Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Eleição e Vocação, por Robert Murray M´Cheyne

 
[Compilação de Escolhidos Para a Salvação & Chamados Com Uma Santa Vocação]
I. ELEIÇÃO – Escolhidos Para a Salvação
“Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade.” (2 Tessalonicenses 2:13)
Quando viaja por países papistas, onde o povo se curva diante de imagens de madeira e pedra, e onde a Palavra de Deus é esquecida, a mente de um crente se volta para as temíveis palavras nos versículos precedentes com um sentimento de tristeza inexprimível; e, novamente, quando a mente vagueia a partir destas desoladas regiões para o pequeno rebanho de queridos crentes na bem-aventurada Escócia, isto proporciona algo do deleitável sentimento com o que Paulo escreveu estas palavras: “devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor”.
1. Aqui nós somos ensinados que Deus é soberano ao escolher as almas que são salvas.
(i) Ele é soberano em escolher homens, e não anjos rebeldes. Nós lemos na Bíblia sobre duas grandes apostasias contra Deus. A primeira ocorreu no céu. Lúcifer, filho da alva, um dos mais brilhantes anjos que estavam ao redor do trono, rebelou-se por meio do orgulho juntamente com miríades de santos anjos. “E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação” [Judas 1:6]. “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo” (2 Pedro 2:4).
A próxima rebelião foi no paraíso. O homem confiou mais em Satanás do que em Deus, e comeu do fruto proibido. “Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores” [Romanos 5:19].

Ambas as linhagens pecaram contra o mesmo Deus, quebraram a mesma santa Lei, caíram sob a mesma maldição, e foram condenados ao mesmo fogo. Agora, agradou a Deus, em infinita compaixão, providenciar um meio de perdão para algumas destas criaturas perdidas. Ele determinou salvar alguns “para louvor da glória de sua graça”.
Mas, a quem Ele salvará; os homens ou os anjos rebeldes? Talvez os exércitos não caídos do Céu suplicaram que os seus antigos anjos irmãos fossem salvos, e os homens deixados. Eles podem ter dito que a natureza angélica era mais elevada e nobre, que o homem era um verme. “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus!”. Ele não poupou os anjos. Ele passou pelo portão do inferno; Ele não ergueu a cruz do Calvário ali. “Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão” (Hebreus 2:16).
(ii) Ele é soberano em escolher os países que têm a luz do Evangelho. Todas as nações são igualmente perdidas, e desprezíveis aos olhos de Deus. “E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra”. E ainda quão distintamente Ele trata com diferentes povos. Porque Deus escolheu a Israel para ser a Sua herança peculiar, e para ter os oráculos de Deus confiados a eles? Foi por que eles eram mais justos do que outros? Não; isto é expressamente negado: “Sabe, pois, que não é por causa da tua justiça que o Senhor teu Deus te dá esta boa terra para possuí-la, pois tu és povo obstinado” (Deuteronômio 9:6). Nem foi por causa de sua grandeza: “O Senhor não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos; mas, porque o Senhor vos amava” (Deuteronômio 7:7-8).
Outrossim, porque a China, com seus abundantes milhões, tem sido cercada pelos séculos, e deixada nas trevas dos seus ídolos vãos? Por que a Índia foi deixada sob os cruéis grilhões do Hinduísmo? Por que a África tem sido em grande parte entregue à bruxaria e superstição? Por que a própria face da Europa tem sido em grande parte entregue às desilusões do homem do pecado; e porque a nossa própria ilha gelada foi escolhida para ser um tão resplandecente repositório da verdade em todo o mundo? Somos nós melhores do que eles? Não, de forma nenhuma. Existem pecados cometidos em nosso meio que poderiam até mesmo envergonhar os pagãos. “O teu caminho é no mar” [Salmos 77:19]. “Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer” [Romanos 9:18].
(iii) Deus é soberano no que diz respeito a escolher as pessoas mais improváveis para serem salvas. Vocês poderiam esperar que a maioria dos ricos fossem salvos. Eles têm mais tempo para as coisas de Deus; eles não são incomodados pelos temores da pobreza; eles podem adquirir todas as vantagens. E ainda, ouçam a Palavra de Deus: “Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?” (Tiago 2:5). Vocês também poderiam ter pensado que Deus escolheria os sábios e eruditos para serem salvos. O Evangelho é um assunto de profunda sabedoria. A Bíblia foi escrita em Línguas antigas, difíceis de serem aprendidas. E homens mais educados são geralmente livres de desvantagens, das quais as pessoas comuns são sujeitas. E ainda, ouçam a palavra de nosso Senhor: “Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim te aprouve” [Mateus 11:25-26].
Vocês poderiam ter pensado que certamente Deus salvará as pessoas mais virtuosas do mundo. Ele é o Deus da pureza, que ama o que é santo; e embora ninguém seja justo, nem mesmo um só, contudo, alguns são menos manchados com o pecado do que outros. Certamente Ele escolherá esses. O que o Senhor Jesus diz aos Fariseus? “Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus”. O irrepreensível jovem rico é deixado ir embora entristecido, enquanto o Rei da glória entra em um portão de pérola da Nova Jerusalém com um ladrão lavado em Seu sangue ao Seu lado.
Se a minha alma é salva, eu não sou compelido a dar ações de graças? Se os ministros são compelidos a agradecer a Deus pela livre salvação do seu povo, quanto mais nós mesmos somos obrigados a louvá-lO por nos salvar. Eu não sou melhor do que um anjo rebelde. Os demônios nunca rejeitaram a Cristo como eu o fiz, e ainda assim, Ele passou por eles e salvou-me. Eu não sou melhor do que um Chinês ou um Hindu, e ainda assim, a graça passou por milhões deles e veio até mim. Eu não era melhor do que os pecadores ao meu redor, talvez pior do que a maioria, e ainda assim, eu creio que posso dizer: “Tu livraste a minha alma do inferno mais profundo” [Salmos 86:13]. Glória a Deus ao Pai, pois Ele me escolheu antes da fundação do mundo. Glória a Jesus, pois Ele passou por milhões e morreu por mim. Glória ao Espírito Santo, pois Ele veio com livre amor e despertou-me.
2. Nós somos ensinados que Deus escolhe os meios bem como os fins. “Ele vos elegeu desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade”. O primeiro passo que Deus escolhe para que Seu povo chegue é a “fé da verdade”. Deus não escolhe homens para saltar dos seus pecados para a glória. Mas Ele envia o livre Espírito para ungir seus olhos e derreter seus corações, para convencer e habilitá-los a abraçar a Cristo como Ele livremente é oferecido no Evangelho. Uma simples fé sincera na verdade é o primeiro sinal de que nós fomos escolhidos para a salvação. “Todo o que o Pai me dá virá a mim” [João 6:37]. Eu fui a Jesus? Então, sei que eu sou um daqueles a quem o Pai deu a Ele antes que o mundo existisse. Eu realmente acredito na verdade como ela é em Jesus? Então, Deus me escolheu para a salvação.
O segundo passo que Deus escolhe para que o Seu povo chegue, é a “santificação do Espírito”. Está escrito: “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” (Efésios 1:13). No momento em que a alma se abre para o Senhor Jesus, o Espírito Santo faz o Seu repouso nesta alma; Ele permanece ali para sempre. Ele transforma a gaiola das aves imundas em um templo de louvor a Jeová. Ele faz com que toda a alma seja gloriosa. Ele destrói o domínio do pecado; Ele enche, renova, vivifica todo o homem interior. Eu recebi o Espírito Santo? Este selo celestial foi aplicado ao meu coração, imprimindo sobre mim as características e mente de Jesus? Eu tenho a santificação do Espírito? Então, eu tenho a clara evidência que o meu chamado e eleição são seguros.
Eu posso olhar para trás, para minha eleição antes da existência do mundo; e olhar adiante para minha salvação quando o mundo passar. Quão tola é a presunção daqueles que dizem: “Se eu não sou eleito, eu não posso ser salvo, independentemente do que eu faça; e se eu sou um eleito, eu serei salvo independente da forma que eu viva”.
A simples resposta é esta: Se você é eleito ou não, você não pode ser salvo sem a fé na verdade, e santificação pelo Espírito. O que está escrito no Livro da Vida do Cordeiro, eu não sei; mas o que está escrito na Santa Bíblia, eu sei, a saber: “Quem crer será salvo; mas quem não crer será condenado”. E que “sem a santificação ninguém verá o Senhor”.
II. VOCAÇÃO – Chamados Com Uma Santa Vocação
“Que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos.” (2 Timóteo 1:9)
Existem duas formas pelas quais os homens são chamados a crer no evangelho. Há uma chamada exterior e uma chamada interior, uma chamada terrena e uma celestial. Todos os crentes são “participantes da vocação celestial” (Hebreus 3:1).
O chamado exterior vem a todos que ouvem o som do evangelho: “Muitos são chamados, mas poucos os escolhidos”. Toda vez que o sino da igreja soa é um chamado. Este diz: “Venham pecadores, teus Sabaths estão contados. A eternidade está à mão. O povo de Deus se apressa para a casa de Deus, os ministros de Deus estão distribuindo o pão da vida. Pecador, não permaneça para trás, Jesus está chamando por ti, convidando-te, atraindo-te. Se tu pudesses ao menos ouvir, isto soaria tão jubiloso quanto um sino de casamento”. Há multidões na Escócia, que não mais ouvem o Evangelho do que o barulho do sino, e isto será o suficiente para condená-los no grande Dia. A porta aberta da igreja é um chamado, esta parece dizer: “Porfiai por entrar pela porta estreita, pois muitos procurarão entrar, e não poderão”. “Ide, antes, aos que o vendem e comprai-o”, antes que o noivo venha e a porta seja fechada.
“Entre, entre glória eterna tu ganharás.”
As janelas iluminadas da igreja, à noite, são um chamado solene. Elas clamam ao seus ouvidos: “Jesus é a luz do mundo”; “ainda por um pouco a luz está convosco”; “andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos apanhem”. Jesus acendeu uma candeia, e está varrendo a casa, e buscando diligentemente para encontrar as dracmas de prata perdidas. “O pináculo da vila que aponta o caminho para o céu” é um apelo silencioso, este diz: “Olhem fixamente para o céu, e vejam a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus. “Busquem pelas coisas que são do alto. Coloquem suas afeiçoes nas coisas lá de cima, não nas coisas da terra”. A voz do pregador é um chamado, esta diz: “arrependam-se e creiam no evangelho, pois o reino dos céus está próximo”. “Nós somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus”. Cada folheto deixado em sua porta é um chamado Divino, este diz: “Eu tenho uma mensagem de Deus para ti”. “Eis que estou à porta e bato”.
Cada página de sua Bíblia é uma chamado, elas dizem: “Examinai as Escrituras. Eu sou capaz de fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Eu fui dada por inspiração de Deus, e sou útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e instrução na justiça”.
A morte de cada amigo não-convertido é uma apelo ruidoso, que diz: “Se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis”. “Está ordenado que todos os homens morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”. “Prepara-te para encontrares com o teu Deus”. Pode ser verdadeiramente dito para todo pecador que lerá estas palavras, que você foi agora chamado, advertido, convidado a escapar da ira vindoura, e para lançar-se a Cristo, que está posto diante de você. Se você não obteve o suficiente para salvar-se, você teve o suficiente para condenar-te.
Entretanto, todos os que estão em Cristo receberam o chamado interior. Todos os que, co-mo Timóteo, têm “fé não fingida”, e receberam “o Espírito de poder, de amor e de moderação”, foram “salvos e chamados com uma santa vocação”. Esta é a obra do Espírito Santo; e portanto, este é denominado um chamado santo.
É o chamado do invisível Espírito do Todo-Poderoso que docemente inclina a vontade, e derrete o coração do pecador. Este também é um chamado salvífico. Quando Jesus disse a Mateus: “segue-me”, o Espírito soprou sobre seu coração e o fez disposto: “Ele se levantou e seguiu Jesus”. Quando Paulo pregou aos Tessalonicenses, ele fez um chamado exterior. Se Paulo estivesse sozinho, eles teriam permanecido tão duros quanto as rochas que colidem na encosta com as ondas do Mar Egeu.
Mas o Espírito soprou sobre os seus corações, e assim o “evangelho não chegou até eles somente em palavra, mas, sobretudo, em poder, no Espírito Santo e em plena convicção” (1 Tessalonicenses 1:5). Quando Paulo pregou em Filipos, junto do rio, muitas mulheres gregas tiveram o chamado exterior. Suas palavras lhes foram agradáveis aos ouvidos. Todas permaneceram impassíveis; menos uma, cujo coração foi aberto, uma estrangeira cujo olho escuro nos dizia que ela vinha das planícies ensolaradas da Ásia. “O Senhor abriu o coração de Lídia” ( Atos 16:14).
Oh, pecador! não pense que a sua leitura e o ouvir do Evangelho salvarão, por si mesmos, a sua alma. Não pense que pelo fato de ter uma Bíblia, um pastor e um lugar na Casa de Deus, que, portanto, você está em um caminho para o céu. Lembre-se que Deus deve salvá-lo, e chamá-lo com uma santa vocação. Se você não for vivificado do alto, seus chamados exteriores serão apenas cheiro de morte para a morte para sua alma. Esta será uma das principais misérias do inferno: lembrar os textos e sermões que ouviu na terra, quando você não foi a Cristo para ter vida.
Bendito Deus, Tu tens “salvado, e chamado com uma santa vocação”, pois esta é “não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos” [2 Timóteo 1:9]. Toda alma salva pode dizer: “Ele não me tratou segundo os meus pecados, nem me retribuiu consoante as minhas iniquidades” [Salmos 103:10]. Ele me chamou das trevas para a maravilhosa luz, de sob a ira e maldição para o perdão e paz com Deus, da morte para a vida.
Por quantos Ele passou, os quais anteriormente eram menos piores do que eu. Mas Ele se dispôs a tornar conhecidas as riquezas de Sua glória em mim, um vaso de misericórdia, que Ele, de antemão, preparou para a glória. Quão convicta da glória é a minha alma pecadora. Deus chama do Céu, e chama para o Céu. “E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou” [Romanos 8:30].
Bendize o Senhor, oh, minh’alma!
Robert M'Cheyne (1813 - 1843) foi o doce e vigoroso pastor de São Pedro, Dundee, a partir de 1836. Seus sermões revelam fidelidade bíblica, doçura, severidade, e centralidade na Pessoa e Obra de Jesus Cristo, o Amado de sua alma. Unia profundo estudo da Bíblia e vida de oração. Ao seu amor pelas almas se somava uma grande sede de santidade de vida. Na primavera de 1843, caiu repentinamente enfermo. Em 25 de março de 1843 ele partiu para estar com o Senhor.
Fonte: O Estandarte de Cristo 
                                               

Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...