Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

SETE COISAS A SE FAZER APÓS CONSUMIR PORNOGRAFIA

Resultado de imagem para pessoa arrependida 

Um grande número de conselhos cristãos sobre viciados em pornografia é inútil – ou seja, não contribui para o progresso real no arrependimento, cura, restauração e recuperação. A maioria deles não aborda as questões que subjazem o uso da pornografia. Muitas vezes, o conselho cristão ou baseia-se nas nuvens da teologia e referências bíblicas, ou são listas de “como fazer” superficiais, e acabam derrubados pelas areias da vida real – do fracasso e da luta pela esperança. Como o evangelho é relevante para o falhar e o tentar de novo? E falhar e tentar de novo? E falhar e tentar de novo?

Nós muitas vezes deixamos que ideais inatingíveis ditem o que nos permitimos dizer – as questões que nos permitimos abordar com a congregação, com as lutas, com o espelho. Podemos falar sobre o que Cristo pode fazer (e o que podemos fazer) logo após o consumo pornográfico? Ou olhamos para o tempo e esperamos pelo melhor? "Por que pensar em como Deus o encontra em meio ao fracasso? Você não deveria nem estar em uma situação de ‘após consumir pornografia’.” Mas frequentemente muitos ali se encontram e isso é ponderado porque Deus pode e age no momento do arrependimento.

É muitas vezes naquele momento após a porta fechada, a escuridão, a luz da tela, o ato escondido – após ceder à pornografia – que Satanás lança sua teia mais eloquente: padrões ameaçadores de pensamento; barganhas com um Deus desaprovador e distante; torcendo-nos em nós mesmos em ódio próprio. É no momento após render-se à pornografia que Satanás faz seu melhor trabalho. É neste momento que precisamos de Deus para fazer a sua melhor salvação. Aqui estão algumas maneiras específicas de buscar graça no momento após o ato sombrio do consumo pornográfico:

1.      Conheça seu Inimigo

Assim que você cede, mergulha em ódio próprio, ou em autoevasão. Satanás está satisfeito de qualquer maneira. Ambos os caminhos acreditam em suas acusações (Mateus 16:23, 2 Coríntios 7:10). Reconheça que você tem um poderoso agente pessoal que é singularmente focado em sua destruição (Jó 1:7, Efésios 2:2, Judas 1:19). Cada experiência que você tem – seus pensamentos, seus ódios, seus impulsos, suas emoções, seus planos, suas idéias – deve levar em conta que Satanás está agindo. Quanto mais cedo você esquecer isso, mais fácil será acreditar em mentiras ocultas, subversivas, sutis e destrutivas. Quando Jesus diz aos fariseus que o pai deles é o diabo – o grande mentiroso –, é claro que não é surpresa o fato de não saberem disso. Satanás quer que eles se esqueçam de que ele é seu pai, porque o mal ganha poder quando é esquecido (João 8:44). Não se esqueça: Depois que ceder à tentação, você ainda está no meio da batalha com alguém tenaz e mal intencionado em roubar sua vida, e ele ainda não conseguiu.

2.      Lute contra o ódio próprio

Não há dúvida: a pornografia é a manipulação torcida da inocência para o desejo cru de apetite erótico. Ter uma consciência pesada é algo bom. Mas quando Judas percebeu que "pequei traindo sangue inocente", não é de surpreender que "partiu, e foi enforcar-se" (Mateus 27:4-5). É um sentimento comum: querer punir-nos por trair os inocentes. Ao torcer a inocência, nós nos torcemos. Não é surpresa que as taxas de suicídio sejam altas entre usuários de pornografia. "Eu não sou tão bom quanto os pregadores cristãos e os blogueiros querem que eu seja." Entortar a dignidade humana, no final, só distorce cada vez mais aquele que a consome – deformando psicologicamente ao ódio próprio; contorcendo-se em auto-nojo. Abominamo-nos, criticamo-nos, desprezamo-nos e detestamo-nos. Chafurdar em autodepreciação e sentir-se obrigado a pagar penitência a Deus pelo pecado é uma tortura triste e insuportável. É falsa, e é uma opressão perversa. Mas a graça tem uma palavra sobre isso.

Não é de admirar que Davi use essas metáforas profundamente físicas quando implora a Deus pela graça sobre o pecado sexual: "apaga minhas transgressões", "lava-me", "purifica-me", "em pecado, minha mãe me concebe", " expia-me "," lava-me" (novamente), "apaga as minhas iniquidades", "cria em mim um coração limpo" (Salmo 51: 1, 2, 5, 7, 9, 10). É uma súplica simples, clamando: "Está em mim. TIRA DE MIM!" “Para-me.” "Eu odeio isso." "Eu me odeio." "Limpa-me." Deus nos dá uma liturgia de tristeza e esperança estendida no mesmo clamor. Lute, com David. Grite isso, com David. Substitua o gemido do ódio humano por um grito de guerra ininterrupto de amor divino.

Se você é tentado a chafurdar, não deixe seu (bom) ódio intuitivo do pecado levar você a se odiar. Seja paciente consigo mesmo, porque Deus é paciente. Ele está lutando pela sua vida (Gênesis 32:24,  João 10:10). Ele não se esqueceu de você. Ele não te deixou. Continue lutando com ele. Continue suspirando pelo ar da vida divina – o Espírito que dá vida (1 Coríntios 15:45).

3.      Lute contra a névoa

Logo após o consumo de pornografia, uma neblina aparece. Jesus sabe. "Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus" (Mateus 5:8). Pureza é uma festa sobre a virtude iluminada. O que é impureza? É a festa que se transforma em autoisolamento, evitando Deus e o homem e o eu, entorpecido, atordoado, morto, dessensibilizado. A impureza sexual induz a uma catarata espiritual. Novamente, o sentimento é comum – o histórico do navegador foi apagado, passa-se o resto do dia, pulando de tarefa para tarefa, de pessoa para pessoa – sem sentido, sem pessoas, sem paixão. Esta experiência está implantada no íntimo do consumo pornográfico.

Normalmente não há nada a ser feito, se somos honestos, exceto entrarmos na onda – a confusão, o atordoamento. Continue orando (Efésios 6:18). Mantenha-se buscando por ar puro. Fique acordado. Continue respirando. As misericórdias matutinas podem ser o botão de restauração emocional de que precisamos quando passamos nosso escape emocional diário na pornografia (Lamentações 3:22-24). O lamentador está suspirando desesperadamente. Ele ora pelo que não pode fazer. "O Senhor é a minha porção... Por isso espero nele." (Lamentações 3:24). Sério? Você vai esperar nele? A oração é um ato de esperança. A oração do lamentador é a porção da obra do Senhor. Continue dando um passo adiante. Continue respirando. Sem a repetição do ato de ceder, a névoa eventualmente desaparecerá.

4.      Guarde os outros

A pornografia é uma sessão de treinamento na habilidade de usar os outros para o prazer pessoal. Basta estar ciente de que agora você está inclinado a usar as pessoas que lhe são próximas da mesma forma que você usa aquelas na pornografia – com motivo egoísta, com atitude negligente, sem arrependimento. A pornografia coloca vendas sobre os olhos de nosso relacionamento – isso impede profundamente nossa capacidade de amar os outros em verdade. Assim, a melhor atitude é caminhar como se tivéssemos viseiras reais sobre nossos olhos: Caminhe lentamente, e assuma que estamos atualmente muito vulneráveis ​​e propensos a tratar aqueles que nos rodeiam como sub-humanos. Depois de ceder, é vital ter em mente que aqueles que não estão no vídeo merecem o respeito e a dignidade que acabamos de falhar em demonstrar àqueles que estão.

A pornografia conforma seus usuários em um drama, um personagem, uma história com um roteiro e falas e ações: alguém para dar prazer, alguém para receber prazer; uma pessoa fazendo sacrifícios, outra recebendo sacrifícios; um sub-humano, um deus. É preciso autocontrole para lembrar que a pornografia é uma história falsa – e, para combater a falsa história que a pornografia nos conta, devemos pensar ativamente menos em nós mesmos e mais nos outros: lembrar a dignidade humana, o amor de Cristo para com aqueles que nos rodeiam, nossa não-deidade. O Espírito trabalha em nós para evitar que a carne nos regule (Gálatas 5:17) – o Guardião protege os outros das consequências do pensar que somos Deus.

5.      Confesse a um amigo

Confesse o pecado a um amigo que não o desculpará, mas igualmente importante, que não o esmagará. Às vezes, ao procurar ajuda para levantar-se depois de sucumbir à pornografia (Provérbios 24:16), outros só empurram de volta para baixo. Encontre o amigo que traz esperança que cura quando eles ouvirem sua confissão. O propósito da confissão é "ser curado" e "orar uns pelos outros" (Tiago 5:16). Naturalmente, o valor da "oração de um justo" é que ela "é poderosa e eficaz" (Tiago 5:16). Poderosa para fazer o quê? Para "nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9). A confissão a um amigo (mais apropriadamente, um amigo do mesmo sexo) não é uma barreira entre o pecador e Cristo, mas um meio de consertar o que foi quebrado. O pecador sábio confessa àqueles que não querem "oprimir os necessitados no tribunal" (Provérbios 22:22) nem "chamar ao mal bem e ao bem, mal" (Isaías 5:20). Considere assistir a uma reunião regular da Sociedade Samson [uma associação americana de homens cristãos comprometidos em se ajudarem a caminhar em santidade] ou algo do tipo em sua região.

6.      Use sua clareza para o bem

Sim, pode haver uma névoa após a indulgência. Mas também pode haver uma inundação de clareza – a retrospectiva do arrependimento. Quando Judas viu que Jesus foi condenado, mudou de idéia (Mateus 27:3). A clareza de Judas levou-o pelo caminho errado. Mas você pode usar sua clareza para voltar ao caminho certo. Da mesma forma, Paulo escreve sobre a rebelião de Israel, "Ora, estas coisas aconteceram como exemplos para nós, para que não cobicemos coisas más como eles fizeram" (1 Coríntios 10:6). Às vezes, desejamos o mal assim mesmo. E nesse caso, nós servimos como um exemplo para nós mesmos.

Como Piper poderia dizer, "Não desperdice seu arrependimento." Use-o para a glória de Deus e sua alegria. Estabeleça limites. Use a clareza que certamente desaparecerá antes do próximo momento de tentação para construir estruturas que irão impedir isso novamente. Revise tudo quanto puder a respeito de métodos idiotas e ineficazes, e das medidas preventivas realmente sustentáveis ​​– a verdade básica é a seguinte: Se você não tem nenhuma estrutura formal criada para impedir que você consuma pornografia no futuro, ela vai absolutamente, com 100% de certeza, acontecer novamente. Se você não tem estruturas, se não tem embasamento para ser exigente – escolha algum métodos. Aqui estão algumas ideias:

Use os aplicativos “Covenant Eyes” ou “X3Watch” para todos os seus dispositivos.

Não deixe que um único navegador desprotegido permaneça em seu iPhone.

Exclua aplicativos no navegador que permitam o acesso a sites bloqueados por esses aplicativos.

Peça a um amigo para bloquear a função de download de aplicativos no seu telefone para que seu navegador nativo não seja uma opção, e você não possa fazer o download do Google Chrome (o aplicativo Covenant Eyes/X3 funcionará como navegador).

Exclua as fotos salvas.

Informe um amigo sobre as formas e códigos para burlar essa técnicas que você tem escrito e guardado em seu bolso. Se você não planeja nada, está planejando falhar. Em nenhum lugar isso é mais verdadeiro do que na luta prática contra a indulgência da pornografia.

7. Conheça o seu Deus

Lembre-se disso: Deus te ama tanto, tanto. Ele tem seu coração cortado por nós (Gênesis 6:6), e ouve nossos corações quebrantados, e poderosamente nos livras das tribulações (Salmo 34:17-19). A neblina pode nos bloquear de Deus: "O insensato não entende, o tolo não vê" (Salmo 92:6). Mas mesmo quando não podemos vê-lo, mesmo quando falhamos em obedecê-lo, oremos: Deus, frustra nossos planos de desobedecer (Neemias 4:15), e "nenhum dos teus planos pode ser frustrado" (Jó 42:2). Mais do que qualquer coisa: "Deus, ajuda-nos a lançar todas as nossas angústias sobre ti, porque o Senhor tem cuidado de nós" (1 Pedro 5:6-7).

Ele não abandona o pecador. Ele não se afasta daquele que cede à tentação. Espere no seu amor. "Construa-se... no Espírito Santo": "mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna" (Judas 1:20-21). Conheça a diferença entre a máscara que Satanás usaria para se passar por Deus e enganá-lo: desgostoso, distante, indisponível, desinteressado, e lembre-se do rosto do seu verdadeiro Deus: amoroso, paciente, trabalhador, constante, implacável, inabalável ao lidar com você. Ele não vai deixar você.



Autor: Paul Maxwell
Tradutor: Moacir Campos

Fonte: Perguntar Não Ofende 


Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...