Cinco Votos para Obter Poder Espiritual.

Primeiro - Trate Seriamente com o Pecado. Segundo - Não Seja Dono de Coisa Alguma. Terceiro - Nunca se Defenda. Quarto - Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém. Quinto - Nunca Aceite Qualquer Glória. A.W. Tozer

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Scarlett Johansson, sensualizar a Bíblia não vai derrotar o Cristianismo.

 

por Hans Fiene

Como cristão, não sei se é uma boa ideia dar conselhos táticos para aqueles que estão do outro lado do campo de batalha espiritual. Como eu não desejo a destruição do Cristianismo, eu provavelmente não deveria oferecer dicas sobre como alcançar esse objetivo para aqueles que desejam destruir os santuários ao redor do mundo e dançar tango em cima dos escombros.

Por outro lado, Jesus prometeu que os portões do inferno não prevalecerão contra sua igreja, então dar aos escarnecedores da fé uma estratégia mais eficaz para alcançar um objetivo que eles nunca irão alcançar é meio que uma vanglória santificada, um orgulho santo no Salvador, cujas supostas fraquezas são infinitamente mais fortes do que a força de seus inimigos. Assim, em resposta à Scarlett Johansson lendo trechos da Bíblia com uma voz “pornográfica” no próximo álbum de comédia do roteirista doSaturday Night Live Mike O’Brien, vamos tentar algo diferente.

Johansson, O’Brien e outros, como Ron Dicker, do Huffington Post, que achou essa colaboração cômica “deliciosa”: eu entendo. Vocês não gostam do Cristianismo. Vocês acreditam que seus ensinamentos são um atraso à sociedade progressiva, então vocês escolheram o humor como arma para erodir sua influência. “Vamos sensualizar trechos da Escritura para mostrar aos Cristãos que o que eles pensam ser sagrado é tolo e não deveria ter espaço em nosso mundo”. Essa parece ser sua estratégia de batalha.

O problema com essa estratégia, entretanto, é que ela não oferece aos cristãos algo substancial para colocar no lugar do que vocês estão tentado tirar deles. É verdade, os cristãos “culturais”, que não tem qualquer interesse em sofrer pelo evangelho talvez corram rapidamente dos seus tiros debochados. Mas se vocês desejam derrotar os verdadeiros soldados cristãos que estão marchando para a batalha, vocês terão que convencê-los a se juntarem a vocês mostrando a eles que vocês tem algo pelo qual vale a pena lutar. Por mais difícil que seja de acreditar, o vazio da libertinagem sexual que vocês oferecem não é um substituto aceitável para aqueles que creem na plenitude do evangelho.

Sexo é um deus muito pequeno

Ao colocarem a Scarlett para gemer debochadamente das palavras de Moisés, vocês parecem estar dizendo para os cristãos: “Vocês não tem esse tipo de êxtase pornográfico no campo de batalha de Deus, então venham para nosso lado e isso é tudo seu”. Embora isso pareça ser uma proposta tentadora para aqueles que não adoram nada além de suas libidos desde a puberdade, não é uma opção muito atraente para aqueles que já adoram algo um tanto quanto digno de valor, a saber, o Deus que criou os céus e a terra.

Aqueles que servem o Deus que primeiro os serviu ao tomar forma humana de carne e ossos não serão persuadidos quando vocês dizem “Ok, mas você não prefere servir nada além de sua própria carne?”. Crentes que encontram alegria imensurável no perdão de Cristo e, assim, desejam viver de acordo com seus mandamentos, não irão acreditar quando vocês prometerem a eles maior alegria ao viver um estilo de vida que qualquer um que já teve um amigo promíscuo sabe que gera toneladas de arrependimento, vazio e nem um grama de alegria duradoura.

Aqueles que se regozijam em pertencer à comunhão que transcende espaço e tempo, tribos e culturas, e une céus e terra não irão trocar uma vida transbordante de significado eterno por uma vida de libertinagem sexual que se resume à falta de significância.

Tente isso talvez, Scarlett Johansson

Assim, para os O’Briens e Johanssons e todos os simpatizantes à causa deles, eu sei que estamos em lados opostos do campo de batalha espiritual, mas deixe-me oferecer um caminho melhor. Ao invés de tentar derrotar o Cristianismo com nada, tente sabotar o reino de Deus com algo, qualquer coisa, que tenha algum grau de conteúdo.

Se você quer ridicularizar a Bíblia, faça como o Alcorão faz na Suna 4.157-158. Esse trecho diminui a importância da crucificação ao dizer, em essência, “Cristãos, deixem seu Deus fraco e sigam Alá, o poderoso, que nunca permitiria que seus profetas sofressem uma vergonha como essa”. Se você quer destruir igrejas, pelo menos convide as pessoas para a mesquita que você construiu em cima das ruínas da catedral. Se você quer levar embora o conjunto de crenças profundo, significativo e verdadeiro dos cristãos, certifique-se de que está pronto para dar a eles em troca outro conjunto de crenças profundas, significativas, embora falsas.

Como as conquistas islâmicas de terras cristãs já mostraram, essa é uma forma bem eficaz de ganhar cristãos desertores que “saíram de nosso meio; entretanto não eram dos nossos”, como 1 João 2.19 coloca.

Ou, se trocar uma religião por outra não vence a guerra para você (e se o seu objetivo de vida, como parece, é acesso irrestrito à fornicação, provavelmente não resolve), tente a abordagem nacionalista. Se você deseja que as pessoas deixem de crer no Deus Todo Poderoso, venda a crença no Estado Todo Poderoso.

Como os comunistas, convença os cristãos que um governo livre dos dogmas e superstições cristãs é a única força que pode resolver os problemas da humanidade e encerrar as injustiças do mundo. Diga aqueles que desejam ser um com Deus que, juntos, poderemos ser o próprio deus. Ofereça aos cidadãos votos de aliança ao Governo Invencível e, como a história já mostrou, alguns podem acabar desistindo de seus votos confessionais.

Não estou dizendo que vai funcionar

Claro, nenhuma dessas abordagens vai funcionar. Mesmo se você fizer sua jihad contra os melhores deles, você não vai realmente triunfar sobre qualquer dos eleitos de Deus. E mesmo que você dê toda a glória e honra ao estado, o estado eventualmente falhará, espetacularmente, em ser Deus, e Cristo irá continuar edificando sua igreja sobre as cinzas dos impérios. Além disso, quanto mais você perseguir a igreja, mais você irá exacerbar sua própria derrota.

Não importa o quanto você faça guerra contra o Deus Triúno, você ainda perderá. Mas se você adotar uma dessas estratégias, pelo menos perderá respeitosamente. Pelo menos você pode dizer que ofereceu aos cristãos algo impotente, ao invés de um total nada em troca pelo tudo absoluto que é o reino de Deus.

Mire além do que Mike O’Brien e Scarlet Johansson, e, quando você refletir sobre a guerra que fez contra Deus, pelo menos você poderá dizer que o fez com um nível de maturidade mais alto do que se encontra em um filme ao estilo “American Pie”.

***
Via: Reforma 21 
Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui


Redes Sociais

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...