Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Pastor afirma que Jesus poderia ser gay





Uma polêmica iniciativa de uma igreja na Nova Zelândia repercutiu na mídia local e em diversos países.

Em sua campanha de Natal, a igreja St. Matthews in the City veiculou um anúncio de outdoor com uma imagem do menino Jesus com uma espécie de auréola nas cores do arco-íris, que é identificado no mundo todo como símbolo homossexual.

No cartaz, há ainda um trocadilho, que permite interpretações dúbias: “É Natal. Tempo de Jesus sair”. A expressão pode ser interpretada como sair da ventre ou do armário, o que levaria à insinuação de que Jesus seria gay.

A ideia, segundo Glynn Cardy, pastor responsável pela igreja, é que é necessário atrair os membros da comunidade gay: “Faria alguma diferença se ele fosse gay? Teria que mudar a imagem para você? Significaria que deveríamos mudar nossa reverência a ele?”, questiona o pastor.

Como a sexualidade de Jesus não é um tema presente na Bíblia, o pastor se justifica: “O fato é que não sabemos qual era sua orientação sexual”, disse Cardy, ao site Stuff.

O próprio site Stuff afirma que a iniciativa polêmica é interpretada pelas pessoas como um desvio acentuado da conduta cristã tradicional.



Por Tiago Chagas, para o Gospel+


O que este falso profeta parece desconhecer é um postulado central no sacrifício salvífico de Cristo: Sobre ele não havia qualquer pecado, estando,  portanto, explicito que a sodomia não poderia fazer parte de sua vida, assim como nenhum outro pecado. Jesus jamais pecou.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Deus virou gente

Conversei com o Papai Noel sobre o Natal e a Teologia da Prosperidade

Acabei de conversar com o Papai Noel! Acredite. Tentei o contato, inicialmente, por celular, mas o “Bom Velhinho” não o atende de jeito nenhum. Tentei contato por telefone fixo. E nada. Depois de muita insistência, consegui falar com um dos seus duendes assessores e agendei quinze minutos de conversa pelo Messenger. Noel, que ainda está no Polo Norte se preparando para visitar bilhões de residências em todo o mundo, a partir da meia-noite do dia 25 de dezembro, fez declarações surpreendentes, bombásticas, nesta entrevista exclusiva. Acompanhe.

CSZ: Grande Papai Noel, que prazer falar com o senhor! Tudo bem? Em primeiro lugar, como devo chamá-lo?

Papai Noel:
Ho, ho, ho! Boas festas! Gosto muito dos brasileiros! Eles não são como os alemães, que querem me trocar por São Nicolau... Em Portugal, eu sou o Pai Natal. Nos Estados Unidos, o Santa Claus. Aí no Brasil, a maioria dos meus seguidores me chama de Noel mesmo. Mas também gosto muito de ser chamado de Bom Velhinho.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Após enviar ogum (São Jorge) aos lares brasileiros, Globo prepara oxum


Globo reafirma preferência religiosa
Após a exibição de ‘Salve Jorge’ (ogum), a Globo dará espaço para outra entidade religiosa do Candomblé, desta vez oxum.

A nova trama será chamada de “Canto da Sereia“, onde a atriz Fabíula Nascimento viverá a ‘mãe Marina de oxum’, e será exibida a partir de janeiro de 2013.

COMENTÁRIO:

A Globo vem tentando aproximação com os evangélicos e tem obtido bastante sucesso na empreitada.

Na crença de que a emissora está se ‘convertendo’, muitos creem ser ‘de Deus’ a abertura que a Globo está dando aos evangélicos, mas a emissora tem comprovado cada vez mais sua preferência religiosa.

O longo histórico da Globo mostra que a emissora está em caminho bem diverso dos evangélicos.

Globo afrontou evangélicos ao realizar ‘casamento gay’ com duas lésbicas que se dizem evangélicas

A emissora é uma das TVs brasileiras mais engajadas na alavancagem da agenda gay.

Em programa exibido alguns meses atrás a Globo realizou o primeiro ‘casamento homossexual’, no Programa Na Moral, apresentado pelo especialista em BBB, Pedro Bial, cujos detalhes estão narrados no artigo “Mais um INSULTO da Globo: emissora promoverá ‘casamento gay’ entre duas lésbicas que se dizem evangélicas com cerimônia celebrada por ‘pastores’ gays“.

E como que parecendo ser esta a tônica, a emissora, em menos de quinze dias em relação à primeira ação, levou outro ‘evangélico gay’ a um de seus programas, o do Jô Soares, para fazer também apologia à causa.

Existem inúmeras celebridades do mundo secular que defendem a causa gay, mas a Globo tem priorizado dar voz aos ‘evangélicos’ gays, em uma clara demonstração de embate direto com os evangélicos, que respaldados na Bíblia, discordam da prática.

Evidentemente que para afagar a ‘crentaiada’ e diminuir as críticas, a emissora oferece-lhes alguns minutos-migalhas: Festival Promessas, cobertura das Marchas para Jesus, cobertura de alguns eventos evangélicos … Alguns minutinhos ou segundinhos que certamente contentam alguns evangélicos e fazem crescer os olhos de outros que enxergam mais além, com a visão mercadológica.


A discriminação aos evangélicos e o respeito às demais crenças

Em 2008 as cenas da novela global “Duas Caras” retrataram os evangélicos como “loucos, violentos, irracionais e fanáticos”.

Ainda em 2008 a provocação se deu no seriado “O Pai, ó”. Tal provocação aos evangélicos levou o jornalista Carlinhos Medeiros a criticar a posição da emissora.

Em 2011 pastores foram afrontados em “Insensato Coração”, exibida pela Globo.

Em 2012 a imagem mulher evangélica foi mostrada em “Avenida Brasil” como uma pessoa de comportamento duvidoso.

Nas cenas de ‘Salve Jorge’ não está havendo deturpação alguma, mas extrema devoção ao ‘espírito de São Jorge’.

E certamente o mesmo respeito se dará a oxum, nas cenas de ‘Canto da Sereia’.

Enaltecer e respeitar outras vertentes religiosas é normal para a Globo, assim como também é normal tratar com desprezo a fé evangélica.

Comendo as migalhas

Enquanto um número enorme de evangélicos, impulsionados por ‘artistas gospel’, preferem comer as migalhas que caem da mesa do senhor global, outros ’7.000′ preferem não se prostrar perante ele.

Fato é que a Globo tem sua preferência religiosa e reafirma isto cada vez mais. O que muitos, engabelados pelo canto da sereia global, ainda não conseguiram entender.
Fonte Holofote.net

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

10 razões para celebrar o Natal de Cristo

1. O glorioso Natal do Senhor Jesus foi mencionado pelos profetas do Antigo Testamento, como Isaías (7.14; 9.6), Miqueias (5.2) e outros. Por que ignoraríamos um evento tão importante, mencionado por Deus, através de seus profetas, centenas de anos antes de acontecer?

2. Quando Jesus nasceu, em Belém de Judá, um anjo de Deus, cercado do resplendor da glória do Senhor, apareceu a alguns pastores de Belém de Judá e lhes disse: "eis aqui vos trago novas de grande alegria" (Lc 2.10). O Natal de Cristo trouxe alegria ao mundo, e não tristeza! E nós, que somos salvos e conhecemos o verdadeiro significado do Natal, devemos nos alegrar ainda mais com a lembrança desse glorioso acontecimento!

3. A celebração do nascimento de Jesus é incentivada pelo Novo Testamento. Ela não foi inventada por povos pagãos que viveram antes de Cristo nem instituída pelo romanismo. Este apenas estabeleceu a data para a celebração: 25 de dezembro. Mas, em Lucas 2.13,14, vemos que uma multidão dos exércitos celestiais já havia celebrado o Natal. Na mesma noite do nascimento do Senhor, os aludidos pastores de Belém visitaram o Menino e voltaram "glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto" (Lc 2.20). Cerca de dois anos após seu dia natalício, o Menino recebeu a visita de magos do Oriente, que também o adoraram e lhe ofertaram dádivas (Mt 2.1-16).

Relacionamentos que desagradam a Deus

Conheça seu inimigo (3)

 Mateus 4.8-11
 Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles.
E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.

 

Por que ser glorificado amanhã se você pode se exaltar hoje?


A seguir, Satanás faz uma “proposta irrecusável”. Jesus receberia todos os reinos da terra se adorasse a serpente. Na primeira parte dessa série, enfatizei o fato de que Jesus era herdeiro das promessas de Abraão e herdeiro das promessas de Davi. Ele herdaria a terra prometida a Abraão, e o trono de Davi. Ele seria o Rei do Reino de Deus. Era seu direito.
Novamente, Satanás não estava oferecendo nada que Jesus não pudesse ter. Ele apenas está oferecendo do jeito dele. Futuramente, Jesus seria glorificado e receberia o reino. Mas ele precisaria passar para a cruz. Mas a proposta do diabo é do tipo em que os dois parecem sair vencedores – Jesus recebe o prêmio sem sofrimento e o Inimigo não é derrotado vergonhosamente.
Quem não deseja ganhar tudo agora sem sofrimento algum? Pra que trabalhar se existe loteria? Pra que abstinência se existem formas de escondê-la? Pra que sofrer por Cristo se ele já sofreu tudo o que eu precisava? Por que esperar a herança vindoura se posso declarar, ordenar hoje e prosperar agora?

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

A Bíblia é confiável, ou foi mudada pelo romanismo?

Há muitos cristãos sinceros se deixando enganar por webenganadores que propagam “verdades ocultas” e teorias da conspiração. Eles têm afirmado que a Bíblia foi adulterada, ao longo dos séculos, e não é a Palavra de Deus. Dizem que ela apenas contém as Escrituras, visto que — segundo eles — o seu conteúdo foi modificado pelo romanismo e também pela “religião evangélica”.

Na verdade, uma das grandes alegrias e certezas do cristão — posso garantir, pois sei em quem tenho crido — é saber que o Livro Sagrado que lemos em nossa casa ou levamos conosco, ao nos dirigirmos à casa do Senhor, quase não foi alterado desde os primórdios. Sabemos que os manuscritos originais, os autógrafos (escritos à mão pelos autores), não existem, porém o seu conteúdo foi preservado.


A preservação do conteúdo da Bíblia, ao longo dos séculos, é a maior evidência externa da sua autenticidade, conquanto a nossa cultura dê grande valor ao que é considerado original. Neste artigo, discorrerei sobre a certeza da preservação do conteúdo das Escrituras, o que dá a nós, expoentes do Evangelho, ainda mais confiança para pregar e ensinar a verdade cristocêntrica.

Thalles Roberto adorador de Deus ou de Mamon?


   
  Vi esse vídeo enquanto peregrinava no Profetirando, acredito que não será necessário comentar muito sobre o vídeo, né? Então, assista e tire suas próprias conclusões.




Thalles não foi no show em guarulhos e ainda por cima o dinheiro dos ingressos não foi devolvido , é assim usando o nome de Deus eles queriam que ficássemos quietos e deixássemos que Deus ia devolver nosso dinheiro, é assim que a maioria engana os evangélicos e ficam ricos, fica a pergunta será mesmo que tudo que foi feito aquele dia foi para Deus ou para beneficio próprio?" (Descrição do Vídeo no Youtube).

Onde Jesus esteve entre os 13 e 30 anos?


A revista Aventuras na História da Editora Abril publicou uma matéria onde requenta a velha teoria de que Jesus, dos 13 aos 30 anos, viveu em países estrangeiros aprendendo mágica, filosofia e alquimia, antes de se apresentar em Israel como o esperado Messias dos judeus. Vários evangelhos apócrifos são mencionados como fonte para esta especulação.
A matéria é entediante, além de revelar a mais completa ignorância dos estudos bíblicos e arqueológicos relacionados com a vida de Jesus Cristo. É igual às outras publicações sensacionalistas de fim de ano, que se aproveitam do Natal todo ano para interessar os curiosos e ignorantes tecendo teorias absurdas sobre a vida de Jesus.
A razão pela qual os Evangelhos não nos dizem nada sobre Jesus dos 13 aos 30 anos é por que os Evangelhos não são biografias no sentido moderno do termo, onde se conta toda a história da vida do biografado, desde seu nascimento até a sua morte, dando detalhes da sua infância, adolescência, mocidade, vida adulta e velhice. Os Evangelhos, como o nome já diz, foram escritos para evangelizar, isto é, para anunciar as boas novas da salvação mediante a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Portanto, o que da vida de Jesus interessa aos Evangelhos é seu nascimento sobrenatural, para estabelecer de saída a sua divindade, seu ministério público a partir dos 30 anos, quando fez sinais e prodígios e ensinou às multidões, e sua morte e ressurreição que são a base da salvação que ele oferece. Não há qualquer interesse biográfico na adolescência e mocidade de Jesus, pois nesta época, viveu e cresceu como um rapaz normal.
Assim mesmo, algumas informações dos Evangelhos canônicos - Mateus, Marcos, Lucas e João - nos deixam reconstruir este tempo da vida de Jesus, que passa sem registro direto. Lemos que quando Jesus começou a fazer milagres e a ensinar em sua própria cidade, Nazaré, os moradores estranharam muito pelo fato de que eles conheciam Jesus desde a infância:
 "E, chegando à sua terra, ensinava-os na sinagoga, de tal sorte que se maravilhavam e diziam: Donde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos? Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas? Não vivem entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isto? E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, senão na sua terra e na sua casa. E não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles". (Mat 13:54-58 ARA)
 Percebe-se pela passagem acima que os moradores da cidade conheciam Jesus e toda a sua família. Se Jesus tivesse passado estes 27 anos fora da cidade, certamente não haveria esta reação.
Além do mais, o ensino de Jesus acerca da Lei, dos mandamentos, do Reino de Deus , as suas parábolas e suas ilustrações são todas tiradas do Judaísmo, das Escrituras do Antigo Testamento e das terras da Palestina. Ele está familiarizado com a agricultura, o cuidado de ovelhas, o mercado, o sistema financeiro e legal da Palestina. Estas coisas teriam sido impossíveis se ele tivesse passado todos estes anos recebendo treinamento teológico e místico em outro país, outra cultura, outra religião. Não há absolutamente nada no ensino de Jesus que tenha se originado na religião egípcia, persa, mesopotâmica do da índia, todas elas politeístas, cheias de deuses e totalmente panteístas. O ensino de Jesus, ao contrário é monoteísta e criacionista.
Estas lendas bobas da sua infância são tiradas de "evangelhos" apócrifos e espúrios, cuja análise já fiz e ofereci aos meus leitores aqui
É impressionante, todavia, que ainda estão dando importância a este fragmento de um suposto "evangelho da esposa de Jesus" mesmo após autoridades em manuscritologia e papirólogos terem rejeitado sua importância e mesmo sua autenticidade. Escrevi aqui sobre o tal fragmento.
No fundo, a razão para todas estas especulações é a rejeição do quadro simples e claro que os Evangelhos nos pintam acerca de Jesus, como verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que nasceu, viveu e morreu para que pudéssemos ter o perdão de pecados e a vida eterna.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

95 Teses para a Igreja de Hoje



95 Teses para a Igreja de Hoje
1 – Reafirmamos a supremacia das Escrituras Sagradas sobre quaisquer visões, sonhos ou novas revelações que possam aparecer. (Mc 13.31)
2 – Entendemos que todas as doutrinas, ideias, projetos ou ministérios devem passar pelo crivo da Palavra de Deus, levando-se em conta sua total revelação em Cristo e no Novo Testamento do Seu sangue. (Hb 1.1-2)
3 – Repudiamos toda e qualquer tentativa de utilização do texto sagrado visando a manipulação e domínio do povo que, sinceramente, deseja seguir a Deus. (2 Pe 1.20)
4 – Cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus e que contém TODA a revelação que Deus julgou necessária para todos os povos, em todos os tempos. Cremos ainda que Jesus Cristo é a revelação final e plena de Deus (2 Tm 3.16; Hb 1.1-2)
5 – Que o ensino coerente das Escrituras volte a ocupar lugar de honra em nossas igrejas. Que haja integridade e fidelidade no conhecimento da Palavra tanto por parte daqueles que a estudam como, principalmente, por parte daqueles que a ensinam. (Rm 12.7; 2 Tm 2.15)
6 – Que princípios relevantes da Palavra de Deus sejam reafirmados sempre: a soberania de Deus em amor, a suficiência da Graça, o sacrifício perfeito de Cristo e Sua divindade, o fim do peso da lei, a revelação plena das Escrituras na pessoa de Cristo, etc. (At 2.42)
7 – Cremos que o mundo jaz no maligno, conforme nos garantem as Escrituras, não significando, porém, que Satanás domine este mundo, pois “do Senhor é a Terra e sua Plenitude, o mundo e os que nele habitam”. (1 Jo 5.19; Sl 24.1)

Onde está Deus?

Conheça seu inimigo (2)

Mateus 4.5-7

Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,
E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces em alguma pedra.
Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.

 

Use e abuse: Os anjos te salvarão


A segunda tentação parece um pouco estranha para alguns, mas imagine a situação de Jesus¹. Ou imagine você nessa situação. Você esteve em um deserto por 40 dias. Você esteve com fome, com sede, cercado por feras, sem qualquer pessoa para conversar. Você passou os dias com calor e as noites com frio. Você esteve indefeso e solitário.
Não é nessa situação que imaginamos o Filho de Deus. Ou qualquer dos filhos de Deus. Ou mesmo qualquer pessoa. Fomos criados para viver em um jardim, entre animais que nos obedeciam e nos respeitavam, acompanhados de um cônjuge, de um Deus, de árvores de todo tipo. Não havia fome, solidão, perigo ou desamparo.
Não é sem motivo que o diabo leva Jesus para um cenário que é oposto ao deserto. Eles vão parar na cidade santa, onde multidões caminham, e não há solidão. Sobem ao topo do templo, o centro da vida política, cultural e religiosa de Israel. O templo era o local onde se cria que Deus habitava, um pequeno retorno ao Éden, com suas representações de animais e árvores². Este sim é o local adequado para os filhos de Deus. Afinal, “está Deus no meio de nós ou não?”, já diziam os judeus no deserto.
Então, o diabo cita o Salmo 91. Ele fala de alguém que sai vitorioso das provações. Alguém que foi salvo porque amava a Deus, que foi posto em “um alto retiro” por conhecer o nome dele. Alguém que não foi abandonado em meio às feras. Deus está com este personagem ou não? É óbvio que sim!
Com isso em mente, imagine essa prova para você. Você está mais acostumado com ela que pensa. Não tenho a menor dúvida de que existem problemas afligindo sua vida. Nesse mundo caído, sempre há problemas. Seja uma doença, falta de namorada, vestibular, relacionamentos, desemprego. Ou então, coisas menos rotineiras, como dúvidas em relação à salvação, respostas de oração, a falta de algum tipo de experiência mais “espiritual”, ou uma igreja que não responde da maneira esperada ao seu ministério. Você se sente só e desamparado às vezes. Está Deus comigo ou não?
Mas eis que surge a solução. Prove Deus. Teste-o! Um anjo aparece pra você e diz: “Suas dúvidas podem acabar. Tudo o que você precisa fazer é _________ e Deus te mostrará que está com você”. Traduzindo para nossa vida: peça uma prova, exija uma evidência, agarre-se a algo – ele deve mostrar o amor por você, não? Ele está entre nós ou não?

Qual deve ser a conduta do cristão equilibrado em relação ao Natal secular?

Não se sabe, ao certo, quando o Senhor Jesus nasceu. Mas sabemos que não foi em 25 de dezembro. Na Palestina, nessa época do ano, o forte frio seria um obstáculo à iniciativa imperial de realizar um alistamento (Lc 2.1-3). Isso é reforçado pelo fato de os pastores estarem no campo na noite de Natal (v.8).

A data de 25 de dezembro tem origem pagã e é rejeitada por muitos especialistas em história e cronologia bíblicas. Até o século III, o nascimento de Jesus era comemorado no fim de maio, no Egito e na Palestina. Em outros lugares, era celebrado no começo de janeiro ou no fim de março. O imperador Aureliano estabeleceu, em 275, a comemoração obrigatória do Natalis Invicti Solis (Nascimento do Sol Vitorioso) em 25 de dezembro. E, a partir de 336, o romanismo, fazendo uma unificação sincrética de várias festas religiosas, adotou essa data oficialmente para a comemoração do nascimento de Jesus.


Como seguidores de Cristo, não somos deste mundo (Jo 17.16), mas vivemos nele. E, por isso, temos de conviver, a cada ano, com dois Natais: o verdadeiro, pelo qual celebramos o nascimento do Senhor Jesus Cristo (não apenas nessa época do ano, evidentemente); e o secular, capitalista, sincrético, comemorado em uma data pagã, no qual o Aniversariante torna-se um mero coadjuvante.

Como devemos nos comportar diante da realidade desses dois Natais?

Os dons Espirituais e a Igreja parte 3 - Pastor Antonio Silva

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Tabela Periódica Bíblica


Por que Jesus não deixa Maria Madalena tocá-lo?

Sua dúvida é: Por que Jesus ressuscitado não permite que Maria Madalena o toque por ainda não ter sido glorificado, se em Mateus ele tem seus pés abraçados pelas duas Marias e em João, pouco depois, ele próprio pede a Tomé que o toque para conferir se é ele mesmo? Vamos comparar as passagens:

 
Joã 20:17 Disse-lhe Jesus: Não me detenhas [toques], porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.

Mat 28:9 E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram.

Joã 20:27 Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.

Creio que o sentido da palavra em algumas traduções ("não me detenhas") pode ajudar a entender a passagem de João 20:17, mas é preciso também levar em consideração duas coisas: o aspecto profético de cada evangelho e também o estado de Maria Madalena em seu encontro pessoal com o Ressuscitado no evangelho de João. Quando ler os evangelhos evite fazer isso como se lesse um simples relato cronológico de acontecimentos. Por exemplo, Lucas não é sempre cronológico, mas a sequência dos acontecimentos aparece numa ordem moral.

Conheça seu inimigo

Eu gosto de séries de TV. E quem me conhece sabe que gosto não apenas de séries, mas de citar as séries, ganhar presentes relacionados a séries, imitar personagens e pior – usá-las de exemplo em sermões, palestras e textos (quando relevante, claro). Dito isso, há uma série inglesa que gosto muito. Chama-se Doctor Who e ela tem uma tradição de popularizar algumas frases marcantes. Uma dessas frases é Don’t Blink (“Não pisque”). A expressão ficou famosa devido a um episódio que apresenta certos personagens com uma habilidade estranha, mas interessante. (É meio viajante, mas por favor, continue lendo). Eles se tornam pedra se alguém estiver os observando. Ficam ali, parados, endurecidos, perdidos no meio do cenário… até que você pisca e eles correm em sua direção.
A frase ficou famosa entre os fãs da série porque o episódio é extremamente tenso. “Don’t Blink! Não pisque! Pisque e você está morto. Não olhe para os lados. Não dê as costas. E não pisque! Boa sorte.” São essas as instruções que o Doutor, o protagonista, dá a seus aliados. E ele sabe que é quase impossível escapar. (Até porque se eu falar para você não piscar, você provavelmente vai sentir vontade de piscar).
 

Reflexão

   
  Um dos riscos que reformados correm é enfatizar a soberania de Deus a ponto de esquecer que o próprio Deus estabeleceu e determinou que o mundo funciona na base da lei das causas e efeitos. O mundo natural é regido por leis dentro deste princípío. Da mesma forma o mundo espiritual. Esperar efeitos (resultados) sem que se usem as causas (ações) que os produzem é zombar de Deus, conforme Paulo ensinou aos Gálatas: "De Deus não se zomba: aquilo que o homem semear, isto também ceifará" (Gal 6:7). Quem quer ver sua igreja cheia de convertidos que amam a Deus tem que usar os meios para isto: evangelizar, ensinar, discipular, treinar e orar muito. Quem quer vencer o pecado tem que usar os meios para isto: mortificação, negar a si mesmo, fugir das ocasiões de tentação. Quem quer um casamento feliz tem que praticar o que a Bíblia diz quanto aos papéis do marido e da esposa. Um milagre é quando o próprio Deus faz que os efeitos aconteçam sem o emprego das causas. Somente Ele pode fazer isto. E ele não nos ensina a viver na espera de milagres, mas sim a diariamente usar os meios corretos para se obter os fins desejados. 
Por Augustus Nicodemus Lopes

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Existe mandamento bíblico para celebrarmos o Natal?

Como tenho escrito vários artigos sobre o Natal de Cristo — aqui e nas redes sociais , um internauta argumentou: "Não existe nenhuma ordem bíblica para a celebração do Natal". Eu poderia ter repetido tudo o que já escrevi sobre o assunto ou simplesmente ter pedido a ele que lesse meus textos. Mas resolvi lhe fazer algumas perguntas.

Há alguma ordem bíblica para celebrarmos o nosso aniversário, fazendo um culto de ações de graça por mais um ano de vida e oferecendo bolo aos convidados? Existe mandamento específico para as mulheres casarem com vestido de noiva, branco, com véu e grinalda? Há ordem nas Escrituras para o homem casar de terno e gravata?

Existe ordem bíblica para o casamento ser realizado primeiro no cartório e depois no templo? Aliás, há mandamento específico que indique o local onde o matrimônio deva ser oficializado? Existe ordem nas páginas sagradas para os noivos fazerem uma recepção aos convidados e, depois, viajarem em lua de mel?

A Ceia do Senhor é uma ordenança do Senhor Jesus. Mas onde está o mandamento para a celebrarmos de mês em mês ou a cada semana? Existe ordem bíblica para fazermos a Escola Bíblica Dominical? Há mandamento na Palavra de Deus para começarmos o culto às 19 horas, aos sábados, e às 18, aos domingos, por exemplo?

Existe mandamento bíblico para termos uma conta no Facebook ou no Twitter, ou para mantermos um blog? Há ordem de Deus na sua Palavra para eu escrever este artigo? Enfim, também não existe mandamento específico para celebrarmos o Natal.


Vale salientar mais uma vez que o Natal de Cristo precede e transcende qualquer tradição pagã adotada pelo romanismo. Sabemos que Jesus não veio ao mundo em 25 de dezembro, mas Ele nasceu! E, se há uma data convencionada para essa celebração, o cristão que se preza, além de glorificar ao Senhor por sua gloriosa obra expiatória, deve aproveitar esse acontecimento para apresentar o Evangelho ao mundo.


Celebrar o Natal de Cristo 
— repito — é lícito e conveniente, visto que a obra redentora abarca a encarnação do Verbo, a sua morte vicária e a sua ressurreição para a nossa justificação. Além disso, reitero que o Natal é uma festa cristã, celebrada por anjos e pastores, na primeira noite natalina (Lc 2.8-20), e pela família do Senhor, em sua casa, juntamente com sábios do Oriente, cerca de dois anos após seu nascimento (Mt 2.1-16).

Amém?


Ciro Sanches Zibordi

O Deus inescapável

Filhos devem pagar pelos pecados dos pais?

 
As pessoas que acreditam que um cristão hoje pode ser punido pelos pecados de seus pais ou antepassados (o que alguns chamam de "maldição familiar") interpretam erroneamente textos do Antigo Testamento como Êxodo 20:4-5:

"Não farás para ti imagem de escultura... Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam".

Primeiro é bom explicar que a imagem de que fala o versículo não é uma fotografia ou um desenho qualquer, mas uma representação de Deus ou da Divindade. O texto está se referindo à idolatria, que é a substituição da adoração a Deus pela adoração de qualquer imagem ou objeto que seja uma representação da Divindade.

Agora vamos à segunda parte do versículo, que traz uma ameaça: "sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam".

sábado, 8 de dezembro de 2012

Um cristão pode processar outro?

O crente vive em duas esferas: a igreja e o mundo. Na igreja a ordem é clara quanto a apelar para a justiça do mundo no caso de algum litígio entre irmãos: a parte lesada deve estar pronta a sofrer o dano e a abrir mão de revanche. "Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?... Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?" 1 Co 6:1-9.

 Mas o contexto mostra que mesmo assim o cristão pode levar a questão a julgamento, porém limitando-se a fazer isso entre os irmãos: "Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja? Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?" 1 Co 6:1-9.

Em Mateus 18 aprendemos que qualquer desavença entre irmãos deve inicialmente ser tratada entre as partes. Caso não se chegue a um acordo, recorre-se a uma ou duas testemunhas e, apenas em caso extremo, isso é levado ao juízo da assembleia congregada ao nome do Senhor, a qual irá deliberar segundo a autoridade que o Senhor deu a dois ou três congregados ao Seu nome. Neste caso as partes envolvidas deverão se sujeitar à decisão da assembleia, que tem o poder de "ligar" (decidir) e "desligar" (reverter uma decisão), o que é sancionado no céu.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O que é Igreja?







O Espirito Santo foi dado antes de Pentecostes?


Sua dúvida é se no capítulo 20 do Evangelho de João o Espírito Santo teria sido dado aos discípulos antes de Atos 2, quando lemos da fundação da igreja. A verdade é que o Espírito Santo é visto enchendo e influenciando os santos e até incrédulos (por exemplo, Balaão) em todas as eras anteriores a Pentecostes, como é possível ver em algumas passagens do Antigo Testamento:



Êxo 31:1-5 Depois falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Eis que eu tenho chamado por nome a Bezalel, o filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, E o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência, em todo o lavor, Para elaborar projetos, e trabalhar em ouro, em prata, e em cobre, E em lapidar pedras para engastar, e em entalhes de madeira, para trabalhar em todo o lavor.

Núm_24:2 E, levantando Balaão os seus olhos, e vendo a Israel, que estava acampado segundo as suas tribos, veio sobre ele o Espírito de Deus.

1Sm 10:6-10 [Samuel dizendo a Saul]: E o Espírito do SENHOR se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e tornar-te-ás um outro homem... E, chegando eles ao outeiro, eis que um grupo de profetas lhes saiu ao encontro; e o Espírito de Deus se apoderou dele, e profetizou no meio deles.

Slm_51:11 Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.

2Cr_15:1 Então veio o Espírito de Deus sobre Azarias, filho de Odede.

2Cr_24:20 E o Espírito de Deus revestiu a Zacarias, filho do sacerdote Joiada

Em João 20 o versículo 22 deve ser lido no contexto do que vem antes e depois, pois o assunto ali não é a descida do Espírito Santo que o Senhor havia prometido aos discípulos nas passagens abaixo:

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

SOCORRO! O VERDADEIRO LOUVOR ESTÁ SE ACABANDO




  Muitos louvores hoje não podem ser chamados de cristãos, mas de louvores babelizados, pois o interesse maior não é expressar a grandeza e a glória de Deus. “Façamos para nós um nome” foi a pretensão orgulhosa dos líderes da geração dos filhos de Noé. Eles queriam fixar e exaltar sobre a terra não o nome do Senhor, mas o seu próprio nome. Eles queriam que as gerações futuras se lembrassem deles. Sua preocupação não foi providenciar para que elas conhecessem os feitos de Deus, sua lei, seus desígnios. Queriam manter-se unidos, não em torno do temor a Deus, mas em torno do orgulho do grupo, consubstanciado em seus próprios feitos. Esse é o sentimento que permeia a área do louvor: engrandecimento do homem, não de Deus. Ora, a adoração verdadeira sempre tem a Deus como centro, o que condiciona seus adoradores a um genuíno temor diante da Sua santidade e a um estilo de vida santificado.
Infelizmente, o louvor em muitas igrejas transformou-se em um Milk-shake religioso sem nenhuma ligação com o Senhor. O uso da música como meio para se chegar a um estado de êxtase e transe religioso tornou-se regra geral na maioria das igrejas evangélicas. O louvor em nada difere da prática do louvor umbandista, pois a música tem por função ambientar a erupção de sentimentos. Os sentimentos são manipulados pelo ritmo, repetições e movimentos corporais. O programa elaborado pelo “ministro de louvor” tem como objetivo provocar o sensacional, o extravagante, o bizarro entre os fiéis. Nesse contexto, a verdade é trocada pela “purificação” da alma através de uma descarga emocional provocada pelo drama e a santidade é invertida pela euforia irreverente.
Satanás conseguiu desenvolver uma liturgia que tem ofuscado a mente de muitos crentes levando-os ao louvor catarse, irrefletido e sensacional. A extravagância litúrgica promovida por Satanás tem rompido a barreira entre o sagrado e profano. A fim de se manterem no sucesso, algumas igrejas utilizam rock, samba, rap, axé, funk, forró. Muitas igrejas chegam ao ápice do ridículo promovendo shows com o tema “sambando para Jesus”, “forrozando para Jesus”. Tais “louvores” são irracionais e abomináveis ao Senhor, pois não ilumina a mente com a verdade bíblica nem com a consciência da santidade de Deus. O louvor aceitável para Deus é o louvor da mente (Rom 12:1). Deus nos criou com uma distinção primordial: a racionalidade. Portanto, o louvor deve ser consciente e racional. O apóstolo Paulo ecoa isto ao insistir que os crentes cantem com entendimento (I Co 14:15). Em I Coríntios 14: 26 Paulo afirma a função primordial do louvor “Tudo seja feito para edificação”. A palavra “edificação” refere-se, literalmente, à construção de um edifício, mas o apóstolo sempre usa este termo para expressar a edificação do entendimento. Portanto, cada elemento do louvor deve ser compreendido, para que seja válido. Somos movidos espiritualmente, não por meio de espetáculos sensacionais, e sim pelo que entendemos.
A grande declaração da Confissão de Westminster se opõe a tudo que acontece hoje nas igrejas evangélicas: “A maneira de adorar o verdadeiro Deus é instituída por Ele mesmo e limitado por sua própria vontade revelada, de tal modo que Ele não seja adorado de acordo com a imaginação e invenções dos homens”. O louvor do Novo Testamento era acima de tudo centrado em um fato: a cruz de Jesus e sua ressurreição. Hoje, o louvor é centrado no adorador e em alguns momentos não dá para saber se estamos na casa do Senhor ou em um terreiro de candomblé.
A liturgia extravagante de Satanás é contrária ao ensino da Bíblia e da Reforma, pois é claramente extasiante e amplamente mística, em vez de racional e dependente da fé. É voltada para o ego, para o estrelismo, para a exaltação do ritmo e dos instrumentos. Como há muitas pessoas que gostam de ser manipuladas, a liturgia de Satanás tem encontrado bastante espaço no meio evangélico. Seria prudente beber, ainda que um pequeno gole, desta liturgia? Claro que não! Urge que tenhamos um avivamento de luta contra as influências más da geração “Janes e Jambres” que promovem o louvor baderneiro. Que sejamos no dizer de Stott “um homem intoxicado de Cristo”.
O dia do Senhor se aproxima. Será dia de Juízo. Ainda há oportunidade de abandonar o falso louvor da “Galera de Cristo” que insiste em incluir o lixo extravagante de Satanás dentro das igrejas tirando o Filho de Deus de cena.
Ir. Marcos Pinheiro

Devo me submeter ao ritual da crisma?


Por ser jovem e ainda viver na casa de seus pais, esta é uma questão que aflige muitos convertidos a Cristo: seguir ou não as tradições religiosas da família para evitar o enfrentamento e transtornos? Eu mesmo já passei por isso no início de minha conversão e acredito hoje sinceramente que a posição que tomei, apesar de radical demais segundo meu entendimento atual, mostrou a meus pais e irmãs que eu era coerente na fé que tinha abraçado. Eventualmente meus pais e minhas irmãs acabariam abraçando a mesma fé, apesar da tradição católica que todos haviam seguido desde o nascimento.



Quando cremos em Jesus e decidimos obedecer a Palavra de Deus certamente iremos encontrar muitas práticas religiosas familiares que não têm fundamento na Palavra. Se, por um lado, o batismo é uma ordenança bíblica que devemos respeitar, independente de quem nos tenha batizado ou em que religião, desde que tenha sido com água e para o nome de Jesus, a crisma, que é a razão de sua dúvida, não tem qualquer fundamento bíblico.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Orando e louvando - Pr Antonio Silva


Equilíbrio

VALDEMIRO SANTIAGO E O DÍZIMO INVERTIDO

O falso Apóstolo e falso mestre Valdemiro Santiago está com uma novidade em termos do dízimo.

Sua proposta é bem simples, mas bastante cínica. Ele propõe que os membros de sua igreja, nos meses de Novembro e Dezembro de 2012, fixem um valor para dízimo proporcional ao que pretendem ter de renda mensal durante todo o anos de 2013. Mas o tal dízimo precisar ser pago adiantada, antes da renda esperada chegar.
Em outras palavras: se você deseja ter um ganho de R$ 6.200,00, então dê um dízimo antecipado de R$ 620,00. Se desejar uma receita de R$ 10.000,00, então o dízimo antecipado deverá ser de R$ 1.000,00. E daí em diante. Você fixa, você manda.
O cara de pau do falso apóstolo promete o seguinte:
·        A certeza de receber o valor desejado em troca do dízimo antecipado.
·        A promessa de que vai providenciar “livros de dizimistas” onde serão escritos os nomes de todos que ofertarem de acordo com esse modelo.
·       A promessa de que tais dizimistas “verão a glória de Deus”.
·        A promessa de entrar em 2013 com a vida completamente transformada.
·        A promessa de que tais livros serão levados até o monte Carmelo para serem apresentados a Deus.
·        A promessa de que ele — Valdemiro — tem autoridade para fazer e garantir todas essas promessas. Mas que grande mentiroso.
·        A promessa vale para todos: evangélicos, católicos, espíritas e etc. Basta contribuir de forma antecipada de acordo com o esquema da enganação.

Olha, já vi muita patacoada, mas essa se revela maior e mais perversa do que todas as anteriores. Num jogo de cena que não engana ninguém, Valdemiro finge estar emocionado e derrama suas já bem conhecidas lágrimas de crocodilo e de alegria pela expectativa das centenas de milhares — ele espera que pelos 500.000 fiéis — irão adotar o ESQUEMA e contribuir atendendo ao seu apelo.
Até quando Senhor? Até quando seremos obrigados a assistir a esses desempenhos patéticos que servem apenas para enriquecer esses que vitimam pessoas simples e crédulas que olham com esperança para os servos das riquezas, acerca das quais o próprio Senhor nos advertiu dizendo:
Mateus 6:24 

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

Fonte: OGrandeDialogo


Esqueceram de mim


Um menino é esquecido por sua família em plena época do Natal. Qual é o nome do filme? Fácil: "Esqueceram de mim". Em dezembro, essa engraçada produção de 1990, estrelada por Macaulay Culkin, sempre é reapresentada por algum canal de TV. Culkin interpreta o "indefeso" garotinho Kevin, que, ao ser esquecido em casa sozinho por seus pais, tem de se defender de dois bandidos atrapalhados.


Neste artigo, desejo mencionar outro Menino que vem sendo esquecido, especialmente no seu aniversário. Quem vai a São Paulo, mais precisamente à iluminada Avenida Paulista, ou aos grandes shoppings brasileiros, a fim de ver as decorações e apresentações do Natal, vê luzes, estrelas, neve, ursos polares, duendes e gnomos coloridos, Papais Noéis de todos os tipos, danças, apresentações teatrais... Mas, e o Menino? Não há nenhuma (nenhuma, mesmo!) alusão ao Natal de Cristo!


Se pudéssemos entrevistar o Senhor Jesus, nessa época do ano, e perguntar-lhe a respeito do Natal, creio que Ele responderia: "Esqueceram de mim". Sim, a humanidade se esqueceu da linda história do Natal de Cristo e substituiu-a por fábulas sem graça, sem vida, sem verdade bíblica e histórica, a despeito das luzes e cores.


Não somos deste mundo, mas vivemos nele. Como servos do Senhor, temos liberdade para admirar as invenções humanas dessa época natalina. E elas, de fato, são encantadoras, iluminadas, engenhosas, surpreendentes. Mas que Deus nos guarde de, influenciados pelo espírito do Anticristo prevalecente neste mundo tenebroso, nos esquecermos do verdadeiro sentido do Natal.


Em Jeremias 23.27 está escrito: “Os quais [falsos profetas] cuidam que farão que o meu povo se esqueça do meu nome, pelos sonhos que cada um conta ao seu companheiro, assim como seus pais se esqueceram do meu nome, por causa de Baal”. Penso exatamente isso, ao ver as decorações de Natal. Artistas do mundo sem Deus, assim como os falsos profetas dos dias de Jeremias, querem fazer com que as pessoas se esqueçam definitivamente do Menino.


O que é mais triste é ver crentes (inclusive, alguns pastores) mal-instruídos dizendo que não vão comemorar o Natal, pois se trata de uma festa pagã. Onde eles aprenderam isso? O Natal de Cristo precede e transcende o paganismo! E, se tem um povo que deve fazer questão de celebrar o Natal, esse é a Igreja de Cristo!


Mesmo sabendo que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, não podemos deixar de aproveitar essa data para lembrar o mundo daquela sublime noite em Belém! Que privilégio tiveram aqueles pastores belemitas, envolvidos pela glória de Deus enquanto guardavam seu rebanho... Mas a mensagem outorgada a eles é extensiva a toda a humanidade: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo, pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10-12).


Não nos esqueçamos, portanto, de que Jesus é Salvador, Cristo e também Senhor. E, por isso, jamais deve ser ignorado ou esquecido. Não ajamos como os crentes de Laodiceia, que deixaram Jesus do lado de fora (Ap 3.20). Ele continua batendo à porta dos corações e dizendo: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo 14.23).


Adoremos a Cristo diariamente! Mas isso não nos impede de celebramos o nascimento dEle, a fim de que o mundo conheça o verdadeiro protagonista do Natal!

Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Estudo revela drama da "paternidade" gay

Universidade rejeita acusações contra estudo que revela drama da "paternidade" gay
Texas, 03 Set. 12 / 04:32 pm (ACI/EWTN Noticias).- Depois de uma pesquisa oficial, a Universidade do Texas em Austin (Estados Unidos) rejeitou as acusações de má conduta científica realizada por um ativista homossexual contra o professor de sociologia Mark Regnerus, logo depois da publicação de um estudo no qual encontrou resultados negativos na vida de crianças cujos pais eram casais do mesmo sexo.
O responsável de integridade da pesquisa da universidade, Robert Peterson, indicou que "revisou cuidadosamente" toda a informação disponível, e discutiu o caso com outros membros da mesa de pesquisa.
"Concluí que o professor Regnerus não cometeu má conduta científica", assinalou em um memorando dirigido às autoridades da universidade, em 24 de agosto.
O estudo de Regnerus recolheu informação do Estudo de Novas Estruturas Familiares, que examinou os resultados da vida de 3000 americanos entre 18 e 39 anos.
Regnerus encontrou que os lares encabeçados por pais de qualquer sexo, que estão comprometidos em relações homossexuais, mostram grande instabilidade.
O estudo descobriu diferenças "estatisticamente significativas" em 25 dos 40 resultados, entre crianças que cresceram com pais casados, de sexos opostos, e aquelas que cresceram com uma relação que tinha uma mãe envolvida em uma relação homossexual.


As crianças de lares com relações homossexuais femininas mostraram mais problemas de saúde física e mental, mais instabilidade nas relações românticas, e uma média inferior de ganhos econômicos ao alcançar a vida adulta.

Estas pessoas também mostraram altos níveis de desemprego, vício ao cigarro, necessidade de assistência pública e vinculação em crimes.
O ativista e blogueiro Scott Rose denunciou a Regnerus por supostas violações éticas, em uma carta remetida ao presidente da Universidade do Texas, Bill Powers. As autoridades universitárias se reuniram com Rose para dialogar sobre suas acusações.
Entretanto, Robert Peterson assinalou que "nenhuma das acusações de má conduta científica realizadas por Rose foi fundamentada, já seja por informação física, materiais escritos ou informação provida durante as entrevistas".
"Muitas das acusações estiveram expressamente fora do âmbito da pesquisa", indicou.
Peterson disse que Rose achava que a pesquisa de Regnerus tinha "graves deficiências" e "inferiu que poderia haver má conduta científica".

 
"De qualquer forma, não há evidencia para apoiar essa inferência", indicou.
Peterson acrescentou que qualquer problema com a pesquisa e a análise de Regnerus deveria ser deixado aos debates acadêmicos e futuras pesquisas.
Por sua parte, David Hacker, advogado principal do grupo de liberdade religiosa Alliance Defending Freedom, elogiou o resultado da pesquisa.
"As universidades dos Estados Unidos devem servir sempre para buscar a verdade, mercados de ideias livres", disse em 29 de agosto.
"Discrepar com as conclusões de um estudo não é campo para denúncias de má conduta científica; portanto não estamos surpreendidos de que essas acusações fossem declaradas sem fundamento".
A pesquisa envolveu um tempo e esforço significativo. Toda a informação dos computadores de Regnerus, incluindo seu correio eletrônico e documentos foram sequestrados.
A universidade criou um grupo de membros principais da faculdade para assessorar o processo de pesquisa, e a universidade manteve um consultor experiente independente, para monitorar a pesquisa.
As autoridades pesquisadoras entrevistaram tanto a Regnerus como a Rose. As entrevistas foram gravadas e transcritas por um jornalista da corte, revelou o memorando do Peterson.
O diretor e vice-presidente da Universidade, Steven Leslie, disse que aceitou a conclusão de Peterson, de que não há evidência de má conduta, em um memorando de 28 de agosto.
"Consequentemente, o caso está fechado", disse Leslie.
O relatório inicial sobre as descobertas de Regnerus gerou a reação do lobby gay. A Campanha de Direitos Humanos e a Aliança de Gays e Lésbicas contra a Difamação criticaram o relatório da pesquisa.
Um grupo de 18 cientistas sociais assinaram uma declaração de apoio a Regnerus em junho. Eles admitiram que seu estudo tem limitações, mas eles consideraram que muitas das críticas contra ele eram "injustificadas".
Em uma entrevista dada a EWTN News em 12 de junho, Regnerus disse que começou seu projeto "sem ideia do que a informação revelaria".
Em seu anúncio da pesquisa em junho, Regnerus disse que sua descoberta "mais significativa" é "discutivelmente que as crianças parecem mais aptas para ter êxito como adultos quando passam suas vidas com seu pai e mãe casados, e especialmente quando os pais permanecem casados até a atualidade".
Fonte: Acidigital

O caminho do amor

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Pr Antonio Silva - Os dons do Espírito Santo e a igreja

Irmãos, o ministério é sobrenatural

Passaram-se dez anos desde a publicação do livro Irmãos, nós não somos profissionais. Nada nos últimos dez anos me fez pensar que esse livro é menos necessário. Na verdade, em vez de diminuir, a pressão para “profissionalizar” o pastorado se transformou e se fortaleceu.
Entre jovens pastores, a conversa é menos sobre profissionalização terapêutica e administrativa, e mais sobre comunicação ou contextualização. A linguagem de “profissionalização” é raramente usada nesse sentido, mas há uma pequena pressão sentida por muitos pastores: ser tão bom quanto os profissionais da mídia, especialmente os anti-heróis bacanas e os comediantes mais sutis.

O novo profissionalismo

Esse não é o profissionalismo exagerado do terno de três peças e dos poderosos escritórios dos andares de cima, mas o profissionalismo discreto de jeans rasgado e do círculo interno dos especialistas. Não se aprende esse profissionalismo após um MBA, mas conhecendo o entretenimento e o mundo midiático em constante mutação. É a profissionalização do ambiente, do tom, da linguagem, do timing e das piadas. É mais intuitivo e menos ensinado. Mais estilo e menos técnica. Mais sentimento e menos força.
Se isso pode ser chamado de profissionalismo, o que tem em comum com a versão antiga? Tudo. A maneira que tentei apontar o problema dez anos atrás foi fazer algumas questões. Permita-me expandir essa lista. Mas dessa vez pense no velho e no novo profissionalismo.
  • Existe oração profissional?
  • Confiança profissional nas promessas de Deus?
  • Choro profissional pelas almas?
  • Meditação profissional nas profundezas da revelação?
  • Alegria profissional na verdade?
  • Adoração profissional no nome de Deus?
  • Apreciação profissional das riquezas de Cristo?
  • Caminhada profissional no Espírito?
  • Exercício profissional de dons espirituais?
  • Trato profissional com demônios?
  • Argumentação profissional com apóstatas?
  • Perseverança profissional em um casamento difícil?
  • Brincadeira profissional com os filhos?
  • Coragem profissional diante da perseguição?
  • Paciência profissional com todos?
Essas não são atividades secundárias na vida pastoral. Elas são vitais.

O coração do Ministério

Por que engasgamos na palavra “profissional” nessas conexões? Porque profissionalização carrega a conotação de uma educação, uma série de habilidades, e uma série de normas definidas que são possíveis sem fé em Jesus ou pelo poder do Espírito de Deus. Profissionalismo não carrega, geralmente, a conotação de ser sobrenatural. Porém o coração do ministério é sobrenatural.
Há um jeito profissional de crucificar. No entanto, não há um jeito profissional para ser crucificado. Havia profissionais no Gólgota. Eles eram experientes em tortura. Porém, Jesus não era um deles. Para Paulo, o ministério era mais como ser crucificado do que crucificar.
“Porque eu trago no corpo as marcas de Jesus” (Gálatas 6.17). “Estou crucificado com Cristo” (Gálatas 2.19). “Dia após dia, eu morro!” (1 Coríntios 15.31). “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo.” (2 Coríntios 12.10). “Porque, de fato, foi crucificado em fraqueza… nós também somos fracos nele, mas viveremos, com ele, para vós outros pelo poder de Deus” (2 Coríntios 13.4). “Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo … para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?” (2 Coríntios 2.15-16).
Pastores dizem: “Quem é suficiente para estas coisas?” E, então, eles olham para Deus. Profissionais dizem: “Educação, treinamento e inteligência são suficientes.” E, então, eles olham para os experts.

Apoioando-se em Deus

Pastores não confiam em sua própria eloquência para receber o fruto sobrenatural que eles almejam. “A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.” (1 Coríntios 2.4-5). Quaisquer que sejam os dons e eloquência que um pastor tem, qualquer preparo que ele tenha, ele se afasta deles e confia em Deus para qualquer efeito espiritual.

Ele sabe o que procura. E ele sabe que nenhum esforço humano e nenhuma excelência humana podem conquistá-lo. Ele quer que pessoas sejam ressuscitadas da morte (Efésios 2.5). Ele quer pessoas livres da escravidão eterna (2 Timóteo 2.25-26). Ele quer que camelos passem pelo fundo de uma agulha (Marcos 10.25-27). Portanto, a todo momento, ele deseja que “se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos” (1 Pedro 4.11).
Os objetivos são sobrenaturais, e os meios são sobrenaturais. Conversões e conformidade a Cristo são o dom sobrenatural de servir na força sobrenatural de Cristo. Somente Cristo pode fazer isso. Ministério é descobrir como viver feliz nas mãos poderosas de Cristo ressuscitado.
Este é um apelo aos pastores para colocarem a presença do Espírito Santo, o poder da verdade que exalta Cristo, e a pureza da vida santa acima das considerações pragmáticas de organização e acima da nossa preocupação com um estilo convincente. E se isso soa como uma prescrição para um ministério negligente, medíocre, perturbado, veja meu próximo texto: “Irmãos, sobrenatural não significa estúpido”. [em breve no iPródigo]
Irmãos, o ministério é sobrenatural.

Traduzido por Pedro Vilela | iPródigo.com | Original aqui
Por : John Piper

"Deus seja louvado" permanecerá nas cédulas do real

DECISÃO JUDICIAL: A frase "Deus seja louvado" permanecerá nas cédulas do real

Cédulas de real
A Justiça da 7ª Vara Federal Cível em São Paulo decidiu que a frase "Deus seja louvado" deve permanecer nas cédulas de real.

A decisão foi divulgada nesta sexta-feira pela juíza federal titular Diana Brunstein. 

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo havia pedido em novembro a retirada da expressão e solicitado que as futuras cédulas de real fossem impressas sem referências religiosas. 
A Justiça rejeitou as alegações do Ministério Público de que a expressão violaria o estado laico brasileiro e o princípio da liberdade religiosa.
O procurador Jefferson Aparecido Dias, autor da ação do Ministério Público Federal que pediu à Justiça Federal a retirada da expressão "Deus seja louvado" das cédulas de real, afirmou no último dia 13 de novembro que a iniciativa foi tomada por um cidadão. 


"Chegou até nós a representação de um cidadão que se sentiu ofendido com a menção", disse Dias em entrevista a uma emissora de rádio. 

A ação, em caráter liminar, pediu que fosse concedido à União o prazo de 120 dias para que as cédulas comecem a ser impressas sem a frase. Um dos principais argumentos utilizados pela ação é o de que o Estado brasileiro é laico e, portanto, deve estar completamente desvinculado de qualquer manifestação religiosa. 

Segundo o procurador, o fato de não existir uma lei que garanta a frase nas cédulas torna a ação ainda mais necessária. "Embora a menção esteja no dinheiro brasileiro há muito tempo, não houve nenhuma legislação que tornasse correto o uso da frase", explica. 

Além disso, ele ressalta que são lembrados princípios como o da igualdade e o da não exclusão das minorias para reforçar a tese de que a frase “Deus seja louvado” privilegia uma religião em detrimento das outras.

Bem, pelo menos por enquanto não deu certo a tentativa de tirar a frase "Deus seja louvado" das cédulas do real.

Que cada brasileiro grave isso também na tábua do coração.

DEUS SEJA LOUVADO

Bastidores da Parada Gay SEXO, DROGAS E "PUTARIA"

 Isso é tudo que os governantes do PT pró gays não querem que vocês vejam!!!
Programa LIGA NA BAND mostra os bastidores da Marcha Gay, drogas, sexo na rua falta de respeito,.promiscuidade.
Meu DEUS !! Isso é direito? Duvido que um ser humano, sendo gay ou não,com um pouco de moral e  ética aprove esta "Putaria" isso é ser livre? é essa liberdade felicidade que buscam? isso que querem que nosso filhos gostem. Essa é liberdade de expressão.Que governo é esse que não vê a gravidade da situação.Que conselho de psicologia, que deveria estar  se preocupando com essa "zona" a  promove apoiando essa promiscuidade como direito, não está oportunizando estas pessoas e sim joganso-as na Lama com suas filosofias de direitos humanos que na verdade , são prisões, são máquinas de criar sofrimento no se humano, para ter paciêntes só pode..
Eu vivo em sociedade, essa bandalheira perigosa, não deveria estar acontecendo e sendo protegida por políticos sem caráter, isso não é direito,e vou mais longe, odiar essa orgia não é homofobia

Que pena de vermos seres humanos literalmente na lama. e nós que questionamos essa zona, somos punidos.INVERSÃO DE VALORES.
MEU NOME É MARISA LOBO,Blog da Marisa Lobo SOU PSICÓLOGA E CONTRA LITERALMENTE MARCHA GAY

Eles não respeitam nada e nem ninguém!!! 




Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...