minha mãe #CremDeusPaiTodoPoderoso, primeiro quero deixar esse versículo: 


Mateus 22:29 
"Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus".


    Aos  5:40 do vídeo ela fala que a mulher para quem a senhora trabalhava "era inimiga de Cristo", ora a Bíblia diz em: 

Efésios 6:12
"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais"

    Não era a mulher para quem ela trabalhava que era a inimiga de Cristo, ela era apenas uma pessoa como muitas que não foi regenerada e resgatada pelo Espírito Santo, deixei apenas essa obervação mais o video esta recheado de heresias. 

    Vamos meditar mais na palavra de Deus, vamos ler pessoas comprometidas com a palavra, a cada dia que passa se levanta mais um herege, precisamos nos firmar mais ainda em nossas convicções no que a Bíblia diz e não em fabulas e filosofias humanas. 

segue vídeo:
Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

Mateus 22:29
Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

Mateus 22:29
Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

Mateus 22:29



segunda-feira, 28 de julho de 2014

Alcançando Falsos Convertidos na sua Igreja

Por: Bob Johnson  

Algumas das nossas oportunidades evangelísticas mais óbvias são com as pessoas que são membros das nossas igrejas. Você já tem um relacionamento com elas. Você já tem a vantagem de falar-lhes consistentemente sobre o evangelho. Você também tem algumas oportunidades dadas por Deus de pessoalmente apontá-las para Cristo.

Paulo advertiu os presbíteros da igreja em Éfeso que lobos vorazes penetrariam entre eles e buscariam causar grande dano ao rebanho (Atos 20.29). Cristo advertiu várias igrejas em Apocalipse 2-3 que elas tinham incrédulos entre elas. Se tais igrejas tinham incrédulos entre elas, nós provavelmente temos alguns nas nossas também. Mas como nós os alcançamos?

Como alcançar membros não convertidos?

Eu estou assumindo que você esteja pregando fielmente o evangelho e apontando seu povo para Cristo. O efeito da pregação fiel do evangelho é como uma bomba: ela acha um jeito de varrer tudo em seu caminho. Mas para vencer, você ainda precisa de tropas em solo. Então, enquanto você está alegremente pregando Cristo, busque também os seguintes passos.

1. Ore a respeito das conversões dos membros da sua igreja

Ore a respeito das conversões dos membros da sua igreja. Ore para que Deus faça distinção entre os falsos e os verdadeiros. A maioria de vocês, eu assumiria, oram publicamente no início e no fim dos seus sermões. Essas são oportunidades maravilhosas para orar sobre essa questão crítica — que as pessoas não confiem no fato de serem membros como se isso lhes concedesse algum estado de direito diante de Deus, mas que todos sejam genuinamente arrependidos e confiem em Cristo.

2. Pregue sobre a conversão dos seus membros

Segundo, pregue sobre a conversão dos seus membros. Se você está pregando expositivamente, você não consegue pregar muitos sermões antes de chegar à questão das falsas conversões. Na sua pregação, ilustre o ponto com histórias da sua própria igreja.
Quando alguém é batizado, nós damos à pessoa a oportunidade de explicar o evangelho e como ela chegou à fé em Cristo. No mês passado, David contou à nossa igreja como ele havia fingido por anos ser um crente. A história dele é um grande exemplo que eu cito com frequência.

3. Esteja ciente sobre possíveis membros não convertidos em aconselhamentos

Terceiro, esteja ciente sobre possíveis membros não convertidos durante os aconselhamentos. Devin (nome fictício) e sua esposa se reuniram comigo para aconselhamento conjugal. Devin não estava lá muito interessado já que, comoacabou revelando, ele achava ter encontrado outra pessoa. Certo domingo, eu o abordei após o culto e disse-lhe que se ele continuasse naquele caminho, ele precisava saber que ele não podia mais afirmar com confiança ser um seguidor de Cristo. De fato, sua determinação em buscar esse relacionamento adúltero podia ser uma indicação de que ele nunca havia se tornado um genuíno seguidor de Cristo. Devin não se arrependeu, mas Greg (nome fictício) sim. Greg conheceu uma moça em uma viagem a trabalho e estava pronto para deixar sua mulher e filhos por causa dela. Eu sentei na mesa de sua cozinha uma noite e perguntei quem seria: Cristo ou a moça? Porque ele não poderia ter ambos. Embora Greg houvesse professado a fé e se tornado membro muitos anos atrás, sua vida havia demonstrado pouquíssimo fruto do evangelho. Greg dobrou os joelhos do seu coração a Cristo e, pela graça de Deus, não foi apenas redimido, mas seu casamento foi resgatado.

4. Esteja ciente sobre possíveis membros não convertidos em visitas hospitalares e outras situações de vida ou morte

Quarto, esteja ciente sobre possíveis membros não convertidos em visitas hospitalares e em outras situações de vida ou morte. Chuck (nome real) estava no hospital. O médico acabara de dizer-lhe que não havia nada mais a ser feito por seu coração. Ele já havia vivido mais tempo do que as expectativas, mas o fim estava próximo. Chuck era um empresário de sucesso e era envolvido com muitas organizações cristãs. Em igrejas das quais foi membro, ele havia servido em conselhos e como professor de EBD. Agora ele estava morrendo e estava aterrorizado. Chuck carregava consigo um segredo que poucas pessoas sabiam. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele pilotou aviões de bombardeio em missões sobre o Japão, lançando milhares de quilos de explosivos naquele país. Ele sabia que havia matado centenas, se não milhares, de pessoas. Em sua 24ª missão, seu avião fora atingido severamente, mas ele fora capaz de pilotá-lo de volta para a base. Seu copiloto, contudo, morrera. Chuck estava apto para retornar para casa após sua 25ª missão, mas ele estava tão irado com a morte de seu copiloto, que ele se alistou para mais 25 missões, e depois para mais 25, a fim de que pudesse matar mais japoneses. E ele matou. Após 76 missões, ele finalmente voltou para casa. Em seu caminho de volta para Michigan, ele estava em uma base na Califórnia, onde encontrou alguns japoneses prisioneiros de guerra. Alguns deles eram muito bondosos e lhe disseram que eles não queriam a guerra. Eles também só queriam voltar para as suas casas. Eles lhe mostraram fotos de esposas e filhos. A ira de Chuck se transformou em medo. Ele assumiu que havia matado algumas das esposas e filhos deles. Ele começou a perceber que não havia apenas matado civis, mas havia se alistado para matar.
  Agora, sessenta anos depois, a realidade de encarar Deus revelou seu mais profundo medo. Ele morreria e seria condenado ao inferno. Chuck terminou sua história, abraçou os joelhos, deu as costas para mim e ficou olhando para a parede. Seu corpo frágil fez até mesmo um leito de hospital parecer grande. Chuck havia me ouvido pregar o evangelho por anos. Mas naquele dia estava óbvio que, embora pensasse que o evangelho fosse verdadeiro, não era verdadeiro para ele. O caso dele era diferente.
  Eu me sentei em silêncio e tentei imaginar o peso da sua culpa, e então disse: “Chuck, você é um grande pecador, mas Jesus é maior Salvador do que você é pecador”. Chuck replicou como se tivesse sido atingido por um raio. Ele olhou para mim como se tivesse ouvido isso pela primeira vez. Ele arregalou os olhos, seu rosto se encheu de vida e ele disse: “É isso, não é?! Jesus é um Salvador maior do que eu sou um pecador”.
  Chuck morreu duas semanas depois. A alegria de sua vida naquelas últimas duas semanas tornou evidente para todos que o visitaram que as cadeias dele haviam sido quebradas. Seu coração estava liberto.
Os seus membros deixarão você entrar em alguns de seus pensamentos mais íntimos. Você pode descobrir que o que eles precisam é crer em Cristo — pela primeira vez.

Tradução: Alan Cristie

Felipe Valente - "Segura a minha mão"

Qual a diferença entre um culto e um show gospel?

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Podcast irmaos.com ao vivo - Perdão

Igreja Presbiteriana do Brasil emite nota considerando a Igreja Verbo da Vida como seita

  A igreja Presbiteriana do Brasil  emitiu um documento considerando a Igreja Verbo da Vida como seita. (veja documento ao lado)
 O Verbo da Vida é defensor e propagador da funesta teologia da prosperidade e confissão positiva. A denominação em questão, cuja a sede nacional encontra-se em Campina Grande - Paraiba tem estreita ligação com Kenneth Hagim, representante do movimento Palavra de fé.
 Veja na íntegra o conteúdo.
 
 
 
Posicionamento oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil quanto a Igreja Verbo da Vida.Considerando:
 
 1) Que a Igreja Verbo da Vida é ligada ao Kenneth Hagim Ministries;
2) Que a Igreja é defensora e praticante do “evangelho da saúde e da prosperidade” também conhecido como “Teologia da Prosperidade”, “Confissão Positiva”, “Palavra da fé” e “Movimento da Fé”;
3) Que a igreja verbo da vida foi implantada no Brasil pelo “apóstolo” Bud Wright, e em seu blog existem afirmações que apontam as convicções e ensino da referida igreja;
4) Que a Igreja em seus encontros apresenta práticas muitos similares das que são praticadas na IURD – Igreja Universal do Reino de Deus – fato facilmente constatado nos vídeos espalhados na internet;
O SC/IPB 2014 RESOLVE:
1. Reconhecer que a Igreja Verbo da vida apresenta uma orientação teológica neo-pentecostal e com muitos elementos característicos de seita;
2. Determinar aos concílios inferiores que se abstenham de relações intereclesiásticas com a Igreja Verbo da Vida e só recebam por batismo e profissão de fé;
3. Responder ao concílio consulente que a Igreja verbo da vida não pode ser tratada como igreja co-irmã.
4) Que a Igreja em seus encontros apresenta práticas muitos similares das que são praticadas na IURD – Igreja Universal do Reino de Deus – fato facilmente constatado nos vídeos espalhados na internet; O SC/IPB 2014 RESOLVE:
1. Reconhecer que a Igreja Verbo da vida apresenta uma orientação teológica neo-pentecostal e com muitos elementos característicos de seita;
2. Determinar aos concílios inferiores que se abstenham de relações intereclesiásticas com a Igreja Verbo da Vida e só recebam por batismo e profissão de fé;
3. Responder ao concílio consulente que a Igreja verbo da vida não pode ser tratada como igreja co-irmã.

É possível Santidade e Unidade?

quarta-feira, 23 de julho de 2014

#ProntoFalei — quer gostem, quer não (6)


Conflito israelo-palestino.
A grande mídia continua afirmando ou sugerindo que Israel é um Estado desumano, cruel e o vilão da história. Ora, qual é o país que, ao ser bombardeado por 1.600 foguetes de um grupo declaradamente terrorista, fica apenas se defendendo? Se Israel fosse tão cruel, atacaria Gaza apenas com mísseis, sem dó nem piedade, evitando a exposição de seus soldados ao perigo. A incursão por terra é justamente para tentar diminuir o número de vítimas civis. Israel pretende, com isso, proteger a sua população e os próprios palestinos, que hoje são usados pelos terroristas como escudos humanos.

Preconceito acadêmico. Estou lendo uma obra científica muito boa: MARGULIS, Lynn; SAGAN, Dorion. O que é vida? 1. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002. Entretanto, veja o que diz, na apresentação do livro, o senhor Francisco M. Salzano, do Instituto de Biociências da UFRS: “Para os religiosos, naturalmente, a resposta pode ser facilmente encontrada na Bíblia, mas para as mentes inquiridoras e que buscam uma explicação científica o problema é mais complicado”. Ora, ora, ora... Estamos em pleno século XXI, e ainda temos de ler uma declaração preconceituosa e reducionista de alguém que pensa que os evangélicos e cristãos são ignorantes, inferiores aos não-religiosos?! Apesar de os evangélicos que se prezam terem a Bíblia como sua fonte de autoridade principal, nem por isso desprezam a ciência. Faça-me o favor, nobre acadêmico!

“Academicite”. Prezo o estudo acadêmico e, por graça de Deus, frequentei e frequento a academia. Mas lamento quando vejo teólogos contaminados pela “academicite”. Quem é atingido por essa doença menospreza alguns mestres piedosos levantados por Deus só porque estes não têm um pós-doutorado, um doutorado, um mestrado ou até mesmo uma graduação. Lembremo-nos de que o título de doutor, na Bíblia, não é conferido a acadêmicos, e sim a quem foi chamado por Deus (Ef 4.8-11; At 13.1-3). O maior mestre, depois de Jesus Cristo, foi o apóstolo Paulo. E ele, por analogia, a despeito de ter um invejável Currículo Lattes — pós-doutor pela Pentecost University of Antioch; doutor pela Pentecost University of Jerusalem; mestre pela University of the Arabian Desert; e graduado pela Gamaliel College —, nunca se deixou contaminar pela “academicite” (1 Co 2.1-5).

Julgamento começa pela Casa de Deus. Quando Deus levantou alguns mensageiros para verberar contra animadores de auditório, pregadores malabaristas, milagreiros, que só querem arrancar o dinheiro do povo, há alguns anos, houve reação deles próprios e de seu fã-clube. Chamavam os tais defensores do Evangelho de oportunistas, invejosos, etc. Mas — não convém citar nomes —, nos últimos dois anos, várias máscaras têm caído. O Senhor Jesus está vivo! E Ele zela pela Igreja de Deus, que resgatou com seu próprio sangue (At 20.28).

Em campanha. Há alguns anos, divulguei no Blog do Ciro uma agenda de visita às congregações da igreja onde servia ao Senhor. Como era um dos pastores auxiliares, eu fora designado pelo pastor-presidente para pregar a Palavra de Deus nas igrejas do ministério e queria que todos os irmãos soubessem disso. Mas um famoso pastor, de outro ministério — não me pergunte o nome dele —, inseriu ali um comentário zombeteiro ou, no mínimo, sarcástico: “Eita vaidade! ou tá em campanha para a presidência?” Apenas publiquei o comentário e esperei o tempo passar. Hoje, o tal pastor é candidato a deputado federal... Em alguns momentos, o silêncio é a melhor resposta.

“Ataque homofóbico”. Bem, falando em política, não é que um certo deputado federal com nome francês e sobrenome que nos faz lembrar de um carro antigo — não me pergunte o nome dele — conseguiu se superar? Ele sugeriu nas redes sociais que o avião da Malaysia Airlines teria sofrido um “ataque homofóbico” na Ucrânia! Segundo ele, a aeronave teria sido abatida porque nela havia muitos especialistas em aids/HIV. Como eu não tinha pensado nisso? Esse parlamentar BBBrasileiro realmente tem uma inteligência acima da média! “Só que não”.

Macedonosor. “Então falou Macedonosor e disse: Não é este o grande Templo de Salomão que eu edifiquei com a força do meu poder e para glória da minha magnificência? Ainda estava a palavra na boca dele, quando caiu uma voz do céu: A ti se diz, ó Macedonosor: Passou de ti o reino”. Que Deus tenha misericórdia do grande propagador da falaciosa Teologia da Prosperidade e defensor do aborto — que é assassinato, à luz da Bíblia, visto que a vida humana é contínua desde a concepção até a morte —, o qual se considera mais sábio que Jesus Cristo, a ponto de contestar o propósito do seu primeiro milagre e sugerir que transformar água em vinho não ajudou as pessoas em nada. E que esse líder evangélico (evangélico?), à semelhança de Nabucodonosor, rei de Babilônia, ainda tenha a oportunidade de glorificar, de fato, o Rei dos céus (Dn 4.28-37).

Show das poderosas gospel. Agora, pare o mundo que eu quero descer! Assisti, há pouco tempo, a uma versão gospel do show das poderosas! Isso mesmo. Usando play-back da funkeira Anitta, algumas 
ungidas, dançando, cantavam: “Prepara que agora é a hora da oração das poderosas, que oram, jejuam, que vencem as invejosas”. Meu Deus! Logo, logo, teremos “Beijinho no ombro” gospel! Como estão dessacralizando e secularizando o culto a Deus sob a égide de que é importante valorizar a cultura! Mas o Evangelho está acima da cultura! O Evangelho está acima do mundanismo! “Ora, vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20).

Ciro Sanches Zibord

Conselhos àqueles que pensam em mudar de Igreja

Um náufrago foi encontrado dez anos depois em uma pequena ilha. Quando o capitão do navio de resgate chegou lá notou que havia três cabanas de bambu cobertas com folhas de coqueiro. "Por que três cabanas? Você não ficou aqui sozinho por dez anos?", perguntou o capitão. "Sim, fiquei", respondeu o náufrago. E completou: "Aquela primeira cabana é a minha casa e aquela segunda é a minha igreja". "E o que é aquela terceira cabana ali adiante?", insistiu o capitão. O magro e barbudo homem, com olhar de desprezo respondeu: "É a minha ex-igreja"

Pois é, essa pequena e engraçada história nos faz pensar na enorme quantidade de pessoas que trocam de igreja como se estivessem trocando de roupa. Assusta-me o fato de que inúmeros cristãos mudem de igreja com tanta facilidade. Talvez isso se deva ao pluralismo eclesiástico de nosso tempo, onde se é possível encontrar uma variedade enorme de igrejas que anunciam o evangelho de Cristo segundo o gosto do freguês. Isto se vê nitidamente nas pregações temáticas com palestras para empresários, endividados, adoecidos na alma, escravizados e etc.


Infelizmente Já vi casos de irmãos que com menos de 05 anos de caminhada cristã já passaram pelo menos por cinco igrejas. O interessante é que boa parte destes crentes migradores, ao chegarem a sua nova comunidade o fazem cheios de murmurações e reclamações quanto às comunidades passadas. No entanto, bastam alguns poucos meses de relacionamento com seus novos irmãos, para descobrirem de que essa igreja não é tão ungida quanto se pensava, e que a igreja do lado tem mais propostas a oferecer do que todas as outras que já passou.


Os que se comportam desta forma justificam suas saídas para uma nova igreja usando desculpas das mais estapafúrdias possíveis. Para estes, o problema é sempre dos outros, além obviamente de justificar seu afastamento afirmando que o pastor é fraco, que a palavra não é ungida, que o louvor não tem poder e que os crentes são falsos e cheios de pecados.


Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Ainda que saibamos que algumas migrações eclesiásticas são absolutamente legitimas, temos que convir que boa parte destas não possuem o menor fundamento. O fato é que por vivermos em um tempo onde as relações são ralas e superficiais, as pessoas preferem voar como pássaros de igreja em igreja evitando relacionamentos mais íntimos e profundos do que serem confrontadas em seu modo errado de viver.


Isto posto, resolvi escrever algumas dicas àqueles que pensam em mudar de igreja:


1) Ore.
2) Analise os seus reais motivos. O que será que está motivando a querer mudar de igreja?
3) Cuidado com as suas emoções. Não é porque você se aborreceu com alguém que deve mudar de igreja. Aborrecimentos acontecerão em qualquer Comunidade cristã.
4) Avalie doutrinariamente a igreja que faz parte e a igreja que pretende ir. Lembre-se que igrejas saudáveis possuem um púlpito saudável.
5) A igreja que faz parte possui um governo despótico ditadorial onde o pastor é o ungido do Senhor e não pode ser questionado em absolutamente nada?
6) De que forma a igreja que faz parte lida com o dinheiro?
7) O que você espera de uma igreja? A pregação de todo Conselho de Deus, que lhe confronte ajudando-o a crescer como cristão, ou a ministração de mensagens temáticas que lhe satisfaçam os desejos de uma vida próspera e abençoada?
8) A igreja que você é membro prega "novas" revelações doutrinárias?
9) Se o motivo for razões doutrinárias, esses motivos são realmente importantes?
10) Você se sente tolhido e vítima de abuso espiritual?
11) Converse com seu pastor abertamente sobre o seu desejo e peça conselhos.
12) Ouça pessoas mais maduras e permita o benefício da dúvida.
13) Não seja precipitado. Lembre-se que a precipitação pode levá-lo a experimentar consequências desagradabilissimas.


Pense nisso!
Renato Vargens

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Como nasce um Cristão

Spurgeon, os copiadores de sermão e o fracasso do púlpito moderno

Por Renato Vargens
 
Conta a história que num domingo Spurgeon encontrava-se extremamente deprimido. Na verdade, devida a GOTA que o vitimava, o principe dos pregadores volta e meia sofria de depressão. 
 
Não se sentindo bem e inadequado a pregar a Palavra naquele dia, Spurgeon comunicou aos diáconos do Tabernáculo Metropolitano, que não iria ao culto e que outra pessoa deveria pregar a Palavra de Deus. 
 
O Principe dos Pregadores saiu então pelas ruas e resolveu entrar numa Igreja Metodista. Sem que ninguém aparentemente o reconhecesse ele se sentou em um dos bancos  esperando ouvir a Pregação do Evangelho. 
Para sua surpresa o pastor começou a pregar um dos sermões pregados por Spurgeon. Ao final do culto, o príncipe dos pregadores foi ao encontro do ministro agradecê-lo pela mensagem. O pastor ao ver que o homem que o felicitava era o próprio Spurgeon, foi tomado de grande constrangimento dizendo: "Senhor Spurgeon, perdoe-me por usar seu sermão, é porque eu não tive de tempo de me preparar adequadamente." Charles  ao ouvir as escusas do constrangido pastor replicou dizendo: "Sua mensagem foi muito boa, obrigado por pregar a Palavra de Deus."
Caro leitor, a história de Spurgeon me faz pensar em inúmeros pastores que não preparam suas mensagens optando por extirpar do Google o esboço usado por outros ministros. Ora, vamos combinar uma coisa? Pastores que agem assim não são dignos de subir ao pulpito de suas igrejas.  
 
Até entendo aqueles que possuem o hábito de consultar  o que outros homens de Deus pregaram em suas comunidades, no entanto, ouso afirmar que os que copiam na integra a mensagem de um ministro aplicando-as em seus púlpitos agem com desonestidade.
 
Prezado amigo, Spurgeon levava horas preparando seus sermões, e ao contrário destes, muitos ministros, tem optado em copiar o trabalho de outros. A consequência disso é que os ministros da atualidade, diferentemente de Spurgeon que era bem sucedido em suas pregações, tem fracassado na sublime missão de pregar o Evangelho.
 
Pense nisso!
 
Renato Vargens

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Meninas cristãs e suas fotos sedutoras nas redes sociais

Por Kristen Clark


Quando eu estava no ensino médio, Bethany e eu decidimos que queríamos fazer uma sessão de fotos bem legal de nós mesmas. 
  Colocamos as roupas mais modernas que poderíamos encontrar, nos cobrimos com jóias, colocamos duas camadas de rímel e nos dirigimos a um lugar privilegiado – o nosso telhado. Recrutamos (imploramos) uma de nossas irmãs mais novas para ser a nossa fotógrafa. Todas nós subimos ao telhado de nossa casa e ela começou a tirar as fotos.
   Sim, um telhado é um lugar inusitado para fazer uma sessão de fotos, mas nós fizemos lá para que a perfeita brisa de top model soprasse direitinho o nosso cabelo. Para cada foto, nós posavámos exatamente do jeito que tínhamos visto as modelos profissionais fazerem – com os lábios franzidos, uma sobrancelha erguida, a mão no quadril e olhos sérios.  
  Sem que ninguém nos ensinasse como posar sedutoramente, nós fomos “profissionais” e sabíamos exatamente o que fazer. Nós postamos nossa sessão de fotos no Facebook com todo orgulho e esperamos os elogios aparecerem.
 
 Sedução é a nova norma.
  
   Infelizmente, vivemos em uma cultura que treina as nossas mentes para ver sedução como norma a partir de uma idade muito jovem. Basta dar uma rápida caminhada pelo shopping e você verá cartazes atrás de cartazes com modelos em pose sensual. Desde a invenção do Pinterest, Instagram e outros aplicativos, imagem sensuais estão em nossa frente mais do que nunca.
 
  Como garotas cristãs, estamos sendo bombardeadas por mensagens de nossa cultura que sedução e poses sensuais são legais, descoladas e normais. Tirar selfies sedutoras não é mais atrevido… é aceitável e louvável. Por vivermos em um mundo caído, faz sentido que a cultura incentive as garotas a agirem assim.
 
  Faz sentido que as supermodelos e meninas não-cristãs não tenham problema em postar selfies assim.
A pergunta que eu tenho pra você é esta: Por que razão as meninas cristãs estão postando selfies sedutoras?
  
  Fico chocada, às vezes, quando eu entro no meu Instagram e vejo algumas das poses sensuais que minhas amigas cristãs estão postando. O que mais me surpreende é que eu leio os comentários de outros amigos cristãos que estão elogiando as imagens e chamando-as de “lindas”. Como assim? Parece uma epidemia ao longo dos últimos anos.
 
  Por que meninas cristãs gostam tanto de postar selfies sedutoras?
 
   Eu sei a resposta para estas perguntas, porque eu costumava ser uma daquelas meninas. Eu costumava ser a garota por trás do iPhone tirando aquelas selfies sedutoras. Eu era a garota do telhado fazendo uma sessão de fotos para que eu pudesse exibir os resultados para os meus amigos.
  
  Quanto a mim, eu postava as fotos porque queria que os rapazes me notassem. Eu queria que as pessoas elogiassem “o quão bonita eu era”. Eu adorava ouvir o louvor e afirmação dos meus amigos. Nunca foi por um “acidente” que eu postei uma foto minha. Era sempre intencional e planejado. Eu já tinha visto imagens suficientes de modelos da moda para saber como uma foto sensual devia ser.
   
   Muitas de vocês que estão lendo este blog, sabem exatamente do que estou falando, porque você já fez a mesma coisa.
   
  A verdade é que, postar selfies sedutoras é apenas um sintoma exterior de uma questão muito mais profunda. É um sinal de uma menina que anseia por algo mais. É um sinal de uma menina que está tentando encher o seu ego através dos louvores e elogios de seus amigos. Uma menina que deseja atenção de rapazes e tem a esperança de que eles vão notar uma de suas fotos. Uma menina que quer parecer confiante, mas é fraca e solitária no interior. Uma menina que gosta de seduzir os rapazes fazendo com que eles “queiram o que não podem ter.” 
 
    Selfies sedutoras são nada mais do que imagens que gritam, “Olhe para mim!”. Elas são uma oportunidade para apontar os holofotes sobre si mesma por um breve momento e esperar que alguém note. Como garotas cristãs, Deus nos chama para um padrão muito mais elevado do que para jogar o jogo “selfie sedutora”. Todo o propósito de nossas vidas é apontar outros a Cristo, não para nós mesmas. Esse tipo de foto nunca é centrada em Cristo, mas é sempre centrada em sí mesma. Deus nos chama a viver uma vida moralmente pura em todos os sentidos.  Postando fotos sedutoras de si mesma, você não está promovendo a pureza ou santidade dentro do corpo de Cristo.  Desde aquele dia no telhado, Deus me deu convicção de pecado acerca da motivação e condição do meu coração. Diga-me se você acha que selfies sedutoras não são erradas de acordo com Efésios 5:1,3: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados. Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos”.
 
O que você acha?
 
  Primeiro somos chamadas a sermos imitadoras (reflexos) de Deus para o mundo que nos rodeia. Você e eu somos filhas de Deus! Precisamos refletir bem o caráter e a pureza de nosso Pai. Em segundo lugar, somos ordenadas a ficar longe de qualquer forma de imoralidade sexual e toda a impureza. Você entendeu isso? “Qualquer forma … toda a impureza”. Selfies sedutoras não tem chance contra estes versículos.
  Nossa cultura nos diz que santidade e pureza é careta e que ser rigorosa demais consigo mesma a levará a uma vida de tédio. Se for esse o caso, então por que há tantas meninas solitárias, tristes, deprimidas, inseguras e carentes? 
  Deus nos dá padrões de pureza e santidade, porque Ele sabe que é o que é melhor para nós. A verdadeira alegria e contentamento não virá através dos aplausos de seus amigos, ela só virá através de obedecer e honrar a Deus. “Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do SENHOR. Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração” Salmo 119:1-2.
  Eu sei que você quer ser abençoada por Deus. Tenho certeza! Em vez de ficar se esforçando para alcançar o aplauso vazio deste mundo, se esforce para receber os aplausos gratificantes de seu Rei.
 
Nada lhe fará mais feliz do que viver para a glória de Deus.
 
Como garotas cristãs, temos o dever de honrar nosso Rei, em todas as áreas de nossas vidas. Temos a responsabilidade de refletir a imagem de Cristo para o mundo perdido ao redor de nós.
 Você vai se juntar a mim em rejeitar a tendência de selfies sedutoras? Você vai dizer não às postagens de fotos que te auto-glorificam e colocam toda a atenção em você?
  Nosso mundo precisa desesperadamente de meninas cristãs que estejam dispostas a defender a verdade de Deus, exibindo algo muito maior do que elas mesmas.
 
Vamos tornar isto pessoal:
 
  Você é culpada por postar selfies sedutoras? Se assim for, qual é a sua motivação por trás das publicações? Você está disposta a pedir perdão a Deus por não refletir bem a Sua imagem? Se assim for, confesse seus  pecados e peça a Deus para criar um coração limpo e puro dentro de você. De que forma você é tentada a colocar a atenção sobre si mesma, em vez de Deus? 
 
Eu adoraria ouvir o que você tem a dizer sobre isso nos comentários abaixo!
_____________
 
 
Este post é uma tradução de um artigo de Kristen Clark publicado originalmente no Blog “Girl Defined”, traduzido e publicado em Português no blog Juventude Presbiteriana e reproduzido com permissão da autora e tradutora.
A Mini Biografia da autora será postada em breve.
Traduzido por: Bruna Bugana
Revisão: Flávia Silveira

Fruto do Espírito é automático?

Manhãs de Domingo

Estava sentada na varanda de casa, pronta para responder às questões do capítulo 10 do meu livro Housewife Theologian [Teóloga Dona de Casa]. Pelo que pude perceber, fazer perguntas é muito mais fácil que respondê-las. Estava me preparando para liderar um pequeno grupo e pensei que passaria rapidamente pela primeira pergunta. Era pra ser apenas uma questão introdutória antes de entrar na teologia da igreja:
 





  1. Como você descreve sua atitude atual a respeito de comparecer regularmente aos cultos dominicais? Como você pensa que a sua atitude afeta a visão que a sua família tem do culto?
 

   Essa deveria ser bem fácil, já que amo ir à igreja. Mas, mesmo assim, tenho visto que o diabo trabalha arduamente no lar dos Byrds nas manhãs de Domingo. É inevitável: Serei desafiada por múltiplos obstáculos ao tentarmos sair pela porta por volta das 9 horas. Uma das crianças chegará valsando ao meu quarto exibindo uma péssima escolha de roupas, o cachorro NÃO entra no canil, e sempre há a previsível mancha de café nas roupas de alguém (por alguém quero dizer eu). Isso não deveria ser um problema, já que acordo três horas antes da hora de sair. Mas parece que a versão de Domingo de manhã de mim mesma é um daqueles sonhos em câmera lenta em que você está sendo atacado. Fico desastrada, lenta e pareço não conseguir colocar as palavras certas para fora.
 

    Claro, nós sempre conseguimos sair de casa. Mas, muitas vezes, minha família acaba vendo uma versão chateada e estressada de mim nas manhãs de Domingo. Assim, comecei minha resposta com um título: O que eu quero que minha família veja no Domingo de manhã. Aqui estão alguns tópicos que levantaram muita discussão naquele dia:


  • Fome:
o   Pela Palavra pregada
o   Por estar com o povo de Deus
o   Por adorar
o   A necessidade de vir com fome à mesa

  • Um senso de chamado:
o   O chamado à adoração é mais do que um convite: Ecclesia
o   Discutir nossa resposta litúrgica
o   “Criados pela palavra, mantidos pela palavra e um dia glorificados pela palavra, nós somos, como o resto da criação, seres chamados à existência, não autônomos” (Michael Horton)

  • Apreciação pelo que realmente importa:
o   Não a cozinha bagunçada
o   Não o nosso time
o   Não a falta de sono

  • Reunião familiar:
o   Uma representação da reunião e da grande festa que há de vir!

  • Até mesmo dever:
o   Sejamos francos, somos pecadores e nem sempre nos sentimos com vontade de ir
o   Obediência ao chamado, independente de como nos sentimos

  • Privilégio
o   “Muitos são chamados, mas poucos, escolhidos” (Mateus 22.14)
o   Somos parte de uma parte abençoada
o   Cristo vai até nós

  • Ansiedade por receber os dons de Deus:
o   Onde e como Deus prometeu seus meios de graça

  • Descanso:
o   Não é uma hora a mais de sono
o   Não é ficar na varanda ou pescando
o   Em Cristo, nosso Sábado
 

   Eu sei que artigos tipicamente deveriam expandir ideias, não apenas largá-las em tópicos assim. Mas cada um desses tópicos poderia ser um artigo inteiro. Talvez você possa pegar um deles e meditar nessa semana ao se preparar para a próxima manhã de Domingo.

Por Aimee Byrd

Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Fonte: A Pedra

terça-feira, 15 de julho de 2014

A Infância de Jesus

Quase nada sabemos sobre a infância de Jesus, até os 12 anos. Os Evangelhos apócrifos nos dão um quadro fantasioso sobre o menino Jesus. O que podemos saber, de fato, acerca de Jesus, do nascimento aos 12 anos, e que lições podemos tirar para nós do relato de Lucas? Veja a exposição de Lucas 2.39 a 40. (36 minutos).



segunda-feira, 14 de julho de 2014

Orgulho de ser brasileiro


Pode comemorar, brasileiro. O Brasil está na final da Copa do Mundo da Alemanha! Depois de golear a anfitriã por 7 a 1, em pleno 
Olympiastadion Berlin, a Seleção canarinho vai enfrentar a Argentina, que passou com muita dificuldade pela Holanda. Ficamos tristes pela situação da Alemanha, que, além de perder na semifinal, também foi goleada ontem pela Holanda, por 3 a 0, no Signal Iduna Park, em Dortmund, e ficou em quarto lugar.

Como se não bastasse a vergonhosa participação da Seleção Alemã na Copa, realizada em seu próprio país, levando dez gols em dois jogos, o povo alemão está indignado com o governo. O tão festejado legado da Copa tem sido pífio. E o trem-bala, prometido pela chanceler Angela Dorothea Merkel, há quatro anos, não foi entregue. Merkel deve receber uma sonora vaia, neste domingo, no momento da entrega dos prêmios aos finalistas.

A grande indignação dos alemães não é por causa do futebol, e sim em razão de a Alemanha estar e 85º. lugar no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Alguns ufanistas estão comemorando — não sei por quê —, e um ex-chefe de Estado que fala “pelos cotovelos” chegou a dizer que a Alemanha está entre os “sete melhores países em tudo o que você quiser”.

Outros defensores do partido que está no poder há mais de dez anos dizem que a Alemanha só não está melhor por causa da Segunda Guerra Mundial. Afinal, desde 1945, os alemães não conseguem se reerguer. Mas a oposição não concorda com isso, pois a corrupção ali é grande, e os políticos corruptos, mesmo depois de punidos pelo Bundesgerichtshof (STF alemão), recebem regalias.

Comemore, brasileiro! Ganhando ou perdendo a Copa, continuaremos felizes, pois o Brasil ainda está em 5º. lugar no ranking do IDH e temos educação, saúde, segurança, justiça, transportes, qualidade de vida, civilidade, etc. Somos um país exemplar. E mais: a nossa presidenta Dilma Rousseff, que estará presente na grande final, no 
Allianz Arena, em Munique, será aplaudida por todos, seja qual for o resultado, haja vista ser ela uma grande estadista, que tem conduzido a nossa nação com muita competência, a ponto de ser considerada a segunda pessoa mais influente do mundo!

Soltemos, pois, o nosso grito: “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”...

Ciro Sanches Zibordi

sexta-feira, 11 de julho de 2014

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Livrem-se da Idolatria - Pr Paulo Jr.

Ariovaldo Ramos - O sofrimento é o ambiente em que todos vivemos

Frios? Nem tanto!




   Bom dia Graça e Paz,



    Ontem tive o privilegio de participar de um culto em uma Igreja Batista Reformada que me fez refletir muito em muitas coisas da minha caminha com Cristo, fomos um grupo numa cidade próxima à nossa, e fomos quase que os primeiros a chegar à igreja.

    
    Entramos e fomos procurar os lugares para sentar, como éramos visitantes sentamos mais atrás como de costume, logo em seguida começaram a chegar os irmãos. Chegou um bem vestido, outro nem tanto, um mais largado, alguns barbudos, alguns tatuados, tinha estilos pra todos os gostos, mais o que me chamou a atenção não foram os estilos mais sim a satisfação te estarem se vendo naquele momento, parecia que não se viam há anos, como aquelas reuniões de família que acontece de ano em ano.

   
    A partir dai comecei o meu questionamento; “engraçado estou em uma igreja renovada a pouco mais de 8 anos e sempre ouço alguém falar, ELES SÃO FRIOS”, mais não foi o que vi ontem, tive o prazer de contemplar e ver que realmente o Espírito Santo opera o amor verdadeiro, o amor não fingido que Paulo escreve em Romanos 12:9,  amor esse que me deixou muito feliz.

  
    Não era a pessoa chegar te cumprimentar e depois de abraçar, não, primeiro abraçavam e depois falavam “JESUS TE ABENÇOE”. Primeiro vinha aquele abraço caloroso e depois te abençoavam e não o contrario, eles não esperavam ser abençoados primeiro para depois te abraçar, ou seja, não recebiam a bênção para te abraçar, eles te abraçavam e logo em seguida chegava suave no seu ouvido uma frase “JESUS TE ABENÇOE MEU IRMÃO”.

   
   Chegou o período de louvor, meu Deus que louvor, e o mais interessante é que era praticamente as mesmas musicas que minha igreja conhece só que com uma grande diferença, estavam fazendo com amor.

    Amor esse que estava expresso nos cantores, nos músicos em toda a igreja, os barbudos, os tatuados, os bem vestidos e os largados.

    Ai me lembrei do que Paulo escreveu em 1 Coríntios 13 :


1  Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

     
   Cheguei a um ponto do culto que fiquei constrangido, porque sou de uma igreja “quente” e eles de uma igreja “fria!!” pensava eu, mais naquele momento eu pude perceber quem são os frios de fato. Porque o que presenciei não foram irmãos “frios” se reunindo, eu vi pessoas calorosas e com muito amor se alegrando por estarem juntas mais um culto.

  
  A palavra ministrada não vou nem detalhar, o pregador da noite?  Pr Ariovaldo Ramos, nos não éramos mais do que 200 pessoas reunidas para ouvi-lo, mensagem tremenda que me trouxe muitas respostas por escolhas feitas no decorrer da caminha, glorifiquei muito a Deus porque foram decisões na direção do Espírito Santo.

   Espero que a comunhão que presenciei ontem possa chegar verdadeiramente na minha igreja, espero que o amor que senti ontem  no corpo de Cristo possa inundar a minha igreja, ontem consegui entender muito bem quando o salmista diz " Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união". Uma união verdadeira, um amor verdadeiro e uma alegria verdadeira de estarem juntos como igreja. 

   É bom ter profecia? Demais, mais sem amor de nada vale, é bom falar em línguas? Demais, mais sem amor de nada vale, como Paulo bem descreveu em sua carta.



    FRIOS ????  NEM TANTO !!!


Por: Alessandro Silva

Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...