Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

quinta-feira, 28 de março de 2013

O que significa perseverar até o fim?


 
"Perseverar até o fim" aparece nos evangelhos e o contexto é o Senhor falando aos judeus referindo-se ao reino. Os capítulos 10 e 24 de Mateus e também Marcos 13 se referem à grande tribulação, e ali fala de salvação do corpo de carne, de sair vivo da tribulação para poder habitar no reino de mil anos. Compare com o versículo 22 de Mateus 24: "E, se aqueles dias não fossem abreviados, NENHUMA CARNE se salvaria".

Mat_10:22 E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

Mat_24:13 Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

Mar_13:13 E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.

A expressão "persevera" ou "persevere" aparece nas epístolas na forma de admoestação:

1Tm_4:16 Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. PERSEVERA nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.

Aqui também não está falando da salvação da alma, mas da salvação (ou de manter-se a salvo) da apostasia dos últimos tempos, que é o assunto do capítulo (veja os primeiros versículos). É apenas perseverando nos ensinos da Palavra de Deus, e aqui especificamente nas instruções dadas a Timóteo, que ficamos a salvo de problemas nesta vida e podemos nos dedicar mais livremente às coisas do Senhor.

1Tm_5:5 Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus, e PERSEVERA de noite e de dia em rogos e orações;

Aqui também nada tem a ver com salvação da alma, mas o termo aparece como uma qualidade das viúvas, que deveria ser também uma qualidade de todo crente: perseverar em oração o tempo todo.

Tgo_1:25 Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso PERSEVERA, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.

Mais uma vez o verbo perseverar é usado no sentido de uma vida de comunhão com Deus.

2Jo_1:9 Todo aquele que prevarica, e NÃO PERSEVERA na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem PERSEVERA na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.

Aqui sim está falando de salvação para os que perseveram e de perdição para os que não perseveram na doutrina de Cristo. Mas que doutrina de Cristo é esta à qual João se refere? Não se refere a algo que FAZEMOS, mas naquilo em que CREMOS.

O assunto do apóstolo são os "enganadores [que] entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo" (2 Jo 1:7). São os falsos mestres, que ensinam que Jesus Cristo não é Deus, mas um ser criado. Você encontra esta doutrina maligna em religiões como Testemunhas de Jeová, Mórmons e Espíritas.

Para ser salvo é preciso crer em Cristo como Deus e Homem, e é isto que está subentendido na expressão "veio em carne" (2 Jo 1:7). Dizer que alguém nasceu é uma coisa, pois todos os seres humanos nasceram. Mas dizer que alguém veio em carne significa que tinha preexistência e assumiu um corpo humano. Um espírita poderia aqui argumentar que a reencarnação também funciona assim, mas o problema é que a Palavra de Deus afirma categoricamente não existir reencarnação, mesmo porque o homem só morre uma vez.

"Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo" Hb 9:27

Assim, a fé cristã que salva é crer em Jesus como divino, Deus e Homem, a Pessoa do Filho Eterno, que veio em carne, em semelhança humana, porém sem pecado, para morrer como o único sacrifício aceitável por Deus, como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

1Jo_5:20 E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

Joã_1:1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Joã_1:14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

Rom_8:3 Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;

"O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado" 1 Jo 1:7

1Jo_2:2 E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.

1Jo_4:10 Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.

por Mario Persona

Gangnam Style Gospel - Livres Para Adorar

VOLTA LOGO JESUS!!!!






quarta-feira, 27 de março de 2013

segunda-feira, 25 de março de 2013

A Provável Causa de Muitos dos Nossos Problemas


Fico me perguntando se uma das explicações para alguns dos problemas que afligem as igrejas evangélicas – qualquer que seja a sua linha – não é o fato de que tem muita gente, nos bancos e nos púlpitos, que nunca nasceram de novo.

Eu não estou dizendo que pessoas que são genuinamente regeneradas pelo Espírito, que foram iluminadas salvadoramente por Deus e que foram perdoadas e aceitas por Deus, justificadas de seus pecados e adotadas na família de Deus, - sim, não estou dizendo que elas não sejam capazes de cometer pecados, e pecados graves. Há vários exemplos disto na própria Bíblia. Mas, como Davi, estas pessoas se arrependeram, choraram seus pecados, se penitenciaram e voltaram atrás – como Pedro após negar Jesus.

Mas, é que fica realmente difícil compreender como uma pessoa que foi iluminada pelo Espírito, conheceu a graça de Deus em Cristo, experimentou o perdão de pecados, teve acesso ao trono da graça mediante Jesus, seja capaz de espalhar mentiras, agredir irmãos, levantar calúnias, falsear a verdade, espalhar a cizânia, viver na prática da imoralidade, ser movida pelo ódio, pelo amor ao dinheiro e ao poder, sem jamais demonstrar um mínimo de remorso, de arrependimento ou tristeza pelos seus atos. E isto, anos a fio.

Teoricamente, é possível alguém ter uma capa de religiosidade e, por dentro, ser um lobo devorador. É possível alguém se passar por homem ou mulher de Deus e ainda assim não conhecer a Deus e nem a seu Filho Jesus Cristo. Estou me referindo a passagens da Bíblia como estas abaixo:

O exemplo que vem da França

Manifestantes protestam em Paris contra casamento gay

Reuters

Centenas de milhares de pessoas lotaram as ruas do centro de Paris neste domingo para protestar contra o plano do presidente francês, François Hollande, de legalizar o casamento e a adoção de crianças por homossexuais até junho.
Imagens televisionadas mostravam alguns embates, com forças de segurança disparando gás lacrimogêneo sobre manifestantes vestidos de rosa e gritando slogans contra Hollande. Na França, manifestantes contra o casamento gay costumam se vestir de rosa.
A polícia estima oficialmente que o protesto contou com a participação de cerca de 300 mil pessoas.
Foi o segundo protesto desse tipo neste ano, após uma marcha semelhante em janeiro mostrar a redução do apoio público a um projeto, o que forçou autoridades a adiar um plano para permitir que casais lésbicos tenham acesso a inseminação artificial.
Hollande prometeu aprovar a lei com sua maioria parlamentar socialista e atraiu a raiva de rivais ao tentar evitar um debate público sobre a reforma, o que a ministra da Justiça, Christine Taubira, descreveu como uma "mudança de civilização".
O Senado francês vai analisar a medida em abril.
Oponentes ao casamento e à adoção de crianças por homossexuais, incluindo a maior parte dos líderes religiosos na França, argumentaram que a reforma criaria problemas psicológicos e sociais para crianças que, segundo eles, devem ter prioridade sobre o desejo de direitos iguais para adultos gays.
(Reportagem de Emmanuel Jarry e Lionel Laurent)
Fonte: Estadão Poderá também

quinta-feira, 21 de março de 2013

Viver com senso de oportunidade

Devo mentir se o chefe mandar?


Sua dúvida está em mentir ou não no ambiente de trabalho, pois é o que seu chefe pede para você fazer. Eu sempre encontrei esse problema nos lugares onde trabalhei e sempre deixei claro que não iria mentir. Aliás, sempre que chegava para trabalhar em um lugar novo, no primeiro dia eu descarregava minhas coisas na mesa, entre elas uma Bíblia.


Não a deixava sobre a mesa, mas na gaveta para eventualmente ler no horário de almoço. Mas fazia isso de modo que todos pudessem ver que ali tinha chegado "um crente". É interessante como isso já mudava algumas coisas, como os colegas baixarem a voz quando estavam contando uma piada suja e percebiam que eu passava perto.

Em uma empresa onde trabalhei, meu chefe tinha o costume de pedir para dizer que ele não estava quando alguém tocava em minha mesa pedindo para falar com ele (que ficava numa mesa na mesma sala). Eu expliquei que não faria assim pois isso iria contra minha consciência e ele entendeu.

A partir daquele dia, quando o telefone tocava, eu atendia e meu chefe logo percebia que era com ele, pois eu dizia "Sr. Gustavo, o sr. quer falar com o Reinaldo?". Então ele se levantava e saía da sala, e eu dizia que ele não estava na sala, mas que eu anotaria o recado. Ele ficava no corredor esperando eu desligar. Felizmente ele era legal a esse ponto.

Tente conversar com seu chefe ou então procure adaptar sua comunicação para uma que não comprometa. Por exemplo, é possível trocar "fulano não está no momento" por "fulano não pode atender no momento" ou "fulano não está disponível no momento". Alguém pode estar na empresa ou na sala, porém falando ao telefone, recebendo uma visita de um superior, atendendo um cliente etc., portanto, não disponível para atender outra pessoa.

Se corremos risco de perder o emprego adotando uma posição assim? Certamente. Mas como cristão corremos muitos riscos, não só de perder o emprego, mas de perder oportunidades de lucro em negócios escusos ou até de relacionamentos com incrédulos ou fora do casamento. Todas elas oportunidades que Deus não aprovaria e que não nos trariam qualquer proveito por esta mesma razão.

Felizmente hoje nas grandes empresas existem códigos de ética e conduta que estimulam a prática da transparência, mesmo porque um empregado que seja obrigado a mentir poderá processar a empresa por dano moral. Uma empresa que exige que seu empregado minta para quem é de fora não tem moral para exigir que ele fale a verdade para quem é de dentro, inclusive com o chefe. De qualquer modo, evite o enfrentamento, tente explicar a ele a razão de sua fé. “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Pv 15:1).

É bom lembrar que Deus odeia a mentira e que Satanás é o pai da mentira. Jesus disse aos fariseus que se opunham a ele: “Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8:44).

Lembro-me de quando trabalhava num banco e fazia o levantamento de lugares para comprar para abrir agências. Quando entrei deixei claro que seria capaz de fazer o trabalho sem precisar mentir, o que meu chefe não acreditou muito. Evidentemente dava mais trabalho do que simplesmente mentir, mas acho que fazendo assim eu também treinava um pouco de criatividade.

Um dia estava numa oficina mecânica para saber se o dono se interessaria em vender o imóvel. Obviamente, apesar de estar de terno e gravata, só disse que estava ali representando um interessado e não revelei que era um banco, ou o preço iria disparar. Ele olhou para mim e perguntou: "O sr. é do banco tal?" Respondi com outra pergunta: "Por que, o pessoal do banco tal esteve aqui?".

Enquanto ele tentava explicar a razão de ter desconfiado que eu fosse do banco, chamei sua atenção para uma grande mancha de infiltração na parede e quis saber qual era a origem daquilo, se podia comprometer a estrutura etc. Ele imediatamente se esqueceu do assunto e passou a falar bem do imóvel tentando vender seu peixe.

Por: Mario Persona

Devo mentir para não me expor?



Você diz que mora em uma vizinhança de fofoqueiros que adoram saber tudo de sua vida. Por isso, quando no elevador encontra vizinhos que ficam fazendo perguntas sobre sua vida você prefere dizer mentiras a deixar que saibam detalhes de sua família, preferências pessoais etc.

Se alguém perguntar sua senha bancária, então diga não. Se perguntar quanto você ganha pode dizer tranquilamente que prefere não revelar. Algumas empresas chegam a incluir no contrato de trabalho a proibição de revelar salários. Se a pessoa quiser saber um segredo ou algo muito íntimo, diga apenas que prefere não dizer.

Há várias maneiras de se dizer não sem ser indelicado: "Ainda estou trabalhando para resolver isso...", "Assim que eu conseguir enxergar com clareza digo a você...", "Não tenho certeza se a outra pessoa envolvida gostaria que eu revelasse o que aconteceu..." etc. Mas se alguém perguntar se é casado, se tem filhos ou se gosta de jogar futebol, não vejo razão para não dizer ou querer evitar a pessoa. Mentir, nem pensar!

Se você for realmente salvo por Cristo irá enxergar nisso não uma invasão de sua privacidade, mas uma oportunidade para iniciar uma conversa e falar à pessoa do amor de Deus. Ponha na cabeça que você não é nenhuma celebridade, portanto que mal há em seus vizinhos ficarem sabendo algo a seu respeito? O cristão transparente não tem nada a esconder. Se as pessoas vão usar o que descobrirem para fofocarem o problema é delas para com Deus, não é seu.

É sempre bom olharmos para o Senhor quando buscarmos um modo de proceder nesta vida. O Senhor era transparente? Sim. Será que ele mentia quando lhe perguntavam alguma coisa? Não. Afinal, a própria vinda de Jesus ao mundo é a maior prova da transparência de Deus, ao querer se revelar ao homem. É claro que Deus já sabia o que nós, seres humanos, iríamos fazer com seu Filho, mas isso não o impediu de enviá-lo ao mundo.

Pense assim: se alguém quisesse conhecer Jesus na intimidade, será que ele permitiria? É claro que sim, pois a muitos que o conheceram enquanto andou aqui, e o conhecem hoje, ele revelou sua verdadeira natureza divina. "Eu e o Pai somos um" (Jo 10:30). E mesmo aos seus inimigos ele deixava clara sua transparência: "Qual de vocês pode me acusar de algum pecado? Se estou falando a verdade, porque vocês não creem em mim?" Joã 8:46

É claro que muito do que se podia conhecer de Cristo estava vedado aos olhos dos incrédulos, não porque ele não fosse transparente, mas porque os ímpios se recusavam a enxergar. Porém seus discípulos tinham o privilégio de conhecê-lo:

Joã_15:15 Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.

A transparência de Jesus era tamanha que séculos antes de ter vindo ao mundo Deus já revelava quem ele era, como nasceria aqui, como viveria e como morreria. Mais uma vez a incredulidade era a única barreira para conhecê-lo.

Joã 5:39-40 Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; E não quereis vir a mim para terdes vida.

O apóstolo Paulo também dá prova de sua transparência ao revelar: "E, se sou rude na palavra, não o sou contudo na ciência; mas já em todas as coisas nos temos feito conhecer totalmente entre vós" 2 Co 11:6.

Por isso é bom você fazer uma autoanálise para ver se essa sua maneira de ser não é apenas uma das facetas do egoísmo. O cristão não deve querer guardar tudo para si, sejam as informações sobre sua vida, sejam as coisas que possui. Conheço pessoas que nunca dão as roupas que não servem; guardam tudo o que usaram desde criança. Será que pretendem ser enterradas em um contêiner em lugar de caixão?

Mas pode ser que seu medo da transparência esteja em querer esconder suas fraquezas e falhas, o que acaba fazendo de seu medo sua maior fraqueza. Pessoas religiosas são assim como os fariseus: Têm pavor que as pessoas descubram quem elas realmente são por debaixo da aparência de falsa dignidade. Se os apóstolos não fossem transparentes, como poderíamos saber de todos os erros que cometeram e estão gravados nos evangelhos? E se os profetas do Antigo Testamento não fossem transparentes, como iríamos conhecer toda a podridão dos israelitas descritos ali?

Uso em meus treinamentos de oratória duas cenas de um vídeo de um filme que mostra a vida do cantor rapper Eminem. Na primeira cena ele está participando de um duelo entre rappers e depois de ser massacrado com as rimas violentas de seu adversário, tem um branco total e fica mudo na sua vez de revidar. Na segunda cena, antes que seu adversário traga todos os podres a seu respeito na letra improvisada, é ele quem se adianta a cantar suas desventuras e defeitos, terminando com a frase dirigida ao adversário: "Agora diga a eles alguma coisa que ainda não saibam a meu respeito". Então foi a vez do adversário ficar mudo.

Minha lição aos participantes do treinamento é: Comecem uma palestra falando de si mesmos e de preferência contando alguma falha ou caso engraçado em que você fez papel de bobo. Isto faz com que a plateia enxergue você como uma pessoa transparente e normal e aceite melhor o que você irá falar, ao invés de vê-lo como um soberbo e orgulhoso de saltos altos e de nariz empinado.

Um cristão não tem medo da transparência porque ele sabe que não está aqui para defender sua reputação, mas para apresentar Cristo às pessoas. Se a sua vida está um bagaço, então o melhor é ele se acertar diante de Deus e dos homens e dar um bom testemunho de Jesus, que neste mundo é representado justamente pelos que professam crer nele. Mesmo assim, basta ler o capítulo 11 de Hebreus para perceber que foram homens cheios de falhas que Deus usou no passado.

Tgo 5:17 Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.

Que as pessoas podem fazer um mau uso das coisas que descobrirem a seu respeito não há como negar. Mas elas também podem fazer o mesmo das coisas que não descobrirem e simplesmente imaginarem, porque em toda comunicação as pessoas nem sempre escutam o que falamos, mas sim o que pensam que falamos ou imaginam a partir do que não revelamos.

É por isso que você pode dizer a alguém que acabou de voltar de uma viagem no exterior e a pessoa pensar consigo mesma: "E esse aí tem dinheiro para viajar ao exterior? Conversa fiada...". Ou dizer que nunca viajou para o exterior e seu vizinho pensar consigo: "Imagina que esse aí nunca viajou! Deve conhecer o mundo inteiro...".


Por: Mario Persona

terça-feira, 19 de março de 2013

O Deus Redentor

ROB BELL SAI EM FAVOR DO CASAMENTO GAY E CAUSA POLÊMICA




  “Sim, eu sou favor do casamento. Estou a favor da fidelidade. Sou a favor do amor, seja entre um homem e uma mulher, ou entre duas mulheres, ou de um homem com outro homem (…) este é o mundo que estamos vivendo e precisamos apoiar as pessoas sem importar o modo como estejam.”
Essas foram as palavras de Rob Bell, fundador da mega-igreja Mars Hill Bible Church, em Grandville, Michigan (nao confundir com a Mars Hill Church, de Seatle, cujo pastor é Mark Driscoll). O comentário se deu durante uma aparição no último domingo na Grace Cathedral, em São Francisco. A Grace Cathedral é uma igreja “inclusiva” (isto é, declaradamente gay), que é dirigida pelo dr Jane Shaw.
Bell ficou conhecido além das fronteiras dos EUA principalmente após o lançamento da série NOOMA, onde trazia reflexões sobre diversos temas. A falta de bases bíblicas solidas e a inclinação de Bell ao liberalismo (negar a literalidade dos milagres, nascimento virginal de Cristo e a salvação por meio dele), universalismo (crença de que todos serão salvos, mesmo sem nunca crer em Cristo), e teísmo aberto (Deus não é soberano, logo não sabe o que acontecerá no futuro) já podiam ser observadas na série, mas ficaram evidentes depois do lançamento do livro “Love Wins”, que lhe rendeu duras criticas de varios pastores em diversos países. Agora ele aparece novamente, e desta vez como defensor do casamento gay, e não só isso, mas também da inclusão de casais gays como membros das igrejas.
É triste ver este e outros pregadores abraçando o relativismo moral, o liberalismo teológico e a agenda gay, mas devemos lembrar que a Bíblia é clara quanto ao homossexualismo, condenando-o em varias passagens, como Levítico 18:22 –“Com homem não te deitarás como se fosse mulher; é abominação” –, e Romanos 1:26, 27 – “Pelo que Deus abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram seu uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
***
Leonardo Gonçalves, no Púlpito Cristão

segunda-feira, 18 de março de 2013

Andar com Deus

Pr. Silas Malafaia explica porque usaram o Pr. Marco Feliciano como "boi de piranha"

 

 

 

Pr. SILAS MALAFAIA




Pastor Silas Malafaia desmascara armadilha do PT, que abriu mão da Presidência da CDHM - Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, "permitindo" que o PSC - Partido Social Cristão indicasse o Pastor Marco Feliciano, chamando assim a atenção da mídia e da nação para os protestos dos ativistas gays contra  sua eleição como presidente da referida comissão, e dessa forma pudesse de maneira velada e sem chamar a atenção, indicar dois deputados de seus quadros, ambos condenados pelo STF - Supremo Tribunal Federal, para a CCJ - Comissão de constituição e Justiça, importante comissão da Casa, disputada veementemente pelos partidos e seus respectivos deputados.
Bem, todos sabem que tenho divergências pontuais com o Pr. Marco Feliciano e aqui mesmo neste blog já registrei algumas dessas questões. Acho inclusive que algumas situações que estão sendo levantadas pelos seus opositores, não deixam o mesmo e o próprio povo evangélico confortável para uma defesa mais ofensiva, no entanto, é claro que o utilizaram como "boi de piranha" neste episódio, e por esse motivo publico o vídeo acima por concordar plenamente com as palavras do Pastor Silas Malafaia.
No primeiro post que publiquei sôbre a Eleição do Pastor Marco Feliciano para a CDHM (veja aqui), os pastores Geremias Couto e Daladier Lima, em seus comentários já previam essa artimanha do partidos do governo.

Oremos, afinal a batalha não é fácil!

sexta-feira, 15 de março de 2013

Pedro, Paulo e Francisco


A renúncia do papa Bento XVI e a eleição do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio para substituí-lo trazem à tona, mais uma vez, a questão da reivindicação da Igreja Católica de que o papa é o legítimo sucessor do apóstolo Pedro como cabeça da Igreja de Jesus Cristo aqui na terra. Francisco se senta no trono de Pedro. Então, tá.

Obviamente, a primeira questão a ser determinada é se o apóstolo Pedro, de alguma forma, teve algum trono, se ele foi uma espécie de papa da nascente igreja cristã no século I e se ele deixou sucessor, que por sua vez, nomeou seu próprio sucessor e assim por diante, até chegar, de Pedro, a Francisco. Eu digo “primeira questão” não somente por causa da sequência lógica da discussão, mas por causa da sua importância. Tanto católicos quanto protestantes tomam as Escrituras Sagradas como a Palavra de Deus. Portanto, é imprescindível que um conceito de tamanha importância como este tenha um mínimo de fundamento bíblico. Mas, será que tem?

quinta-feira, 14 de março de 2013

A maioria dos pastores são endemoninhados, diz bispo Edir Macedo

Durante o culto do dia 24/02, o bispo Edir Macedo fez uma declaração contundente: “Eu não tenho a mínima dúvida de dizer que a maioria dos pastores neste mundo inteiro são endemoninhados… Eu não tenho o mínimo medo. Eu tenho certeza do que estou falando. Pelo que eu conheço, pelo que eu já vi, a maioria deles não é liberto”.
Embora não tenha dado nomes, nem citado igrejas ou pessoas em específico, o bispo pregava sobre Apocalipse no vídeo que foi publicado em seu canal ontem (10/03).
Ao pregar sobre a necessidade de transformação das pessoas convertidas ao Senhor Jesus, o bispo enfatizou que ao chegar à IURD muita gente precisa de libertação.
Também falou de costumes que se adquire ao longo da vida e que atrapalham a fé, especialmente quem foi criado com tradição familiar religiosa católica ou espírita.
Aqueles que são oriundos de outras igrejas evangélicas também acumulam ensinamentos de pastores que ensinaram apenas “religiosidade”. É nesse contexto que o bispo fez a declaração polemica.
Fonte:GospelPrime

Raposas e Aves

O que é ser livre.



    Muitas pessoas hoje já não sabem mais o que é ser livre, muitas pessoas acham que ser livre é poder beber uma cerveja na hora que quiser, para outros liberdade é elas fumarem um cigarro, e ainda a outros que ser livre é poder usar drogas e ficar com quantas pessoas puder e der conta.
    Mais liberdade não é isso, porque se isso for liberdade como que você pode explicar que de tão livres mais tão livres que essas pessoas são, acabaram se tornando escravos da sua própria liberdade.
     Por que quando querem parar de beber, não conseguem, quando  querem parar de fumar, não conseguem, quando tentam para de usar drogas porque as drogas roubaram tudo que tinham, não conseguem.
     Existem tantas pessoas livres por beberem uma cerveja, que depois de anos tem que fazer um tratamento ou até mesmo frequentar grupos de ajuda, outras por ter usado sua liberdade no uso de drogas, no final vão parar numa clinica de recuperação por não conseguir largar o vicio, e tudo isso porque foram pessoas totalmente livres, livres para fazer o que queriam.

     A bíblia nos diz em Jo 8:36 “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres”. Então o que de fato é liberdade.

    Ser livre não é poder beber uma cerveja, ser livre não é poder usar drogas, ser livre não é fazer tudo aquilo que queremos, ser livre, verdadeiramente livre, é eu dizer “NÃO” a tudo aquilo que eu quero fazer, isso é ser livre de verdade. Eu quero beber uma cerveja, eu digo “NÃO”, eu quero ver pornografia na internet, eu digo “NÃO”, eu quero usar drogas, eu digo “NÃO”, isso é ser verdadeiramente livre.

    A verdadeira liberdade nós somente encontramos em Cristo Jesus, que Ele venha te libertar verdadeiramente, para que você possa dizer “NÃO” a tudo aquilo que você tem feito.

    Deus abençoe

    Por: Alessandro Silva

quarta-feira, 13 de março de 2013

O que fiz foi um casamento válido?

Vou tentar resumir a história que você contou e espero não errar na ordem dos acontecimentos. Você diz ser convertido a Cristo e saber que sexo antes do casamento é pecado. Então você começou a namorar uma garota incrédula que se converteu por meio de seu testemunho e com quem passou a ter relações sexuais.

Aí você ficou num dilema, pois não queria ter relações sexuais antes do casamento, e ao mesmo tempo não queria parar de tê-las. Casar-se estava fora de questão por não poder arcar com isso, portanto você orou a Deus para que Ele unisse vocês dois em matrimônio. Na sua cabeça, se Deus não a afastasse de você isto seria um sinal de que sua oração teria sido ouvida.

Seguindo esse raciocínio você teria obedecido 1 Coríntios 7:9, que diz: "Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se". Tendo celebrado esse "casamento espiritual" deixaria de viver "abrasado" e poderia ter relações com sua parceira. Você disse que a situação atual trouxe muitas vantagens, como você ter conseguido ter a mente mais fixa e fazer sexo com menor frequência do que fazia, além de conseguir orar melhor sem ser assolado pela dúvida se estava ou não agindo corretamente.

Então você pergunta: "Meu casamento foi válido?"

Se você pergunta é porque as "mudanças" que citou acima de nada valeram para aplacar sua consciência, já que ainda continua em dúvida. Se acha que seu casamento foi válido, por que coloca "fazer sexo com menor frequência" como uma das vantagens adquiridas com seu "casamento espiritual"? Não há nada que determine quantas vezes marido e mulher podem fazer sexo, mas no caso de solteiros o número é "zero".

Sim, você tem razão quando diz que é Deus, e não um homem como padre ou pastor, que une um casal, mas está errado ao pensar que o matrimônio bíblico é algo feito nos bastidores. Não é. Como todo contrato bíblico, o matrimônio é um compromisso público com a participação de testemunhas. Em nossa sociedade, apesar de continuar sendo Deus quem une, o juiz de paz recebeu de Deus autoridade para realizar essa união perante os homens. Por isso a certidão de casamento é uma certidão pública. As bodas de Caná não foram um acordo de alcova e as bodas do Cordeiro, que é a concretização daquilo que o matrimônio entre um noivo e uma noiva é uma figura, será um evento visto por milhões de milhões de anjos e seres humanos.

Então a resposta mais curta é: Não, seu casamento não foi válido e vocês estão vivendo em fornicação.

Seu relato todo mostra muito bem que você quis fazer com que Deus se dobrasse à sua própria vontade e este é um erro comum. As pessoas decidem algo e depois oram buscando que Deus dê sua aprovação para aquilo que já decidiram fazer ou efetivamente fizeram, ao invés de perguntarem a Deus qual a vontade dele.

Há orações que fazemos porque não sabemos a vontade de Deus (por exemplo, quero comprar uma casa e posso orar pedindo a direção de Deus se devo comprar ou não). Oro assim porque não existe na Bíblia algo como "Comprarás uma casa" ou "Não comprarás uma casa", daí minha dúvida e necessidade de buscar a Deus. Mas quando há na Palavra de Deus instruções claras sobre algum assunto, não há razão para orar a respeito.

Vou dar um exemplo: Você conhece uma garota incrédula e passa a orar a Deus para saber se é da vontade dele que comece um relacionamento sério com ela. Orar assim é perder tempo, porque Deus já lhe deu a resposta antes mesmo de orar:

2Co_6:14 Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?

Outro exemplo: Você decide dormir com sua namorada e ora a Deus para saber se ele aprova isso. Isso é o mesmo que orar se deve ou não pisar no freio ao se aproximar de uma esquina com uma enorme placa que diz "PARE". A fornicação ou sexo entre solteiros é condenada em várias passagens da Bíblia, e antes que alguém queira discutir se a raiz grega da palavra fala ou não efetivamente de sexo antes do casamento, é só olhar como a Palavra de Deus se refere a duas classes de pessoas, casados e solteiros. À última classe ela dá o nome de "virgens".

1Co 7:28, 34 Mas, se te casares, não pecas; e, se a virgem se casar, não peca... Há diferença entre a mulher casada e a virgem. A solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito; porém, a casada cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido.

Portanto meu conselho é este: Vá com sua namorada ao cartório mais próximo e providencie seu casamento no civil para não estar mais vivendo uma situação de fornicação, já que vocês decidiram que é assim que pretendem viver. Ou então parem de ter relações sexuais e confessem o pecado que têm cometido, não só a Deus, mas também aos irmãos com os quais vocês têm comunhão. "Um pouco de fermento leveda toda a massa" (1 Co 5), escreveu Paulo referindo-se a um caso de pecado de fornicação para o qual os cristãos de Corinto estavam fazendo vista grossa. A questão não só devia ser trazida à tona, como o envolvido precisava ser julgado pela assembleia e expulso da comunhão (excomungado).

Talvez você alegue que hoje existe na lei a previsão da união estável, que não é o seu caso, pois há alguns requisitos que vocês não preenchem. A união estável não é considerada a mesma coisa que um matrimônio pela simples razão de continuar existindo o matrimônio civil. A união estável procura resguardar os direitos de uma sociedade na qual duas pessoas já vivem, para tirá-las da informalidade e evitar problemas na divisão dos bens em caso de separação. Mas mesmo cristãos que desfrutem de uma união estável devem procurar cumprir a lei dos homens casando-se.

Por Mario Persona

terça-feira, 12 de março de 2013

Homens vestindo saia, e multidão aos gritos de: “Eu amo homem, amo mulher, tenho o direito de amar quem eu quiser".



Assim um pequeno grupo de baderneiros encorajados por grupos organizados de comunidades LGBT promoveram uma verdadeira arruaça na frente da Igreja onde o Pr Marcos Feliciano estava com sua família.
As manifestações começaram na porta do Congresso Nacional, agora foi na porta de uma Igreja Evangélica, onde será a próxima?
Se as questões se limitam ao fato de não concordarem com o nome dele porque uma manifestação diante de um templo Evangélico?
Infelizmente ainda há muitos entre nós, milhões, que ainda não perceberam que esses grupos nazistas e comunistas estão em guerra contra a Igreja, contra a Bíblia sagrada, contra os Cristãos.
Não se trata de direitos, trata-se de não suportarem serem chamados de pecadores. De verem sua maneira promíscua de viver sendo denunciada pela Igreja de Cristo. Querem a qualquer custo calar a nossa vós.
Essa é só uma pequena amostra dos dias de perseguição que ainda sobrevirão à verdadeira Igreja de Cristo na terra. Contra uma Igreja que não se sujeitará ao pecado. Que ao bem continuará chamando de bem e que ao mal continuará chamando de mal.
 
 

segunda-feira, 11 de março de 2013

A Importância da Pregação Expositiva para Crescimento Saudável da Igreja

Em Lucas 24 o "partir o pão" era a ceia do Senhor?



 O partir o pão em Lucas 24 não é a ceia do Senhor. A ceia foi instituída pelo Senhor nos evangelhos, mas aquela ainda não era a ceia que praticamos. A que praticamos (e os discípulos em Atos praticavam sem ainda entenderem perfeitamente o que faziam) é a que foi revelada pelo Senhor a Paulo em 1 Coríntios 11 (não foram os outros que contaram a ele). Vamos à passagem de Lucas 24:

Luc 24:28-31 E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe. E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu. Abriram-se-lhes então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes.

Em Lucas 24 vemos o Senhor tomando o lugar de anfitrião (a casa não era a dele) e tomando a iniciativa em tudo. Embora não seja uma reunião da igreja (que ainda não existia) e nem a ordenança da ceia do Senhor (nada é falado do vinho), a cena é um bom exemplo do que acontece quando a assembleia se reúne ao Seu nome. Mas ali claramente tratava-se de uma refeição normal, e não da ceia do Senhor revelada pelo Senhor a Paulo como uma ordenança dada à Igreja.

Em Atos 2:46 o "partir o pão" não era a ceia do Senhor, mas a refeição comum que os judeus faziam, mas o versículo em Atos 2:42 está falando da ceia do Senhor. Como distinguir se ambas passagens usam a expressão "partir o pão"? Simples, basta ver o contexto e o que está associado a cada uma das ocorrências. O verbo "apanhar", por exemplo, pode ter diferentes significados dependendo de onde está inserido na frase. "Apanhei de meu colega na escola" significa que levei uma surra dele, mas "Apanhei meu colega na escola" significa que fui buscá-lo ali. Vamos às duas passagens de Atos 2:

Ats 2:41-42 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

Esta passagem está falando de uma atividade corporativa como assembleia ou igreja, ainda que eles não entendessem exatamente que estavam vivendo algo distinto de Israel e que suas reuniões nada mais tinham a ver com o judaísmo. A verdade da igreja só seria revelada mais tarde a Paulo, conforme a passagem de 1 Coríntios:

1 Co 11:23-26 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

Não faria sentido dizer que "perseveravam... no partir do pão" se em Atos 2:41-42 a expressão indicasse meramente a alimentação diária. Interpretar assim seria como dizer que "perseveravam em tomar café da manhã, almoçar e jantar", o que não teria qualquer importância e nem conexão com "doutrina dos apóstolos", "comunhão" e "orações".

Portanto é sempre bom entender que quando lemos Atos estamos vendo um período de transição e não a doutrina dos apóstolos especificamente falando. Lembre-se de que Atos é a continuação do evangelho de Lucas. Em Atos vemos os atos ou ações dos primeiros cristãos, mas é na doutrina dos apóstolos para a igreja, encontrada nas epístolas ou cartas, que encontramos o embasamento para aquilo que era praticado em Atos.

Por exemplo, confirmando a passagem acima de Atos 2:41-42 nas epístolas encontraremos o perseverar na doutrina (1 Co 14:26-40), na comunhão (pode ser o caso de Jd 1:12 ou 1 Co 11:21, em ambos os casos apontando distorções), no partir do pão (a ceia do Senhor, 1 Co 11:23-26) e orações (1 Co 14:14-17).

A passagem que se segue àquela obviamente fala dos costumes da vida diária, e neste caso sim o "partir o pão" refere-se à alimentação regular e diária. Aqui poderíamos parafrasear como "tomando café da manhã, almoçando e jantando em casa, comiam juntos...".

Ats 2:46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,

Já em Atos 20:7-11 trata-se da reunião da assembleia para partir o pão, isto é, celebrar a ceia do Senhor.

Ats 20:7-11 E no primeiro dia da semana, ajuntando-se [congregando] os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite. E havia muitas luzes no cenáculo onde estavam juntos... E [Paulo] subindo, e partindo o pão, e comendo, ainda lhes falou largamente até à alvorada; e assim partiu.

Em Atos 27:35, no relato do naufrágio, o ato de Paulo partir o pão nada tem a ver com a ceia do Senhor, mas é uma expressão usada para a refeição. Ele está cercado de tripulantes e passageiros incrédulos, portanto tentar atribuir aquilo à ceia do Senhor seria um erro.

Mario Persona

sexta-feira, 8 de março de 2013

Marco Feliciano e a rejeição dos “evangélicos”: Trocando em miúdos



O que na verdade está por trás de tanto alvoroço por causa da eleição do Pr Marcos Feliciano?

A chamada área social do governo da qual faz parte à Comissão de Direitos Humanos engloba várias políticas sociais. Entre elas a política para mulheres e o sistema prisional. O total de recursos disponibilizado para a área no Ano de 2013 será de R$ 1,4 bilhão. Segundo site do próprio governo federal.

A gaystapo estava de olho na “sua parte” desse quinhão. Dinheiro que em passado próximo foi usado para produzir a cartilha gay do ex-ministro Fernando Haddad hoje prefeito da cidade de São Paulo e é usado para bancar os custos com a parada gay em São Paulo e outras cidades. Dinheiro dos nossos impostos que são usados para promover orgia em plena luz do dia e em vias públicas. Esse é o motivo da choradeira, o duro golpe que a gaystapo tomou.

O deputado Domingos Dutra (PT-MA), ex presidente da comissão, deputada Luiza Erundina (PSB-SP) que mostrou sua “capacidade” de gestora quando prefeita de São Paulo, deputado sodomita e inimigo nº 1 das famílias brasileiras Jean Willis (Psol-BA), Érika Kokay (PT-DF), pró aborto,  Luiz Couto (PT-PB) e Chico Alencar (Psol-RJ), ambos comunistas.Todos muito mais interessados na causa da gaystapo e nas verbas federais destinadas a eles do que na promoção de direitos humanos.

Isso infelizmente a grande mídia não divulga e incentiva através de acusações descabidas e levianas o ódio contra os cristãos, principalmente contra os Evangélicos.

Todos os que acompanham meu blog sabem que não morro de amores pelo Marcos Feliciano, sabem que diversas vezes denunciei aqui seus falsos ensinos. Suas meninices e posições teológicas incorretas são de “amargar”. Esses erros visíveis por todo cristão com um pouco de senso critico e conhecimento bíblico fez com que ele entre os próprios Evangélicos tenha um alto índice de rejeição.

Entrementes eu creio que a perseguição que certamente ele vai sofrer a frente da Comissão de Direitos Humanos poderá fazer com que ele amadureça, e, essa precisa ser minha oração.

Não é o momento- em minha opinião- de justamente nós evangélicos engrossarmos o coro com entidades ligadas a grupos homossexuais, feministas pró aborto, associações que representam as religiões de matiz africanas e comunistas contra o Pr. Marcos Feliciano.

Acreditem. Existem Evangélicos promovendo em suas redes sociais as manifestações publicas planejadas contra o Pr Marcos Feliciano.

Se a sua repulsa pelo referido Pr é tão grande a ponto de você associar-se a esses grupos contra ele existe alguma coisa muito errada acontecendo.

Pense nisso.

Pr Anselmo Melo
 
Obs minha "Alessandro": Quem vocês preferem ? Marcos Feliciano ou Jean Willis para a Comissão de Direitos Humanos?

quinta-feira, 7 de março de 2013

Crianças que morrem sem crer em Jesus estão salvas?


Não é de hoje que muitos cristãos acreditam na salvação das crianças que ainda não amadureceram o suficiente para crerem no Evangelho. Afinal, o Senhor Jesus afirmou que delas é o Reino de Deus (Mc 10.13-16). Crê-se que os tais infantes, caso venham a morrer, estarão protegidos pela graça preveniente de Deus e automaticamente salvos da condenação, haja vista não terem a capacidade de atender à condição exigida para o recebimento da salvação (cf. Mc 16.16).


Entretanto, alguns teólogos não acreditam na salvação de todas as crianças que partem para a eternidade sem terem maturidade para crer no Evangelho. Até mesmo os recém-nascidos podem ir para Inferno, caso morram nessa fase da vida. Tais teólogos baseiam sua tese no julgamento igualitário, na aliança familiar com Deus e ou na eleição soberana. Ou, ainda, numa combinação desses três elementos.

quarta-feira, 6 de março de 2013

terça-feira, 5 de março de 2013

Trindade satânica


Sabemos que o Diabo já está julgado (Jo 16.8-11), e a sua carreira, em descensão (Ez 28.11-19). Quando quis se igualar a Deus, foi precipitado das alturas (Is 14.12-15) e se tornou o “príncipe das potestades do ar” (Ef 2.2). Na Grande Tribulação, ele será lançado na Terra (Ap 12.7-9). No Milênio, ficará aprisionado num abismo (Ap 20.1-7). E, por fim, será condenado, em última instância, ao Lago de Fogo (Rm 16.20, Ap 20.10).

Depois do Arrebatamento da Igreja, haverá uma batalha nas regiões celestiais. Sob a liderança do arcanjo Miguel — encarregado de proteger o povo de Israel (Jd v.9; Dn 12.1) —, os anjos de Cristo prevalecerão contra os do Diabo: “E houve batalha no céu: Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e os seus anjos, mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus” (Ap 12.7,8). Nesse tempo, o Dragão será expulso das regiões celestiais: “foi precipitado o grande dragão” (v.9).

A precipitação do Inimigo à Terra trará grande prejuízo à humanidade, principalmente a Israel. A tríade satânica, a falsa trindade (Ap 13), se estabelecerá com muita força: “Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo” (12.12b). Hoje, o Diabo e os anjos que se rebelaram contra Deus, no princípio (12.4), não têm plena liberdade de ação. Eles habitam as regiões celestiais (Ef 6.12; Gl 1.8), onde está o trono do “príncipe das potestades do ar” (Ef 2.2). Após o Arrebatamento, eles agirão direta e irrestritamente na Terra.

De acordo com Apocalipse 16.13, as duas Bestas — uma que sobe do mar (13.1-10) e outra que emerge da terra (13.11-18) — entrarão em ação no período tribulacional: “E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs”. Deus também revelou ao apóstolo Paulo, em 2 Tessalonicenses 2, essas duas Bestas: os versículos 3 a 6 se referem à primeira (o Anticristo); e os 7 a 12, à segunda (o Falso Profeta).

Satanás jamais conseguirá ser igual a Deus (Is 14.12-14). E essa frustração faz dele um imitador das obras divinas, porém com intentos maus. Ele formará a sua falsa trindade — na verdade, uma tríade, haja vista não ser ela uma união de três pessoas que formam um único deus, e sim três pessoas distintas agindo separadamente, tendo como líder o Dragão. Este, o Anticristo e o Falso Profeta tomarão posse, temporariamente, da Terra. Se a Santíssima Trindade é composta de Deus-Pai, Cristo e Espírito (Mt 28.19; 2 Co 13.13), a falsa trindade satânica terá como protagonistas o Antideus, o Anticristo e o Antiespírito.

As diferenças entre Cristo (o Cordeiro de Deus) e o Anticristo (a Besta do Diabo) são muitas. Cristo é a imagem de Deus (Cl 1.15); o Anticristo, a de Satanás. Cristo é a segunda Pessoa da Trindade; o outro também será a segunda pessoa, mas da falsa trindade satânica. Cristo desceu do Céu (Jo 6.51); o outro subirá do abismo (Ap 11.7). Cristo é o Cordeiro (Jo 1.29); o outro, a Besta. Cristo é o Santo; o outro, amante da iniquidade, terá um aliado chamado de Iníquo (2 Ts 2.8).

Cristo veio em nome do Pai; o Anticristo virá em seu próprio nome. Cristo subiu ao Céu (At 1.9-11); o outro descerá para o Inferno. Cristo é o Filho de Deus (Jo 3.16); o outro, o filho da perdição. Cristo é o mistério de Deus; o outro, o da iniquidade. Cristo recebe o louvor dos santos; o outro será adorado pelos ímpios. A Noiva de Cristo é a Igreja; a do outro será “uma prostituta” (Ap 17.16,17). Cristo é a verdade (Jo 14.6); o outro, a mentira. Cristo é a luz (Jo 8.12); o outro, trevas. Os seguidores de Cristo andam na luz (1 Jo 1.7); os do outro andarão em trevas (Ap 16.10). O Reino de Cristo é eterno; o império do Anticristo durará apenas sete anos.


Assim como Cristo veio ao mundo para revelar a glória do Pai (Jo 1.14), a Besta revelará a natureza funesta do Diabo, agindo segundo o seu poder (Ap 13.1,2). A palavra “anticristo” pode significar “contra Cristo” ou “no lugar de Cristo” — ou uma combinação das duas definições. Como os fariseus do passado, o Anticristo será inimigo figadal de Cristo e seus seguidores (Mt 12.14; Lc 15.2). E, da mesma forma que o Espírito convence os pecadores e glorifica a Jesus (Jo 16.8-14), o Falso Profeta induzirá todos a adorarem o Anticristo (Ap 13.11-15).

Ciro Sanches Zibordi
Texto extraído do livro Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar, publicado pela CPAD em 2012

segunda-feira, 4 de março de 2013

sexta-feira, 1 de março de 2013

Depois do arrebatamento não havera segunda chance?



 Você escreve que ficou surpreendida por eu falar tanto da graça de Deus e, no entanto, acreditar que não haverá segunda chance depois do arrebatamento para quem ouviu o evangelho e não creu. Sim, é o que entendo das escrituras, principalmente de 2 Tessalonicenses 2.

Após o arrebatamento, aqueles que já tinham ouvido o evangelho da salvação e não creram, continuarão até a ser religiosos exteriormente como talvez já o fossem antes. Eles estarão nas fileiras daquilo que Apocalipse chama de "Grande Meretriz", a mulher que não é a noiva pura, mas a falsa igreja. O livro "Deixados para trás" criou muita confusão na cabeça das pessoas ao ensinar que há pessoas "cristãs" que se converterão depois do arrebatamento.

Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...